terça-feira, 25 de julho de 2017


A ratoeira do Cafôfo


Dionísio Andrade*



O Eng. Dírio Ramos lamentou-se num artigo de opinião, no passado domingo dia 23 de Julho, no Diário de Notícias, da pouca participação dos cidadãos na apresentação e discussão pública do novo Plano Director Municipal do Funchal. O Eng. Dírio ficou desiludido com a pequena assistência no debate, menos de 30 pessoas. 
Estive seriamente a pensar durante dois dias se deveria responder ao srº Eng. comunista, até porque tenho alguma simpatia por si, com os seus cumprimentos reverenciais quando me encontra, apesar dos meus amigos me dizerem que o Dírio é um "chato de todo o tamanho"! 
O Eng. Dírio Ramos esperava ver uma sala cheia de arquitectos, engenheiros, ambientalistas, bombeiros, sociólogos, políticos (em particular autarcas) e também ilustres fazedores de opinião!

Eu, um simples mortal, não mordi o isco do Professor Paulo Cafôfo, por variadíssimas razões. Em primeiro lugar, para não cair na ratoeira do Presidente da CMF, porque não é a dois meses de eleições que se coloca um documento estratégico importante para o futuro da cidade em discussão pública, quando Cafôfo teve 4 anos para o fazer, e não o fez. 
Em segundo lugar, eu não entro em "jogatanas eleitoralistas" do srº Presidente da Autarquia, porque, no tempo do "jardinismo", andei no terreno a combater as inaugurações eleitoralistas e o aproveitamento de políticos para fins estritamente partidários. Eu e os meus colegas ambientalistas e activistas políticos combatemos essas práticas no terreno, enfrentando muitas vezes os "mijinhas" e elementos cadastrados e delinquentes contratados pelo PSD para nos atacarem, colocando a nossa integridade física em risco. Que o digam Gil Canha, Baltazar Aguiar, Eduardo Welsh, António Fontes e muitos outros! Em terceiro lugar, não se coloca um PDM com esta importância nos dois principais meses de férias da maioria dos munícipes do Funchal. É uma falta de respeito e consideração para quem vive no maior concelho da Madeira, e que nos últimos anos viu os "patos bravos" tomarem conta dele, com a conivência de Miguel Albuquerque e Paulo Cafôfo!
O Presidente da CMF já mostrou por diversas vezes que não defende os interesses da cidade, mas sim os dos grupos económicos poderosos, veja-se o caso do hotel Savoy. Por isso, o srº Eng. Dírio Ramos, sem se aperceber, mordeu o isco (PDM) que o Presidente da CMF lhe colocou dentro da ratoeira. Ainda bem que foram apenas cerca de 30 pessoas a morder o isco de Paulo Cafôfo, porque se tivessem sido mais eu ficaria severamente preocupado. Os documentos estratégicos para a cidade do Funchal, pela sua importância, debatem-se fora dos períodos eleitorais. Sem demagogia propagandista!

* Presidente da Associação do Ambiente e Qualidade de Vida COSMOS

12 comentários:

Anónimo disse...

O Sr. Dionísio Andrade anda distraído. Afinal quem é que o senhor acha que tem sido a "muleta" do Cafôfo na Câmara? Não é (só) o Bloco, é principalmente os Comunistas da CDU! Dahhhhhh!

Anónimo disse...

Muito bem dito.

Anónimo disse...

Então não foi nada mau para o srº cafôfo! Ainda conseguiu apanhar 30 murganhos!

Anónimo disse...

acrecento aoss comentarios anteriores, que a incompetencia governou o funchal com apoio da CDU e CDS, foi uma verdadeira geringoncia, pois para o plano estar em discussão neste momento esses ignorantes assim aceitaram e fizeram um frete gigantesco ao careca. Deviam nem candidatar-se e coligarem-se com o tal cafofoco. Vergonha

Anónimo disse...

Devemos ter alguma prudência quando falamos desta Câmara e, no caso do urbanismo, algum medo.
É fácil perceber porquê. Durante os anos infindos da Governação de Jardim - que verdadeiramente presidia a todas as Câmaras da Região - os PDM´s do Funchal e dos outros concelhos que os tiveram mais não foram que cartas de alforria, a favor da elite empresarial laranja e da esquerda caviar amiga. A manada continuou como antes, entregue aos humores do Senhor.
O Doutor Cafofo poderia ter sido - no sentido próprio da palavra - o primeiro autentico Presidente de Camara do Funchal do regime democrático regional, mas não quis sê-lo.
Com ganância, percebeu o valor da carta de alforria do Funchal e entregou-se nas mãos dos seus beneficiários. Quem se tramou e continuará tramado é o zé-povinho e, claro, a totalmente adulterada cidade do Funchal.

Anónimo disse...

Andaram todos a fazer panela com o Cafofo e o Canha que foi posto na rua é que está feito com eles. Ah povo enganado!

Anónimo disse...

O Delírio tem uma fatalidade endiabrada de estar sempre a levar com o rolo da massa.

Anónimo disse...

O Dirijo e o Artur são vinagre da mesma pipa! E o Edgar ainda não reparou que o Artur vendeu a alma à raposa pelada!

Anónimo disse...

Por vezes acordo pela manhã a me perguntar a mim mesmo se o Cafofo existe de verdade? É porque é tão postiço que até parece que não existe!

Anónimo disse...

Cafofo não existe, é um mito criado por uma empresa de marketing e o cubano e ganancioso inglesias.
Nesta manta de retalhos qualquer um com dentes poderia ser cafofo. E o resto é paisagem.
Está na altura de abrirem os olhos e votar em qualquer um , menos nele.

Anónimo disse...

E impressionante como as pessoas sao hipocritas e sem integridade.... é o resultado de quando se apanham no poleiro.

Anónimo disse...

Será que o Cafofo na discussão do SEU PDM vai dar entrevistas de mascara anti-fumo e colete? Porque neste tipo tudo é show off!