segunda-feira, 31 de julho de 2017

Autárquicas 2017


Carlos Teles anuncia 
Educação gratuita na Calheta



Carlos Teles anunciou ontem que, se ganhar as eleições, a educação será gratuita na Calheta para todos, até ao 12º ano de escolaridade. E restituirá o IRS (os 5% que cabem à Câmara da Calheta) aos munícipes. Promessas que antes de serem anunciadas foram muito bem ponderadas, conforme frisou, perante cerca de duas centenas de pessoas que assistiram à apresentação das listas sociais-democratas, ao ar livre, na Praceta 24 de Junho. Porque, acrescentou, promessas eleitorais só se devem fazer as que houver condições de serem cumpridas.

Neste momento, a edilidade, a que preside, já assume o pagamento dos manuais escolares de todos os alunos até ao sexto ano de escolaridade. O candidato do PSD quer mais e promete estender essa benesse, para todos, até ao 12º ano de escolaridade. E os transportes escolares também serão gratuitos.
Numa fase em que o programa eleitoral ainda está a ser ultimado e para o qual conta com as contribuições de todos, uma situação já está decidida: a Câmara da Calheta vai apoiar os emigrantes que regressam da Venezuela.

Motivado pelos muitos que fizeram questão de estar na apresentação das listas, Carlos Teles recordou muito do que foi feito, enfatizando a aposta em áreas como a Educação (recordando o apoio aos estudantes no Ensino Superior), a Juventude (vários programas realizados, entre os quais o Calheta Ativa, que proporciona a primeira experiência de emprego aos jovens calhetenses), o Social (vários centros sociais criados e apoio à natalidade).

Aliás, o apoio à natalidade é uma das suas maiores preocupações, defendendo que o Estado deveria colocar à frente de tudo a realização de incentivos à natalidade, como forma de quebrar a queda demográfica que acontece em todo o País.

Também os apoios à agricultura foram recordados, desde o Gabinete do Agricultor à construção de cinco caminhos agrícolas e à redução de taxas municipais para projetos agrícolas.

Foi ainda enaltecida a redução do IMI no concelho para a taxa mais baixa possível. E a redução da dívida que foi necessária “para fazer obra”, mas que importou depois regularizar. E recordado o apoio ao desporto, à cultura, às instituições e às Juntas.

Reiterando a sua satisfação “por ver tanto apoio” e fazendo questão de agradecer aos mandatários jovem (Dina Rodrigues) e concelhio (Agostinho Gouveia) bem como ao candidato à presidência da Assembleia Municipal e quem o iniciou nas lides políticas (Manuel Baeta), reforçou contudo que para ele e para a sua equipa todos são igualmente importantes.

Lembrando a obra feita, diz que há ainda muito por fazer, o que aliás o leva a recandidatar-se. “Sabemos que fizemos muito, mas ainda falta muito!” disse.
A concluir, a convicção na vitória, mas também a garantia de que não o vão ouvir dizer mal das pessoas que formam as outras candidaturas: “Não vale tudo na campanha. Temos que respeitar os outros. O que não quer dizer que não lutemos para ganhar. Nós vamos ganhar”.
Texto e foto: PSD-M
.

3 comentários:

Anónimo disse...

Cuidado é com os comes e bebes, não vá a PSP fazer nova operação Stop perto das residências.
De certeza que esse comandante já foi posto no olho da rua, foi rodar para outro lado.

SIA disse...

Mas esta nas atribuições dos municípios assumir essa despesa?

Anónimo disse...

E o José Manuel não foi outra vez candidato a Junta de Freguesia da Calheta? Não pode...