segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Bagunça Rumo a 2019









54



Estamos bem entregues




Guerra na Picheleira



Cabo de Freguesia
Primeiro Sargento





Se as incongruências e inaptidões políticas na Central do Império não respingassem inevitavelmente para cá, era deixá-los a brincar aos tachos nos bairros alfacinhas e boa sorte. O problema é que aqui também estamos a pagar os desmandos dos gatunos nova vaga. 
Outrora, os bandidos assaltavam o banco de fora para dentro. Agora assaltam de dentro para fora. Só que estes de agora fazem-nos pagar aos milhões, e diariamente, deixando os antigos assaltantes nuns míseros pilha-galinhas que faziam uma operação e desapareciam por muitos anos, quando conseguiam, já que geralmente a polícia lhes deitava a mão antes de saborearem meia dúzia de contecos. 
Nos tempos de antanho, o salteador de estrada avisava 'bolsa ou vida', levava 'o seu' e a vítima, se tomasse cuidado, talvez não sofresse mais golpes do género, era questão de não voltar a percorrer caminhos escusos tarde da noite. Pois hoje o Zé Pagante não precisa de sair de casa para ficar com a mísera conta limpa: os novos assaltantes, que actuam fazendo base nos partidos políticos e na administração pública que ocupam selvaticamente, tratam de nos pôr a pão e água que nem sabemos por onde se escapam os parcos euros que tanto custam a ganhar.
Esperar que a Justiça proteja o cidadão é ideia para fazer humor negro. Com ministros da Justiça como o nosso Primeiro Sargento foi e com primeiros-ministros como o mesmo Primeiro Sargento e o malandreco do Sócrates, isto vai bem, vai.
A esses, junta-se agora aquela prenda com pronúncia do Norte que me dá umas ideias ao homem que em tempos viajou do Boliqueime à Figueira para rodar o carro. Este é Rui Rio, que vimos este fim-de-semana no centro da nova Bagunça laranja que se junta ao comboio Rumo a 2019. Com experiência de Cabo de Freguesia, ele também botou palavra no congresso a respeito de projectos, debitando uma série de lapalissadas de fazer adormecer - incluindo reformas na Justiça. Justiça portuguesa! Dos resultados disso fazem parte agora interrogatórios a juízes e tudo - que arguidos especiais!
Quanto à Bagunça política, os continentais têm menos 'galo' do que nós. Eles apanham uma dose; nós aqui na Tabanca, duas.




Guerra na Tabanca



Neo-colonialista, líder
da Candidatura Lisboeta
às Angústias
Retardatário



Foi com todo o à-vontade que o nosso Primeiro Costa tomou de assalto as rédeas ao Partido PSeudo Socialista-Madeira. Foi questão de pegar no traquejo ganho com a imunda jogada para empurrar Tozé Seguro do Rato para a rua, usurpando-lhe o direito de ir a eleições legislativas, e já está. Agora, foi repetir a receita na Madeira, mandar Carlos Pereira passear, e pronto, lá temos o Primeiro Sargento na disputa regional de 2019. Repetir aqui a táctica de tomar o poder sem ganhar eleições, também será do mais elementar para ele, como se sabe. Tudo em nome do Mapa Cor-de-Rosa em toda a Lusitânia, que é o mesmo que dizer mais 8 anos de poleiro bem pagos para o Costa e sua milhenta clientela, lá e cá.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

'Resistência' organiza guerrilha no PP-M




Como funciona o processo eleitoral
num regime de democrato-ditatorial


A que tem direito um eleitor no dia de fazer uma cruzinha:

1. Um almoço farto e de ricos num restaurante, de preferência, caro; Alguns lamentam-se de estar a almoçar em frente de figuras sinistras e pouco simpáticas em outros campeonatos, mas o que conta é mesmo o almocinho e o convívio.
2. Uma carrinha para levar o eleitor a votar;
3. Não é preciso ver as listas; não é que o eleitor pense assim, um dependente da causa o suficiente para tapar o painel faz a primeira parte, depois se alguém quiser ver as listas com o bucho cheio e de consumir álcool à discrição, outro dependente do regime convida a entrar diretamente no local de voto e lembra que o que interessa é fixar bem onde colocar a cruz que vai acabar com os “infiéis”;
4. Funcionários do regime na rua, à porta do local de voto e até ao pé do local de voto.



Que pensa Cafôfo
dos ataques de Costa à Madeira?



Jacinta Raquel Nunes

Eu estava aqui a pensar com os meus botões e apercebi-me de uma coisa, para realçar posições e saber quais os pontos de vista políticos em relação a nossa Autonomia, nomeadamente à relação amor ódio que atualmente está a acontecer, entre o Primeiro Ministro e o Governo Regional da Madeira sobre o problema do défice, lançaria aqui um desafio. 
Visto que nenhum jornalista ou matutino teve coragem ou em bom português" Tomates" para questionar Paulo Cafofo  e inclusive Emanuel Câmara, qual a posição e opinião dos mesmos em relação ás declarações polemicas de Antonio Costa e Carlos Cesar sobre, em que acusam a Madeira de ser o responsável pelo excesso de défice.

Deixo aqui o desafio, pois também gostaria de saber a opinião de muitos "Cafofianos" que por aqui andam.

sábado, 17 de fevereiro de 2018



A política não pode ser
a arte da canalhice


“Nada devemos à Região Autónoma da Madeira, pelo contrário essa região fica a dever a todos nós o agravamento do défice público de 2017” ¹. Desta forma, António Costa desferiu um ataque soez à Madeira. Para tornar o ataque mais doloroso para a Madeira, “o líder da bancada parlamentar socialista, Carlos César, apontou o facto de o défice da Madeira ser “sete vezes” mais alto do que o dos Açores, região governada pelo PS” ². 
Este ataque não me surpreendeu. O que me surpreendeu foi a falta de uma reação política dura, na Assembleia Regional, por parte do PSD Madeira e dos restantes partidos regionais em defesa dos madeirenses. O silêncio político reinante indicia “quem cala, consente”. Este silêncio é incompreensível, pois não nos podemos esquecer que este ataque à Madeira é um ataque aos madeirenses que sufragaram a vitória do PSD Madeira, por maioria absoluta, nas Legislativas Regionais de 2015.


JPP pede desbloqueio e abertura 

do caminho real do Porto Novo




O Grupo Parlamentar do Juntos pelo Povo (JPP) vai levar ao Parlamento Regional “uma proposta para desbloquear os eixos Caniço-Gaula do caminho real do Porto Novo, que foi barbaramente fechado pelas devidas instâncias do Governo Regional, há cerca de dois anos”.

Para esquecer







Pelas PSoas





A Recusa em aceitar documentos 

pela Administração Pública


Estimado leitor, há dias aleguei que Albuquerque foi informado que um determinado diretor regional fez com que a entidade por ele dirigida não recebesse uma informação interna de um funcionário público. Nesta publicação será apreciada a problemática dessa posição.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018


Dizem que o Restelo vai à praça


Afirma uma fonte com obrigação de andar bem informada que o Estádio do Restelo vai à praça. Fruto da má situação financeira, aliás crónica, do seu proprietário, o 'CF Os Belenenses'. Indica o nosso interlocutor que os azuis do Restelo até já procuram alternativa para sede do prestigiado e histórico Clube de Lisboa.
Trata-se de uma novidade singular, que veremos até que ponto se enlaça com a realidade. 


Ética e Responsabilidade

Uma breve recompilação 
de princípios políticos básicos





João Barreto



Na sociedade madeirense, fragilizada pela grave crise da qual emergimos agora a muito custo, instalou-se a ideia perigosa de que um bom político poderia ser um especialista em ideias gerais e, sobretudo, vagas q.b.: alguém que proclame qualquer coisa com que quase toda a gente possa estar de acordo e seja crítico do “sistema” e dos políticos tradicionais. Para as vítimas da crise - a classe média proletarizada à força de políticas fiscais e sociais muito agressivas - qualquer um que forneça um vislumbre de melhoria e não seja oriundo do odiado grupo dos políticos tradicionais, serve de farol da mudança ambicionada. Melhor ainda se, provindo de atividades sociais menos evidentes, trouxer a aura imaculada de ser exterior à política e aos partidos e manifestar simpatia por todas as reivindicações dos grupos de pressão que vão emergindo na sociedade, ainda que sejam contraditórias entre si.








«QUID IURIS?»


A tragédia do Monte 
e a omissão do Estado



Donato Macedo

Já aqui neste espaço em Janeiro, produzi um texto apontando algumas incongruências sobre a tragédia do Monte de Agosto do ano passado. Agora que se vislumbram alguns dados públicos que emergem de peritagens privadas e demais opiniões de peritos dum e doutro lado da barricada - sendo que algumas delas são contraditórias - há todo um rasto de dúvidas que se vão acentuando quanto ao que realmente sucedeu. Uma nota dominante e que de certo modo releva todo o cardápio de opiniões, é o indesculpável tempo como o Ministério Público levou a aquecer para tomar em mãos a ocorrência como lhe competia. Quanto aos conhecidos arguidos, lá saberão junto dos seus advogados a melhor estratégia em como se defenderem, até porque ser arguido permite ter acesso a muita informação e demais garantias que a lei confere, tal como ficar em silêncio.

Bagunça Rumo a 2019








53



PSoas 'lisboetas' da CMF
e da Praça Amarela
fazem festim na morgue


As páginas da necrologia estão o que se chama um verdadeiro banquete para os abutres engraxadores do Costa: ao contarem as cruzinhas de hoje nas participações de mortos, eles salivam de gozo pelo que poderão dizer da Saúde na Região. Que somos uma terra africana porque aqui também morre gente e que, se não faltam transportes para os doentes, falta limpeza, ar condicionado, música estéreo e tv-cabo nos veículos de transporte dos pacientes.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018




O Plano do Pedro





Adérito Esteves




O Pedro vinha de fora. Para o Pedro os outros eram tontos e pouco percebiam de política. O Pedro sabia como contornar  os ataques constantes ao Governo por parte do Diário do Cafôfo. Qual estratega dos marretas o Pedro somou dois mais dois e chegou à brilhante solução matemática que se o Cafôfo tem o Diário cativo à custa de publicidade massiva, então é necessário  repetir a fórmula. Foi um Dezembro Gordo com  centenas de milhar em suplementos sem conteúdo despejados sobre o insaciável Diário. O Porche do Diretor tem de ser pago de alguma maneira. 

PSD quer concluir contratação de pessoal 
para a manutenção dos espaços verdes


A limpeza e a segurança dos espaços verdes são desde sempre uma preocupação da vereação social-democrata que aprovou hoje em reunião de câmara uma “Proposta de Resolução para a Abertura de um Regulamento para os Espaços Verdes”.
Elias Homem de Gouveia entende que é urgente finalizar o processo de contratação de pessoal para a manutenção dos espaços públicos.

Intervenção em S. Bento


Carlos Pereira elogia aposta do Governo
no investimento público



“Esta é a nossa conceção de investimento público: investimento produtivo, que puxa pelo investimento privado, que gera confiança e que contribui para uma boa oferta pública de infraestruturas e de serviços públicos”, sublinhou hoje o vice-presidente da bancada do PS Carlos Pereira, no Parlamento, durante a interpelação do PCP ao Governo sobre ‘Política geral centrada nas necessidades de investimento nos serviços públicos’.

Segundo o socialista eleito pela Madeira, existe uma fronteira “muito clara” entre as opções do atual Governo e do anterior Executivo de direita em matéria de investimento público: “Enquanto o PS tem concretizado o apoio ao investimento privado e o reforço do investimento público, PSD e CDS travaram a fundo o investimento público e, pior que isso, não foram capazes de criar condições para a estabilidade no investimento privado”.

Vereação social-democrata reivindica



PSD consegue baixar IMI e IMT em Santana
A vereação do PSD na Câmara Municipal de Santana conseguiu que o executivo autárquico baixasse o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e o IMT (Imposto Municipal sobre a Transmissão Onerosa de Imóveis).
A proposta dos sociais-democratas para a atribuição de benefícios fiscais aos proprietários de imóveis que queiram reabilitar o seu património foi aprovada hoje por unanimidade, em reunião de câmara.

Trabalhistas convocam secretária da Inclusão



PTP quer audição parlamentar com a Secretária Rita Andrade sobre o protocolo estabelecido entre o Governo e a Associação Atalaia Living Care para a gestão do Lar de idosos de Câmara de Lobos
Com vista a dar resposta às designadas “altas problemáticas”, foi autorizado no último Conselho de Governo a celebração de um Protocolo tripartido, entre a Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, o Instituto de Segurança Social da Madeira e a Associação Atalaia Living Care, para a gestão do Lar de Idosos de Câmara de Lobos, situado no edifício Arca de Cristal.

Utentes do Hospital criticam rede de transportes



Nota informativa

A Comissão de Utentes esteve hoje junto ao Hospital Nélio Mendonça a denunciar a situação precária da rede de transportes de utentes do SESARAM.
Temos recebido diversos relatos acerca das péssimas condições em que se encontram os veículos utilizados no transporte de utentes, situação que se prolonga há demasiado tempo.

Sara Madalena quer homenagear ex-combatentes



Proposta de Deliberação
“Edificação de monumento/lápide ao Pontassolense morto em serviço na Guerra do Ultramar”

O reconhecimento do esforço, dedicação e a respetiva homenagem é um dos pontos fulcrais para o fomento do da partilha histórica e da retribuição.

Considerando a existência de cinco falecidos em combate ou acidente na Guerra do Ultramar, naturais deste concelho, de acordo com o Arquivo dos respetivos Veteranos.

Bagunça Rumo a 2019




52



Desagradável ingerência


Nada tem de burro o nosso Primeiro (sargento). Ele é esperto. Senhor daquela esperteza de caserna que o levou ao golpe anti-Seguro e a tornar-se chefe de governo tendo perdido as eleições nacionais. O que deveria valer congresso extra no PS e rua com ele, não fora a tal esperteza de se juntar ao resto da "esquerda", também ela repleta de outros espertalhões que tais.
Pois agora, precisando de um mapa cor-de-rosa de Viana a Vila Real de Santo António e de Ponta Delgada ao Funchal, para se eternizar no poleiro, ei-lo a experimentar matreiramente o terreno cá da Tabanca a ver se consegue assentar as patas sem imergir nalgum pântano traiçoeiro. A encenação é a mesma que fizeram outras múmias que vaguearam nas salas sombrias onde a D. Maria ajudava Salazar a calçar as botas. Isso no tempo da Ditadura que os espertalhões dos ministérios lisboetas nos impingiram, fascismo que por aqui bem tentámos derrubar, como em 1931 e 1936. Do 25 de Abril para cá, a encenação é a mesma, pois: berrar em Lisboa contra a Madeira para revoltar o País inteiro contra nós. 

António Costa e o défice regional



Albuquerque considera lamentável
ataque do primeiro-ministro

O presidente do GR reagiu criticamente às declarações de Costa ontem em S. Bento.

Na sequência do debate quinzenal ontem com a presença do governo nacional na Assembleia da República, Miguel Albuquerque passou ao contra-ataque esta manhã, à margem da visita ao Museu Vicentes: as críticas de António Costa ao défice da Madeira são "lamentáveis". 

Palavras do chefe do Executivo insular: 
"A Madeira tem as suas contas públicas controladas como é do conhecimento de todos.
O ataque de ontem, do Primeiro-Ministro é a todos os títulos lamentável.
Mas isso só prova o que nós dissemos desde a primeira hora. O objectivo deste Primeiro-Ministro não é resolver os problemas da Madeira, mas sim desenvolver uma agenda política de tomada de poder na Região, a qualquer preço.
O défice da Madeira é baixo, mas podia ser mais baixo se a República não estivesse a lucrar 12 M por ano ao cobrar juros mais altos do que aquele a que se financia.
12 M é o que vamos gastar para construir a Escola da Ribeira Brava e do Porto Santo.
O défice da Madeira é baixo, mas podia ser mais baixo se o Madeirenses não estivessem a suportar os custos dos subsistemas de Saúde que são uma responsabilidade da República.
Hoje já ultrapassam os 16 M de euros.
É quase a verba que a Região investiu para as expropriações e projectos para o Novo Hospital.
O défice da Madeira é baixo, mas podia ser mais baixo se o Governo de António Costa pagasse as dívidas fiscais de 33 M à Região.
A titulo de comparação o Governo da Região vai investir na Saúde mais 25 M de euros."







22.ª Semana em cartaz!
Temporada recorde




Bilhetes prà GERAL esgotados até 2019

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Bagunça Rumo a 2019





51


PS no step: correr no mesmo lugar




Causa certa surpresa que um PS-Madeira a cavalgar a onda Cafôfo, a beneficiar de um protagonismo em alta na ressaca do congresso e detentor de uma sondagem a dar ao super-líder socialista (o Mayor do Funchal) mais 10 pontos do que a Miguel Albuquerque, estranha-se que esse partido deixe fugir o PSD-M dois pontos relativamente aos tempos de Carlos Pereira. O distanciamento que se vê na sondagem de hoje não é de assustar, mas a tendência devia ser diametralmente oposta. 
Por isso dizíamos há dias que o PS, mesmo com o nome de Cafôfo, super-líder que por sua vez precisa de tanta coisa para se manter no topo até às regionais, muita cabecinha deve usar na caminhada - e já deu mostras de não o saber fazer. Francamente, é difícil imaginar aquele PS, com as figuras que lá estão, ganhar seja que eleição for na Madeira, mesmo que o sorriso de Paulo Cafôfo não se apague daqui até à hora da verdade.






RATOEIRAS NA PROMENADE





O repórter bem situado no terreno apanhou à hora certa o nosso prezado Amigo António Abreu a fazer cálculos sobre a melhor maneira para mandar tapar buracos na promenade que vai da Praia Formosa a Câmara de Lobos. Nem de propósito. Estava eu de lápis em riste para lançar um apelo aos responsáveis sobre um problema subjacente, literalmente falando, ao que levou o patrão das Sociedades de Desenvolvimento a sujar os sapatos. 

Os 4 Padrinhos do Apocalipse

“É preciso encontrar uma saída digna para o atual Presidente do Governo, não é fazerem o que fizeram comigo” ¹. A profecia de Alberto João Jardim, sobre o futuro político de Miguel Albuquerque, não podia ser mais direta e venenosa.
Curiosamente, na véspera, Miguel Albuquerque tinha sido aconselhado por um militante do PSD Madeira “a se afastar da liderança do partido (…) por antever que o atual líder dos social-democratas não tem condições para ganhar as Eleições Regionais” ².

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Esclarecimento


Se a Câmara estivesse à espera do PSD
andava à velocidade do ferry prometido

A Câmara Municipal de Santa Cruz vem, por este meio, esclarecer o PSD de que não esteve este tempo todo à espera dos alertas dos seus deputados da República e de dirigentes locais para fazer aquele que é o seu trabalho na defesa dos interesses da população de Santa Cruz. Aliás, se a autarquia estivesse à espera do PSD andava à velocidade do ferry inexistente e prometido já lá vão quase três anos.



O QUE É ESTA TRAPALHADA?


Fugi ao carnaval trapalhão e fui andar a pé na zona onde nasci e passei a minha juventude.
Infelizmente há muito que deixei de ter ilusões sobre a qualidade urbana da chamada zona turística. Consolo-me com a silhueta do ilhéu do Gorgulho, com o perfil da linha da costa e com algumas plantas que teimam em viver mesmo sem os merecidos cuidados humanos.
Mas, quando pensava que tinham esgotado as ideias para estragar com o ambiente do meu querido Lido, eis que dei de caras com uma nova aberração. Uma esplanada suspensa a sul da Estrada Monumental com pilares de ferro afincados num jardim municipal.
Esta trapalhada é clandestina ou foi aprovada pela Câmara Municipal do Funchal?
Eu e os outros pagadores de IMI temos direito a uma explicação.

Ficamos a aguardar pela demolição ou, quem sabe, por perseguição.



Funchal, 13.02.2018

Raimundo Quintal






Ir ver o Rei Momo
e encontrar o Pai Natal




O Professor Raimundo fugiu ao 'Trapalhão' e aconteceu aquilo que se pode ler e ver no artigo a seguir a este. A mim aconteceu sair até à baixa, como sempre no pós-Trapalhão, para ver a ressaca da má-língua, porém encontrar... o Natal. 
Por distracção ou por absentismo à noite, não tinha reparado que a Avenida do Mar e a Estrada da Pontinha continuam com as iluminações da Festa. Se não são as mesmas de Dezembro, são novas, mas ao estilo do Natal.
De maneira que venho Pelas PSoas pedir ao Turismo, ou lá a quem esteja a desgovernar a coisa, que não banalize o espírito de Natal. Já começo a pensar que nos Santos Populares comeremos enfeites e músicas de Carnaval. 
Em resumo, cada coisa tem o seu lugar. Ou, para usar a sabedoria popular, cada fruta tem a sua época.
Um exemplo de coerência é a aplicação dada à 'parte nobre' do 'local nobre' onde se instalou o novo Grand Café, a esquina da ex-porta da TAP: uma lambecaria, como também vi agora à noitinha. Nada como um balcão da lambeca para combinar com os lambões que ficam do outro lado da António José de Almeida, no edifício da antiga Alfândega. 
Para quem não tem ido à baixa à noite, garanto que não é brincadeira, estas imagens são mesmo desta noite.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018


RIBEIRO FRIO 
- DO PARAÍSO AO CAOS



O lugar do Ribeiro Frio reúne todas as condições naturais para ser um paraíso. A morfologia do relevo, a Laurissilva e a água associaram-se duma forma fantástica.
Mas o que a Natureza criou o homem está destruindo. O caos está instalado.
A antiga casa de chá transformou-se numa ruína miserável. Casas de banho só nos restaurantes. O centro de Educação Ambiental está abandonado e a sinalética ao longo dos trilhos é ilegível.

“A árvore mais saudável do Monte”



Jacinta Raquel Nunes


A CMF acaba de publicar um relatório que encomendou sobre a árvore que caiu no Monte, matando 13 pessoas e enviando algumas dezenas para o hospital. Resumindo o que é dito no relatório "independente" ficamos com a ideia que caiu a árvore mais saudável do Monte.
O Carvalho até estava a crescer, diz-se no texto destinado a defender o professor mentiras, aliás a ajudar o Ministério Público. Com tanta vivacidade a árvore só pode ter caído por uma deslocação do solo que provocou rutura da raiz. Como nenhum dos presentes se apercebeu de um terramoto, talvez fosse um atentado. Mas a falta de explosivos obriga a teorias mais criativas. Daí surge a incrível teoria de que a música da banda e o estalo dos foguetes provocaram a suposta rutura. A música e os foguetes provocaram a queda não das várias árvores em situação frágil, amarradas, que foram alvo de denúncia de moradores e da presidente da junta, mas da árvore mais viçosa do Monte. Continua a ser um mistério. Mais vale dizerem que um Peregrino " independente", viu a mão de Deus abater a árvore. Seria mais credível, professor mentiras" 



Rubina Berardo: reuniões esta manhã no Funchal


Após ter tomado de posse como membro efectivo da Comissão Eventual de acompanhamento do processo “Estratégia Portugal 2030” na Assembleia da República (AR),  a deputada  do PSD em Lisboa, Rubina Berardo, reuniu esta manhã, no Funchal, com o director regional dos Assuntos Europeus, o presidente do IDR (Instituto de Desenvolvimento Regional) e com a Eurodeputada Cláudia Monteiro Aguiar.

O dossier Madeira, no contexto da ‘Estratégia Portugal 2030, que regula o próximo quadro financeiro de apoios comunitários para Portugal, será uma das “principais prioridades” da deputada social-democrata junto da República e da União Europeia, através da Comissão Eventual.

Bagunça Rumo a 2019







51




Das Urgências à Necrologia


O vírus foi injectado experimentalmente na pré-campanha das autárquicas e os ratos começaram praticamente dia 15 de Agosto a propagar o pestilento veneno até chegar-se à epidemia que se respira hoje: na Madeira, há gente a morrer. Mesmo que se diga o contrário, há gente que morre nesta terra de atrasados. E que os eleitores notem bem: o sistema de Saúde não está inocente na incrível realidade, uma vez que não revela condições mínimas para baixar as doenças e as mortes.





Como diz que disse?

Satisfazendo a curiosidade (pertinente, está visto) de um Sr. Comentador do Fénix...

 Segunda-feira de manhã

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Bagunça Rumo a 2019






50




Sonhando em espanhol
com a Terceira Via











 




De olhos fechados eu votaria em 2019 numa candidatura que englobasse as revelações dos últimos anos da vida política madeirense e outros jovens de qualidade e competência que até à data não têm sentido a menor atracção pela política desqualificada vigente na Tabanca. Mas já lá vou. 
Primeiro quero saudar a sondagem em Espanha que mostra um Partido dos Cidadãos - o Ciudadanos - destacadíssimo à frente dos dinossauros PP e PSOE, deixando também lá para baixo o flop em que se tornou o Podemos de Iglésias (salvo seja).
O País vizinho está em polvorosa com a tendência que se instalou no eleitorado a favor de uma formação recente e marginal em relação ao sistema de barbas brancas como o do conservador Rajoy e o de palavreado inconsequente como o do socialista Pedro Sánchez. 
Impressionantemente, o Ciudadanos subiu de foguetão até aos 28,3%, deixando lá para baixo o PP com 21,9%, o PSOE com 20,1% e o Podemos cristalizado nos 16,8%.






Gastar dinheiro em tintas para deitar em cima de pedras, sabendo que logo mais as trupes vão sapatear até ao delírio no chão das ruas do Funchal, seria má gestão da equipa Confiança. É deixar os foliões escabaçarem o resto das linhas no desfile de hoje e no Trapalhão, mesmo que os turistas em overbookink para o Carnaval fiquem mal impressionados. E depois de eles irem embora damos à brocha. 
Sempre a pensar e a trabalhar Pelas PSoas