sábado, 29 de julho de 2017


TRUMP, MADURO E OUTROS

GAUDÊNCIO FIGUEIRA 

O Poder oprime e coarcta a Liberdade. Trump, Maduro e outros são os dirigentes que nos couberam em rifa neste sec. XXI, que não é mais nem menos conturbado que aqueles que o antecederam.


Organismos pertencentes à espécie Homo sapiens, há cerca de 70.000 anos, deram início à História. Ela é, por isso, o repositório das venturas e desventuras dos Seres Humanos, em todo esse lapso de tempo. Ao citar estes dados procuro confrontar o leitor com a relatividade do factor tempo. O Império Romano – minutos nos 70.000 anos, se o quisermos avaliar em termos de vida Humana – marcou-nos o futuro. Os Impérios Europeus, a partir do sec. XV, – outros tantos minutos – levaram ao resto do Planeta a concepção Europeia de Organização da Vida Colectiva. O Homo sapiens que hoje conhecemos tem uma natureza única e sagrada, que é fundamentalmente diferente da natureza de todos os outros seres e fenómenos. O bem supremo é o bem da humanidade.

As três religiões monoteístas (Judaísmo, Cristianismo e Islamismo) estiveram desde sempre envolvidas em forte conflitualidade. Os Europeus levaram para o Novo Mundo as suas normas aristocráticas e, ao mesmo tempo, muita gente à procura do sossego que a conflitualidade religiosa europeia não lhes garantia. A vida não pára, diz-se. Se os 2.0000 anos decorridos desde o Império Romano até aos nossos dias são minutos, os cerca de 250 anos de Independência dos EUA, seguindo-se as Independências das restantes ex-colónias do Novo Mundo, são segundos. Para nós, cidadãos cuja vida se fica pelos 70/80 anos, contentamo-nos em perscrutar estes dois secs. e meio a que, pomposamente, chamamos História.

A influência Cristã na Europa Aristocrática, em contubérnio com o Poder Temporal, não pode ser menosprezada. A dualidade entre o Bem e o Mal está sempre presente. A diferença entre quem serve a Humanidade e quem serve um déspota fica patente em dois exemplos bem Portugueses. O Padre António Vieira serviu a Humanidade! O facínora obscurantista, Teles Jordão, pelo contrário, torturou em nome de D. Miguel I, o “temente a Deus”. As convulsões sociais – Revolução Francesa e a 1ª guerra Mundial – ditaram o fim da aristocracia, repercutindo na Igreja a convivência próxima com o Poder.

Impregnando o pensamento colectivo, a prática de quem manda, desde os tempos de súbditos de S. Majestade, ao de cidadãos ditos livres, o medo impôs a sua “lei”. Não quero imaginar-me em 1943, numa cidade Holandesa, acordado, altas horas, pela voz chorosa de uma criança judia a pedir protecção. Pais e avós tinham sido levados “pelos homens maus”, mas ela conseguira escapar. Não sei qual seria a minha reacção, penso que o leitor me acompanha. Uma coisa vos garanto, o choro daquela criança acompanhar-me-ia o resto da vida.

Condenaram-se, bem, os totalitarismos nazis e comunistas. Mas se queremos caminhar em Liberdade rumo ao Bem da Humanidade, não podemos calar as formas de amedrontamento com que Trump, Maduro e outros procuram levar a água ao seu moinho. O Bem da Humanidade, para eles, é fazer negócios, atropelando as leis e levando na voragem quem lhas recorda.

Maduro, herdeiro do Chavismo, um sistema populista que cavalgou os erros e a corrupção de Adecos e Copeianos, ganhou ele próprio eleições em 2013. Nos EUA temos quezílias com o Poder Judicial e com altos funcionários. Em Venezuela a semelhança com o totalitarismo é bem mais evidente. As milícias, elemento importante para impor o terror, suportam o tirano e prestam-lhe todas as honrarias. É com farinha deste saco que surgem os guardas de Treblinka e que tiranos, Estaline é um caso, são dados como exemplo quando deixam o poder. Setenta anos de comunismo deram aquele resultado, mas trinta, prova-o a "Madeira Nova", obnubilam muita cabeça. Os prosélitos de Estaline achavam que o ditador lhes garantiu a vitória na 2ª Guerra, por cá acreditam que derrotaram a "Madeira Velha". Num caso e noutro estão sem futuro.   

Falei do comportamento de dirigentes que queremos respeitadores da Lei, mas que tentam subvertê-las. Hoje o contubérnio não é entre o sangue azul e o Cristianismo. Ele existe entre as elites financeiras (Maduro cairia se a Goldman Sachs não lhe comprasse dívida) e os políticos. Os ditos “mercados financeiros” – não são religião, pois os dogmas que nos querem impor nada têm de sagrado – usam linguagem hermética para a qual temos de estar atentos. Maduro e a Venezuela provam-no à exaustão. Maduro cairá, mas os Venezuelanos vão sofrer para pagarem a dívida contraída
.

13 comentários:

Anónimo disse...

É por cá calhou-nos o Cardoso Jardim, para mal dos nossos pecados.
😜

Anónimo disse...

Quando se diz que se derrotou a Madeira velha nunca quis significar a moda chavista espoliar ou acabar c o domínio económico mas sim que se criaram condições para que os mais desfavorecidos tivessem acesso a condições condignas de saúde educação emprego e habitação não baralhe venenosamente a história só porque está ressabiado com ela e já agora fazer uma comparação da Madeira nova com o nazismo o Stalinismo ou o chavismo é de uma desonestidade intelectual grave. O que vale é que os seus pensamentos valem o que valem....

Anónimo disse...

Os emigrantes venezuelanos sao todos bem vindos em Portugal, palavras de ministro. A Madeira tera ajuda fisica, tecnica e financeira, os Madeirenses abandonam a regiao aonde nao ha apoios e os mesmos politicos querem a vinda destes "refugiados" e anunciam que os vao ajudar.

Jorge Figueira disse...

Um esclarecimento ao meu texto impõe-se.
A vitória na 2ª guerra para os "órfãos de Estaline", o homem garantiu 70 anos de vida ao comunismo, impede-os de ver para além disso. Nos 37 amos de "Madeira Nova", a Obra Feita, está para o homem que liderou durante esse tempo, como a 2ª guerra para Estaline.
Falei de totalitarismos. Referi o que é governar pelo medo, desde Hitler a Estaline passando a Trump Maduro e outros. Não comparei, por ser incomparável, a Madeira a Venezuela.
Porém, ocorreu-me uma pergunta. Aqueles que, fundamentados na Obra Feita tudo aceitam, como acham que um dirigente que ameaçou - não tendo poderes para isso - afundar os barcos de pesca vindos de Câmara de Lobos agiria se mandasse nas FA's como acontece com Maduro? No que respeita à constituição de milícias já tivemos uns ameaços com o deputado incontinente urinário e voluntários não faltam para função.

Fernando Vouga disse...

Importa dizer que não há totalitarismos maus, bons e assim-assim. Só há totalitarismo maus.

Anónimo disse...

Jardim ao pé de Costa e Trindade era um aprendiz.
Jardim ao pé Iglesias e Cafofo era uma criança

Jorge Figueira disse...

Ninguém quer prestar atenção à "camaradagem" entre o dinheiro e a política que, fazendo falir bancos para todos nós pagarmos, nos impõe o pior dos totalitarismos.
Os "missionários" dos mercados, pagando-se bem, enganam os tolos fazendo-os pagar o enriquecimento de poucos com o prejuízo de muitos.
Tem toda a razão Fernando. Não há totalitarismos bons nem maus. Já foi assim noutros com contexto diferente, por exemplo, com Fidel Castro e Somoza. Hoje um Tirano é mau seja à direita - Trumo - , ou à esquerda - Maduro.

Jorge Figueira disse...

Volto, tenho duas incorrecções no texto. Deve ler-se: Já foi assim noutros tempos em contexto... ; Hoje um Tirano é mau seja à direita - Trump -....

Anónimo disse...

Hoje deve ter havido uma descoordenação qualquer entre o pasquim/boletim oficial e CMF.
Então vão dizer que o Lido teve muito mais utentes.
Isso significa que teve muito mais receita.
Quer isso dizer que então os custos enormes que o Prada denunciou serão mesmo gigantes.
Muito devem estar a esconder nas contas de 2016 da Frente Mar.
MP investigue e demonstre que está vivo

Anónimo disse...

O AJJ já confessou que não é politicamente correcto e que se diverte com isso. Ele foi um enternainer que se divertiu à nossa custa durante dezenas de anos.
Querem que ele se responsabilize porquê?
Ele tem à sua volta centenas de"milicianos" prontos a defendê-lo. As milícias não são exclusivas do Maduro. Aquilo é renovadinhos e FB com centenas de lambe-botas a incensarem o Chefe.
Um dia destes alguém leva com o turíbulo na cabeça

Anónimo disse...

Cafofo a se pavonear com a obra projetada e iniciada por Albuquerque , e que ele inaugurou , é a prova provada que é um sem vergonha

Anónimo disse...

E todos os que estiveram nesses governos dos Trumps e afins regionais e mundiais, são coniventes ou não? Foram seduzidos e experimentaram o delicioso carro preto do poder

Anónimo disse...

Devem ser todos fuzilados!
Escaparão apenas aqueles que se prontificarem a fazer parte do Corpo de Milícia que suporta o Trump e afins.
Cabe-lhe escolher o tratamento a dar aos que acompanham os tiranos e acabam cognominados, pelo tirano, de traidores. Excluo do castigo as bem recheadas contas bancárias.