terça-feira, 25 de julho de 2017


Rio-me



Não sou politicamente correcto.
E se alguém tem dúvidas, coitado, até hoje não percebeu o mundo por onde anda.
O preço que paguei ao longo de uma longa carreira política por não ser politicamente correcto, nem sequer me incomoda. Gozo mesmo longamente com o longo que gozei dos politicamente correctos.
Por uma razão simplicíssima. É que sou um homem livre, gozo do que me apetecer, desde que não ofenda, os outros também são livres de me gozar.
Daí, eu goze dos politicamente correctos e alguns destes me gozem. Todos entendemos a Liberdade.
Mas a maior parte dos politicamente correctos não admitem que eu os goze, nem sabem como me gozar.

E eu ser politicamente incorrecto, começa pelo regime político português que não é uma democracia com as Democracias civilizadas da Europa.
Sou oposição a este regime constitucional de 1976, um negócio para então evitar uma guerra civil. Oposição minha, esta, que não politicamente correcta.
Logo, para os fundamentalistas deste regime dos cinco partidos que o ornamentam no parlamento, camuflados de “adversários” entre si, é politicamente incorrecto eu ter sido sempre eleito num regime a que sou oposição. E com as regras dele!…
E mais politicamente incorrecto é eu recordar e me divertir com este politicamente incorrecto. Como super politicamente incorrecto é eu denunciar a censura, particularmente na Madeira, censura que se tem por politicamente correcta, na medida em que impede, castiga, o politicamente incorrecto.
Ora, em coerência com este paleio politicamente incorrecto, portanto sou livre e permito-me dizer o que apetece sobre sexo, justiça, arte, segurança, raças, ambiente, transportes, relações laborais, saúde, etc. Sobretudo o que nesta sociedade mentirosamente dita “democrática” ou “livre”, é imposto como pensamento único. E somos criminalizados se não repetirmos, encarneirados, tal politicamente correcto!…
Portanto, coerente com o politicamente incorrecto que sou, dou aqui por transcrito tudo o que os politicamente correctos querem me retirar a Liberdade de exprimir.
Agora levantem um “inquérito”.
Constituam-me arguido.
Como é que se diz?… Fixem-me termo de identidade e de residência.
Os idosos cerebrais que por ai andam, automencionados como “velhos do Restelo”, inquietos por parecer “jóvens”, que me expulsem do partido.
O regime fala de uma democracia, mas é o que se sabe. Na lógica do politicamente correcto, devia ser declarado politicamente incorrecto.
Assim, como politicamente incorrecto que sou, passava a situacionista, a politicamente correcto do regime politicamente incorrecto.
Sempre a rir da pobre gente e do pobre país que, agarrados ao politicamente correcto, esqueceram como se ri.



Funchal, 25 de Julho 2017


Alberto João Cardoso Gonçalves Jardim

32 comentários:

Anónimo disse...

Este senhor está a confundir com ser politicamente correcto e ser bem educado. Realmente ele não era nem uma coisa nem outra.

Anónimo disse...


Grande tirada.

Os tipos na Quinta Vigia estão a dar cambalhotas todos F com isto.

Lindo

Anónimo disse...

Se o Cuba Livre tivesse o devido desfecho, riamos todos!

Anónimo disse...

E o mais curioso é que este post é publicado num blogue que tem vindo a praticar a censura "politicamente correta" de cortar certos politicamente incorretos, tesourando seletivamente a contribuição dos leitores, censurando o que não se encaixa na visão de algumas maiorias ou o que não encaixa numa determinada agenda.

Anónimo disse...

O das 17:30 deve estar a confundir este Blogue com outro local onde se podiam fazer comentários anónima e livremente. Nesse sim (DN), tudo o que diz é verdade.
Começa a ser engraçado os renovadinhos transformarem os seus males em males dos outros. É o Hospital, os juros da dívida, o Barco, etc. e tal.

Anónimo disse...

Grande Alberto João és o maior politicamente correcto ou não. Politicamente correcto tínhamos um partido unido,um partido que nunca ganhou uma maioria por 11 votos.
Politicamente incorrecto vamos votar em Paulo CAFOFO para por esta gentalha deste PSD politicamente correcto a andar.
Politicamente correcto tinha um grande partido agora temos uma manta de retalhos.

Fernando Vouga disse...

Falta saber ao certo o que significa ser politicamente correcto ou incorrecto.
Presunção e água benta...

Luís Calisto disse...

Oh senhor das 17,30
Se o senhor não tem coragem de ir insultar e dizer o que tem a dizer cara a cara com os seus alvos, o problema é seu. Compre um cão. É que aqui não há jagunços para fazerem o seu trabalho sujo. E bem pode ir repetindo os 'selectivamentes' todos que quiser, que é igual ao litro.
A propósito, se o senhor quer dar um bom exemplo do que é ser 'selectivo' no bom sentido, destaque-se identificando-se convenientemente - e aí os seus comentários serão todos publicados, mas TODOS (à sua responsabilidade) sem recurso à tesoura selectiva.
Para fechar o caso, não sou seu criado. Faço o meu trabalho. Faça o seu.

Jorge Figueira disse...

Alberto, tu não disseste, mas também gozas com aqueles que te deram todas as vitórias que tiveste e mandaste para o desemprego ou para as ilhas do Canal enquanto o Brexit não os puser no aeroporto CR7.
Já o afirmaste, e é verdade, funcionas à Trump. Sais bem da borrada em que te meteste e envolveste os cidadãos? És politicamente correcto. Quando és politicamente incorrecto e enfias o barco que comandavas baixios adentro foges e vens lavar a imagem com esta e outras iguais. Tal qual o Trump!


Anónimo disse...

Mas que vergonha, qual politicamente correto, quando foi o Sr. que dividiu o partido, criando candidatos à toa, pondo todos a brigar, apoiando uns em detrimento de outro, esse outro que teve vitorias eleitorais como o Sr.. O Se. não sabe perder e como não sabe perder torna-se mau perdedor, apoiando quem lhe fez oposição durante toda a sua carreira politica e agora apoia-os, quem te viu e quem te vê, " ", ao tempo que o ser humano chega com essa sede de vingança vai morrer amargurado... Como disse uma vez e bem e passo a citar (tenho medo dos meus amigos, pois os meus inimigos conheço-os bem), e acho que não havia necessidade, mas, como diz é um ser livre por isso faz o que quer, bem haja nem todos podem e conseguem ter essa liberdade, principalmente consigo no governo eram queimados " " se dissessem o que lhes vai na alma. Tudo de bom.

Miss Take disse...

Tínhamos um Lider, AJJ, culto inteligente, educado, com visão e sentido de dever e de humor, quando politicamente correcto.
Quando politicamente incorrecto, mordaz, estratega, reles e defensor intransigente dos interesses da Madeira. Com resultados!

Anónimo disse...

Talvez queira dizer mamadeira a Miss Take

SIA disse...

Politicamente correto ou incorreto é conversa qunado deveria ser real ou irreal. real foi dispor de milhoes (quantos entraram na Madeira) e irreal foi mais de mil milhoes em contabilidade pararela que estamos realmente a pagar por causa do irreal de AJJ.
Real foi fazer as vias rapidas, irreal foi nao fzer um corredor de segurança.
Real foi gastar milhoes no lugar de baixo e outros milhoes na consolidaçao da escarpa. Irreal é o que resta lá.
Real foi construir um heliporto no Porto Moniz, Irreal foi só ter sido usado 1 vez aquando da inauguração.

Anónimo disse...

"Este senhor está a confundir com ser politicamente correcto e ser bem educado. Realmente ele não era nem uma coisa nem outra."

Um ditadorzeco, cuja estratégia política consistia em hostilizar tudo e todos e que não teve a presença de espírito de sair de cena quando as opiniões eram-lhe favoráveis.

Miss Take, que novas trazes do Quebra Costas?
Mantém-se a estratégia de escaqueirar a actual liderança do PSD-M apelando ao voto nos "independentes", Cafôfo e nas pequenas da Ponta do Sol?
Olha que o dos Canhas não terá pedalada para o Cafôfo.....

Anónimo disse...

e o senhor que perdeu 7 CAMARAS hà 4 anos, foi politicamnente correto ou incorreto?
Se Albuquerque recuperar uma só, ja é melhor que o Senhor.

Anónimo disse...

O srº ri-se de colocar os madeirenses e portossantenses a pão e água, e ter criado uma dívida de 7 mil milhões de euros para os nossos filhos, netos e bisnetos pagarem! Paga e não "bufa"! Ah povo enganado!

Anónimo disse...

Nenhum militante do PSD que se preze, votaria Cafofo...
Traidores, ressabiados!!!
Força PSD!

Anónimo disse...

É penoso o que aí vem para o PSD. O partido vai ter que fazer uma reflexão sério sobre o fosso para onde foi arrastado pelo Albuquerque, as suas promessas falsas, a sua falta de trabalho, os seus negócios e o seu desnorte. É um ponto de viragem para o PSD e a atual liderança já nada de bom tem para dar ao partido. Exige-se uma mudança!

Anónimo disse...

Ainda está para nascer um parecido ao Alberto João...

Anónimo disse...

Reflita sobre as suas palavras e veja bem quem é que dividiu o partido sendo "politicamente correto". AJJ sempre lutou pela autonomia e fê-lo durante 30 anos enquanto alguns " politicamente corretos" enchem-se de vaidade, de atitudes " politicamente incorretas" e o resultado está à vista. Antes alguém como AJJ do que um alienado e sem visão.

Anónimo disse...

A dívida, a dívida oculta, a dívida, a dívida escondida...
E a dos bancos, quantos mil milhões já foram à conta das aldrabices da Banca?!
E a dívida do País, quantos mil milhões?
E a dívida das autarquias, quantos mil milhões?
E as dívidas dos empresários a trabalhadores, ao fisco e à Segurança Social?
E as dívidas dos particulares aos Bancos, fisco e SS?
A da Madeira está à vista, é palpável e todos tiramos e tiraremos proveito dela. As outras, foram parar às mão de meia dúzia.

Anónimo disse...

Mais uma vez, em pleno calor de verão que faz mal à moleirinha, Cardoso Jardim, o homem que assinou o fim da autonomia com o PAEF,
presenteia-nos com um dos seus escritos sem sentido.
Diz que se ri de ser politicamente incorrecto, seja lá o que isso fôr. Que o ponham com termo de identidade e residência (!?)...enfim. Mais um monte de patacoadas sem nexo.
No Renovadinhos, hoje, casca no camarada Pereirinha e apaniguados.
Continuam de "férias " os amigos Cervejeiro, Sem Malícia e Betinhos. É arrefecer as orelhas enquanto podem.

Anónimo disse...

Nenhum militante do PSD que se preze votaria Rubina Leal, a senhora que em 2013 apelou para votar Cafofo.

Anónimo disse...

Alberto Jardim e os ressabiados do PSD, em 2013, perderam 7 câmaras, ficando só com 4.
Veremos em outubro de 2017, os renovadinhos do PSD com quantas câmaras ficarão. Igual, menos ou mais do que o maior desastre eleitoral na história do PSD-M, as autárquicas de 2013.
Aí é que se verá a valia eleitoral do PSD renovadinho.
Até lá, tudo o que sejam estados de alma aqui expressos, de nada valem. A verdade saberemos a 1 de outubro.

Anónimo disse...

Basta ganhar 5 para ser melhor que cardoso jardim...

Anónimo disse...

Pois basta.
E a acontecer o que dirão os ressabiados e o chefe Cardoso Jardim ?

Anónimo disse...

Coitados dos renovadinhos perseguidores, falsificadores de de documentos e roubo de identidade...esperem sentados, daqui a dois meses, acaba tudo!

Anónimo disse...

Falsificadores de documentos ?
Isso faz lembrar um célebre lider jota que chorava em conferências de imprensa e urinava em carros da polícia.

Anónimo disse...

Também lembra outro jota deputado de Câmara de Lobos...
Que raio, aquela organização dá cursos de falsificação de documentos ao pessoal ?

Anónimo disse...

Vá inventar para outro lado pah!
Força Rubina... Não ligues às más línguas!
Rumo à CMF!

Anónimo disse...

Publicamente Correto GRANDE PRESIDENTE Dº ALBERTO JOAO

Anónimo disse...

Este senhor ainda não aceitou que o seu tempo já passou.
Foi extremamente importante para a nossa Região, mas acabou! Deixe os outros trabalharem...