sexta-feira, 7 de julho de 2017

Essa é que é essa!


O incendiário


Um indivíduo alegadamente acendeu um fogo.
Os proprietários dos terrenos não os limparam.
A Câmara Municipal do Funchal e a Direção Regional de Florestas a poucos ou nenhuns proprietários intimaram para proceder à remoção de matéria orgânica. Estas entidades também os poderiam ter substituído nessa limpeza e imputado os custos em seguida aos proprietários[i].

A Proteção Civil alegadamente não sabia que o vento passaria a vir de Norte, embora os modelos meteorológicos utilizados pelo IPMA o previssem, pelo que algum funcionário não teve o zelo adequado à função.
O Presidente do Governo Regional disse publicamente que estava “tudo controlado”, fazendo com que alguns baixassem o seu nível de alerta e fossem dormir descansados.
No final, a culpa foi atribuída só a um: o que tem menos poder. Esta situação é um bom retrato da Sociedade madeirense. Se esta situação se mantiver, os poderosos serão cada vez mais poderosos, e os menos poderosos estão a caminho da indigência.

Se a culpa também fosse das entidades públicas, então estas e seus dirigentes seriam obrigados a indemnizar os que sofreram prejuízos[ii].


Eu, O Santo






[i] Decreto Legislativo Regional 18/98/M
[ii] Qual o interesse em criar Planos e Leis para prevenir incêndios, se a seguir os líderes das entidades públicas serão prejudicados por os tentarem implementar, e beneficiados e não serão inculpados em caso de falta aos seus deveres funcionais?

11 comentários:

Anónimo disse...

Seguindo essa lógica, todos nós somos culpados, incluindo O Santo, por não ter levantado o rabo da frente do computador, pegado na enxada e ido limpar uns terrenos aos proprietários que os abandonam. E não se esqueça de lhes enviar a conta, que com certeza irão pagá-la, com um gratificado pela maçada!

Anónimo disse...

isto é tudo fácil quando se vive num apartamento e o única terra que se tem é a que veio agarrada nas botas

não querem fogos vaiam vir no deserto

amsf disse...

Há quem tenha movido processos civis contra o incendiário no sentido de ser indemnizado pela perdas. Imaginemos que o incendiário era também condenado nestes processos e que tinha dinheiro para pagar as indemnizações, agora imaginemos que os beneficiários tinham beneficiado das ajudas públicas e dos donativos para repor os bens perdidos, será que o tribunal dar-se-ia conta de que estas pessoas estavam a ser indemnizadas duas vezes?!
Será que os que tinham um seguro contra incêndios e que não necessitaram de fundos públicos e de donativos não "mereciam" ser indemnizados pelos prémios de seguro pagos durante tantos anos!!!?

Anónimo disse...

Só posso concordar. Incendiários, pessoas malucas, perturbadas, vai haver sempre. Tem que haver mecanismos que funcionem quando um maluco qualquer decide pegar fogo a uma mata, mecanismos que controlem rapidamente um incêndio e que evitem que se transforme numa catástrofe, como a que aconteceu em Agosto do ano passado.

Portanto para mim os grandes responsáveis foram o Governo Regional e a Câmara. O incendiário foi castigado de acordo com a lei. Muito bem! Mas, e os responsáveis políticos que permitiram que grande tragédia tivesse acontecido?

É bom que as pessoas se lembrem que nas semanas anteriores ao grande incêndio do Funchal o Albuquerque andava era muito preocupado com as homenagens aos Ronaldo, empenhado em fechar a Praça do Mar para que a presença do povo naquela praça pública não incomodasse o hotel do Pestana, andava ocupado a pensar em mudar o nome do aeroporto, andava a oferecer de mão beijada 300 mil euros ao rali, etc. O Albuquerque nunca demonstrou preocupação com o perigo dos incêndios, nunca quis assegurar a segurança dos madeirenses.

Mas o Cafofo não foi muito diferente. Também não fez o que podia ter feito. O PDM continuou na gaveta sem que fossem definidas as zonas de perigo, sem que fossem limpos os terrenos, nem a Câmara entrou nos terrenos para os limpar, nem obrigou os proprietários a fazê-lo. E nas semanas antes do grande incêndio também mostrou a mesma irresponsabilidade do Albuquerque. Pois só se preocupava era com eventos e espetáculos, pagava muitos milhares de euros para trazer grupos musicais para o Funchal. Só pensava na cultura, queria que o Funchal fosse a capital da cultura, mas andava mas era a embalar o povinho com música e festinhas. Depois dessa incúria veio o espetáculo que ninguém queria ver: o Funchal a arder!

A culpa continua a morrer solteira. Condenar o incendiário é só uma parte da responsabilidade do que aconteceu. Os maiores responsáveis foram os que podiam realmente ter feito a diferença e evitar que acontecesse uma catástrofe tão grande, mas andavam os dois a tocar viola, ocupados com coisas sem interesse nenhum.

Anónimo disse...

Santo,

Até que enfim estou de acordo consigo.
E olhe que é obra !

Anónimo disse...

Albuquerque e Cafôfo para a rua! Já demonstraram variadas vezes que são um bluff e um poço não de água, mas de incompetência!

Anónimo disse...

Uma opinião lúcida. Subscrevo na íntegra

Anónimo disse...

E a nossa justiça cega lá lançou a sua mão pesada sobre um desgracado alucinado que certamente não tinha noção do que estava a fazer. Mas a justiça convém dar castigos exemplares nestes casos fica de consciência tranquila satisfaz o poder e serve a perfeita expiação de todas as culpas do caso. Tinha curiosidade em saber como o tribunal fez o nexo de causalidade entre o acto do fulano e os resultados foi tudo devido à ação deste puto de 24 anos?? Obviamente que é um desgracado a vítima ideal para expiação de culpas se tivesse outra condição social certamente a pena não teria sido a mesma. E certamente tb que foi defendido por um oficioso. Não estou a aceitar o acto do rapaz só me incomoda que se crie mais uma vítima do sistema judicial iníquo que para branquear todas as outras responsabilidades prega c 14 anos de cadeia a um puro de 24 anos que certamente sairá da cadeia mais delinquente que nunca. Onde está a prevenção especial? Já agora ao MP enquanto representante do estado não lhe cabia outras acções de responsabilidades quica contra o governo contra a autarquia???

Anónimo disse...

Será que este triste teve o chamado fair trial?? Mas fica toda a gente contente a populaça tem o culpado o poder tem o escudo perfeito e o tribunal reconcilia-se com o poder e a populaça. Em Roma não seria melhor....

Anónimo disse...

Pelas declarações que ouvi, parecia que o advogado do rapaz não sabia bem o que tinha acabado de se passar.

Anónimo disse...

E a nossa justiça no seu melhor os oficiosos ou não sabem o que estão a fazer ou estão se a c...ar e nisso se estraga uma vida de um jovem de 24 anos e todos dormimos satisfeitos porque há um culpado para todas as responsabilidades... Este povo superior é uma maravilha