quarta-feira, 12 de julho de 2017

À atenção do Blue Establishment



Vamos lá ver se percebemos bem: o governo vai libertar 2,6 milhões de euros fresquinhos...




...E não se lembra de mandar 'algum' para as empresas locais, que é para isso que aqui andam?



Não brinquem com coisas sérias. O Blue King das Angústias não tem culpa, segundo os próprios queixosos, mas ele que não se faça distraído e ponha as suas "segundas linhas ridículas" a desviar a agulha dos ajustes directos para quem precisa - em vez de andarem a mandar dinheiro para empresas cubanas, por mais baratas que sejam.
Um pedido: deixem-se de perseguir o Pedro Morgado. Ainda não estão satisfeitos com tantos mártires da Informática tabanqueira mandados para a pobreza extrema?
Se querem brincadeira, parece que terão de ouvir música garrafal às segundas, quartas e sextas. Ou julgam que a música pedida é só para o Pedro Ramos, o inimigo dos suplementos e encartes?

7 comentários:

Anónimo disse...

Não vai chegar nada ao Câmara?! Estranho.

Anónimo disse...

Saiu o Cunha e Silva, acabou-se a mama da MCC, dos sócios Câmara do DN e Morgado que agora vem chorar.
Além dos cubanos agora é preciso dar ao Sousa do Valley que patrocina o filho do Rui Abreu. Houve um director regional que não percebeu, não lhe devem ter feito um desenho, o Sousa espingardeou e a coisa var ser anulada, para novo procedimento.
E sempre é empresa regional, ainda por cima do Valley.

Anónimo disse...

Desde que mamem os do costume, que se lixe as melhores condições e o melhor preço! É assim mesmo...

Anónimo disse...

são precisos patrocinadores para o menino fazer corridas e os de cá dão muito nas vistas.

Anónimo disse...

mas a MCC não ia fazer uma parceria com o da Ribeira Brava ? eles andaram por lá

Anónimo disse...

Até pode ser para patrocinar um carro, uma bicicleta,seja o que for e para quem for.
Isso é outra história.
Todos os concursos não deviam ser públicos e livres de modo a que cada empresa possa apresentar o seu produto e as suas condições?
Isto é que é importante,onde anda a transparência nos concursos públicos?
Sabemos que de uma forma ou de outra vai bater sempre ao mesmo lado,mas,sejam ao menos mais discretos.
Agora é tudo á descarada, dá a sensação de que alguém,alguns se querem limpar o mais rápido possível.
Outubro está aí á porta,avizinha-se uma vitória da oposição,mas isso passa ao lado de quem ainda tem pela frente mais dois anos a fazer concursos.depois,bem depois ficam na oposição a manter e a gerir os lucros.
QUEM VIER A SEGUIR QUE FECHE A PORTA

Anónimo disse...

Os concursos tem de cumprir a lei e a lei diz que até 101 mil e poucos euros o regime a adotar é o ajuste direto, mas o ajuste direto é sempre feito com convite a pelo menos 3 empresas e no caso do governo até convidam mais que isso em todos os procedimentos.
O problema que é colocado não é uma questão legal, mas sim o facto da MCC e outras empresas regionais, eventualmente não terem sido convidada para alguns ajustes diretos.