sexta-feira, 14 de julho de 2017

Verão porto-santense


Fim das obras na 'Baiana'




A castiça 'Baiana', antigo ponto de encontro da Vila Baleira, está pronta a voltar ao activo. As obras de restauro estão a findar e na próxima semana o estabelecimento do empresário local José Manuel Dias estará em condições de se submeter à vistoria, para depois enfrentar a enchente turística do escaldante Verão porto-santense. Isso, claro, se o presidente da Câmara entender que está tudo nos conformes.

10 comentários:

Anónimo disse...

Excelente Trabalho do Governo Regional! Vamos ver é se a câmara não de vinga por pura inveja de ter sido o GR a realizar a obra

Anónimo disse...

Espero é não estar a almoçar e me caia um tijolo em cima.

Anónimo disse...

Quem pagou as obras? Quanto custou?
Quanto vai pagar de renda? Qual o prazo de recuperação do investimento?
Dúvidas que assaltam mentes curiosas que acompanharam, em tempos, este processo, debatido na esfera pública pelo Menezes e com setas apontadas à Sociedade desenvolvimento e ao Governo.

Anónimo disse...

Hoje em dia não é necessária vistoria da Câmara, mas sim, uma comunicação prévia de abertura.
Se as obras foram licenciadas, basta abrir.

Anónimo disse...

E acrescento: se as obras forem interiores e de beneficiação, nem de licença precisa.

Anónimo disse...

Depois do chumbo do orçamento na assembleia municipal ele disse logo que a Baina não abria... E era vê-lo ligar logo do seu telefone a alguém onde se ouviu. "A Baiana não abre!".

Anónimo disse...

Ainda bem. A Baiana é uma referência.

Anónimo disse...

Nao foram so interiores , mas neste caso necessitam de vistoria

Anónimo disse...

Meneses é tanga.

Anónimo disse...

Quem esteve presente no comicio do meneses no Porto Santo?
Por acaso passei por la,e, que decepção.
Com bandeiras do ps umas 30 pessoas, o resto só curiosos.
E ainda falam em centenas de pessoas presentes.
Mais uma historieta do meneses a tentar enganar os ceguinhos.
Meneses já foste. Dedica-te à tua profissão, porque nela vais ter zero clientes, porque já te conhecem, o trafulhas que és.