domingo, 13 de agosto de 2017

Autárquicas 2017


João Gabriel apresenta medidas 
para combater êxodo em Santana

O PSD quer combater o êxodo rural, sobretudo dos mais jovens, em Santana. E aponta este propósito como uma das prioridades para os próximos quatro anos, se reconquistar a autarquia. Neste sentido, João Gabriel Caldeira, candidato à presidência da Câmara, anunciou ontem um conjunto de propostas que visam fixar os jovens e combater a sua emigração.

Com efeito, João Gabriel Caldeira assume que é objetivo estratégico do seu projeto autárquico para Santana, da candidatura do PSD, “dar voz à Juventude, porque sente-se que a Juventude está um pouco abandonada”.
“Se ganharmos a Câmara, uma das primeiras medidas será constituir um conselho municipal de juventude, para que, no fundo, as suas ideias, as suas expetativas, as suas motivações, possam se refletir no que serão as decisões autárquicas”, prometeu.
Em segundo lugar, afirma que vai criar o Cartão Municipal da Juventude, para que os jovens possam usufruir de redução das taxas municipais, como as referentes à habitação. “Também pretendemos agregar instituições públicas e privadas, para que as mesmas possam colaborar nesse cartão, em sectores como a restauração, a hotelaria, as pousadas de juventude, etc”, complementou.
O candidato diz ainda que “é preciso apoiar e valorizar o empreendedorismo jovem”. “Nós sentimos que existe alguma dificuldade dos jovens em se fixar e constituir as suas próprias empresas. Naturalmente que os recém-licenciados têm aspirações e motivações muito próprias, pelo que temos de lhes dar condições para que se possam fixar no concelho”, acrescentou.
João Gabriel Caldeira realça ser fundamental recolocar o concelho de Santana no caminho do desenvolvimento e da dinâmica, dando aos jovens a possibilidade de se expressarem. Neste sentido, afirma ser imperioso ajustar as decisões camarárias por forma a que os jovens se revejam nelas.
“Nós sentimos um êxodo rural por parte dos jovens. Grande parte dos jovens que saem para exterior (para o estrangeiro, mas também no Continente) têm uma escolaridade muito elevada. Nós queremos estancar essa emigração massiva. Assim como está, a taxa de natalidade decresce. Somos um concelho cada vez mais envelhecido e com menos gente. A última estatística diz que só estão cá a viver 6.876 pessoas, num concelho que já teve 15 mil pessoas”, alertou.
O candidato social-democrata refere ser obrigatório inverter essa tendência. Para tal, lembra, há que proporcionar aos jovens “melhores condições e melhor qualidade de vida”.
“Queremos que esses jovens se fixem cá, que fiquem cá, que invistam cá”, concluiu.
Texto e foto: PSD

1 comentário:

Anónimo disse...

Louvável a preocupação com a juventude num concelho a norte desertificado no qual a fixação dos jovens é nula. Outros concelhos deveriam manifestar idêntica prioritário, S. Vicente por exemplo, cujo manifesto é completo, quase exclusivamente por medidas a curto e médio prazo como a construção de caminhos agrícolas, transporte e doação de livros, entre outros. Pobre, cada vez mais isolado está S. Vicente. Há que estudar medidas na àrea da juventudo Sr. presidente.