sábado, 17 de dezembro de 2016

Solidariedade



Donativo de 3000 euros atribuído a vítima de incêndio que ficou fora do PROHABITA




A Associação Recreativa União da Mocidade entregou hoje um donativo de 3.000 euros, em materiais de construção, ao proprietário de uma habitação e oficina de carpintaria fustigados pelos incêndios de agosto deste ano.
O valor angariado no concerto solidário de Bandolins da Madeira, foi entregue por Marco Ribeiro, presidente da Associação que organizou o espectáculo, a António Pimenta, que por coincidência colaborou em muitas obras de carpintaria daquela instituição.


Coube à Junta de Freguesia de São Roque indicar a pessoa a quem doar a verba angariada, e a escolha recaiu sobre uma pessoa que ficou excluída dos apoios do PROHABITA.
“Como sabemos o apoio que vem da República para os incêndios não vai contemplar cerca de 30% das pessoas afectadas pelos incêndios, porque o rendimento do agregado familiar ultrapassa os três IAS, ou seja, três salários mínimos”, destacou o presidente da Junta de Freguesia.
Pedro Gomes anunciou que a partir de agora todos os donativos que receberem na Junta de Freguesia de São Roque irão reverter a favor daqueles que ficaram fora do PROHABITA. “Como essas pessoas não vão ter o apoio financeiro do Estado, todos os donativos que vamos recebendo na Junta de freguesia de São Roque, vamos distribuindo para ajudar estas pessoas que, não tendo muito dinheiro, estão um pouco acima dos valores mínimos”, explicou.
“A nossa indicação para o donativo oferecido pelo Recreio Municipal foi o Senhor António Pimenta, que se não tivesse seguro e que se não tivesse apoio com alguns donativos não teria qualquer hipótese para reconstruir a sua casa”, disse Pedro Gomes.
O presidente da assembleia da Associação criticou a posição de Lisboa face às vítimas dos incêndios. “É importante dizer perante o nosso Estado da República que um agregado familiar que aufere de mais de três salários mínimos por mês, passa a estatuto de rico, ao ponto de não precisar de ser ajudado, quando é vítima de uma catástrofe destas e fica sem nada. Depois temos que arranjar outras soluções, porque estas pessoas precisam mesmo de ser ajudadas. Foi o que se passou com o senhor Pimenta que ficou fora desse programa de ajuda”, referiu Gil Caroto.
António Pimenta agradeceu o donativo, mas reconhece que não é fácil. “Não é fácil ao fim de 51 anos de trabalho sair de uma casa com lume e chegar dois dias depois e não ter uma roupa para vestir. Perdi a casa e a oficina de carpintaria que ficava ao lado”, explicou.

“Não sou a única pessoa que sofre, há muita gente a sofrer”, garantiu António Pimenta. Ainda assim “estou com vontade de construir”. Para quem perdeu a sua casa deixou uma mensagem de esperança: “olhem para a frente porque o mundo não acabou, agora é tempo de construir”.
Texto e foto: PSD

6 comentários:

Anónimo disse...

Esta solidariedade provém de uma associação independente, sediada em São Roque, chamada Recreio Musical União da Mocidade, que não pertence ao PSD. Portanto dizer que este donativo é solidariedade laranja é cumprimentar com o chapéu alheio.

Os 3000 euros foram angariados num concerto de beneficência realizado recentemente pela Orquestra de Bandolins da Madeira no auditório do Centro de Congressos da Madeira, com a presença do tenor Carlos Guilherme.

Esta orquestra pertence ao Recreio Musical União da Mocidade, de quem partiu a ideia da realização deste concerto solidário. Esta associação centenária é independente e não pertence ao PSD, portanto dizer que este foi um acto de solidariedade laranja é uma aviltante mentira e aproveitamento político dum nobre gesto oriundo desta associação.

Luís Calisto disse...

Tem toda a razão. Mas, no caso, não se trata de aproveitamento político, e sim de 'azelhice' cá do Fénix.
Uma vez que o texto e a foto foram enviados pelo PSD e aparece a imagem do presidente da Junta, Pedro Gomes, julguei que se tratava de mais um comunicado como outros, partidário.
De modo que já retirei o indevido 'laranja', bem como as cores do título.
Com as desculpas da ordem, viva o União da Mocidade, embora eu convivesse mais com o 20 de Maio, desde os tempos do Sr. Valente, passando pelo Acácio, Luís e tantos outros.

Anónimo disse...

Tá desculpado. Abraço.

Luís Calisto disse...

Abraço e Bom Natal.

Anónimo disse...

É claro que não é aproveitamento do PSD. O Presidente da Junta de São Roque, um perigoso comunista, está na foto para promover... o PC. Querem ver?! E se fossem dar banho ao cão?!

Anónimo disse...

Concordo com o anónimo das 14.15 o senhor presidente da junta não tem nada a ver com o psd Lolol e uma pouca vergonha o triste aproveitamento que se faz da desgraca alheia e os desgracados ainda tem de posar para a foto enfim há todo um aparelho parasita qye se alimenta do chamado social a miséria alheia ou a pobreza ou a indigência etc quando importa é erradicar a pobreza por ex dando empregos etc não é dando comida do banco alimentar e cousas que tais p poder caçar votos por gente sem vergonha triste região