quinta-feira, 25 de maio de 2017

Sérgio escondido com o rabo de fora



O secretário regional tem alguma esperteza,
mas falta-lhe a 'malícia' do bom político



Ouvi esta manhã declarações de Sérgio Marques, figura de proa do Blue Establishment e do ex-PSD, perorando acerca da 'entrada em vigor' do futuro JM, com formalização marcada para esta sexta-feira. O sucedâneo do órgão da diocese passa então para as mãos de Avelino Farinha, patrão da AFA, e do ACIN, para adornar. 
E então dizia na rádio o matreiro do Sérgio que está cumprida mais uma medida do programa de governo, acrescentando, muito grave, que Zé Povo sai desta engenharia toda aliviado em 3 milhões por ano, que era o que custava ao erário o eternamente infeliz jornal.
Veio-me à cabeça: mas então quem é que vai cobrir a despesa daqui para a frente?


 O Avelino Farinha não será, com toda a certeza, porque é homem de negócios e se aceitou meter-se na alhada foi, pelo contrário, com a condição de levar 'algum' pelo seu trabalho de facilitar a vida ao governo regional na obscura maquinação.
Lembremo-nos de quando Avelino quis, há um par de anos, ficar com a RJM, propondo-se pagar cento e tal mil euros. Rejeitado. Pois agora ele fica com a rádio por apenas 10 mil e, como na banha-de-cobra, leva ainda o JM. E só pagou 5 mil; os outros 5 mil, presume-se, competem ao tal da Ribeira Brava que andou nas viagens com a nomenklatura, a promover a Madeira lá fora e a estreitar laços com a diáspora. 
Entretanto, os venezuelanos que integram o misterioso consórcio, apertados que andam pelo controlador Maduro, também não estão para deitar dinheiro fora e arriscar o pêlo. Quando muito, vão cobrar o trabalho que lhes está distribuído no intrincado processo-jornal. As coisas continuam feias e a crise venezuelana torna mais desesperados e perigosos os que foram lesados pela quadrilha das acções furadas, lixo bancário e telexfree. Andaram lá todos na prospecção, a viver como nababos. Pelo que, mais tarde ou mais cedo...
Quem pagará então a estrondosa factura mensal do JM?
Serão os comerciantes e os empresários cá da terra, publicando anúncios a rodos, quando mal conseguem receita para pagar aos empregados e manter as portas abertas - quando mantêm?
Com o povo na miséria, sem emprego nem dinheiro para remédios nem para educar os filhos, será que haverá corrida em massa às assinaturas, tão intensa que o sector financeiro do jornal ficará resolvido?
Ora, Sérgio Marques está a querer zombar do pagode tentando fazer crer que um jornal pode ser viabilizado na maior das normalidades editorial-comerciais em contra-ciclo com a voragem dos tempos, isto é, quando a imprensa tem os dias contados, infelizmente.
Manter um jornal em papel é uma fortuna incomportável na actualidade e alguém terá de pagar o 'projecto', bem como a sua vivência no mercado.
A partir de agora, não haverá orçamento estatal para o JM, porque o governo o vendeu (praticamente à borla). Haverá o MediaRAM 'mais do mesmo', com 300 mil a cada candidato aceite. Não haverá suprimentos. Haverá suplementos. Quando não houver anúncios necessários, haverá publicidades desnecessárias. 
E quem é que estará a pagar isso se não o governo, ou seja, o contribuinte?!
Não brinques com coisas sérias, Sérgio! 
Ah, e com uma situação nova: agora, será um balúrdio a multiplicar por dois. Como já se vê.
Como o 'pluralismo': esta manhã, o Sérgio (gravação pós-plenário de ontem) dizia, também sem se rir, que agora ele está garantido, o pluralismo. Grande lata vem revelar o nosso 'sem malícia'! Mas mesmo grande! Tão grande lata que nem sequer merece comentário. 'Por ahora', por supuesto.
Convém deixar só este conselho: os autarcas que se atreverem a não alinhar nos negócios ecotrails, MTV-Sousa e quejandos, quando apanharem a série de artigos a lavar no seu mandato, que vão ao outro jornal fazer a queixa. Com tanta pluralidade!...
Então e a oposição, que outrora via em cada meio de comunicação uma central de propaganda do sistema, que anda tão calada a ver se ninguém repara na sua cobardia?! Onde andam esses arautos da liberdade, da verdade, da deontologia?!
Ora! Defensores do povo, sim, mas devagar; primeiro há que defender o tachinho de carreira. E quem estiver queimado num jornal é estar frito em dois.
E o Sindicato dos Jornalistas, que outrora não se incomodava de atacar os próprios profissionais associados que se viam metidos em camisas de onze varas? Claro, perdeu a fala. A vida está difícil para todos. 
Quanto a Sérgio, que costuma viajar para o Reino Unido quando o incêndio lavra na Venezuela, tal como Albuquerque, concluiu as suas declarações pós-plenário com um grito de vitória significando mais ou menos o seguinte: os dois órgãos da imprensa diária madeirense têm agora sustentabilidade garantida. 
Vêem? Só se calou depois de ter o rabo de fora. Falta de malícia.
Para terminar: se na era PSD havia um sorvedouro em nome do pluralismo, na era ex-PSD há dois, em nome do 'vira o disco e toca o mesmo'.   

43 comentários:

Anónimo disse...

Parece que muitos dos que eram contra que o JM fosse público, agora são contra a sua passagem a privado. A Intenção é ficar só o DN? Com os dois milhões globais que recebe de dinheiros públicos (CMF, AMRAM, apoios do Governo da República, impressão e distribuição do JM, Meadiaram) é o maior sorvedouro do estado e do zé pagode.

Anónimo disse...

Uma dor de alma, é o que esta gente do Albuquerque provoca a quem se importa com a Madeira. Está tudo a saque.

Anónimo disse...

Sim. A intenção a prazo é ficar só o DN, porque não há mercado publicitário para dois.
Claro que acabar com o JM não poderia ser nesta altura do campeonato. Assim foi encontrada esta solução, e a seu tempo as coisas seguirão o rumo esperado.

Anónimo disse...

Não é este Secretário Regional que andou a espatifar o nosso dinheiro nas Ribeiras e agora quer dar 7 Milhões, leram bem, 7 Milhões por uma centena de metros na foz da Ribeira da Madalena do Mar quando não existem praticamente nenhuns moradores na zona e já existe pedra e areia quanto baste na mesma.
Investiguem, não será que o mesmo proprietário do JM quer construir um Hotel nas redondezas e este Secretário já quer preparar as infraestruturas e não só.
Antigamente o Backmayer tinha um projeto para essa zona.
Estamos bem entregues a estes Renovadinhos, reparem no outro Secretário que vai fazer uma comemoração a brava no próximo dia da Região ao espatifar 252.000 euros nos Barquinhos Voadores que no ano anterior trouxeram a Região.... 120 turistas!

Anónimo disse...

E que significa a escolha do Agostinho Silva? O Blandy e o Zé Cãmara estão por detrás?
Que raio de pluralidade será esta?
Gostava de ver um Jornal autêntico e concorrente.
Hoje um jornal em papel não é fácil.
Mas com a reduzida redação que cada um tem...está mais fácil. Ainda por cima com alguns estagiários pagos pelo desemprego
Os 300 mil anuais do governo dão para o papel.
Com algum engenho tb vai dar para o novo JM se for a sério.
Se dá para o diário tb dará para o JM Mas a sério.
Façam concorrência de verdade entre os dois e ficamos todos (leitores) a ganhar.
Com o Diário por detrás será uma farsa

Anónimo disse...

Ai sr presidente. Os seus maiores inimigos continuam aí dentro.... preferem perder eleições para o tentarem tirar daí do que lutar internamente por uma liderança.... enfim.... politiquices

Anónimo disse...

Eh pá até dizem de lá do Diário que o Agostinho sai com uma licença. Se o JM não ser certo tem o lugar garantido no Diário.
Assim será mais um Noticias da Madeira patrocinado pelo Diário?

Anónimo disse...

E o dinheirinho poupadinho (2.400Milhões) vai para o Rui Gonçalves reduzir dívida à pressa, ou vai aliviar os contribuintes? que andaram a pagar anos a fio essa propaganda jardinista?

Anónimo disse...

Um aparte antes do comentário: junte-se a este pertinente artigo a leitura da in Crónica urbana, de Rui Marote, no Funchal Notícias, sob o título «A ‘equipa B’ presta vassalagem à coroa britânica».

O que se passa na imprensa escrita aqui na Madeira é muito grave e muito perigoso. Não esqueçamos que a maturidade democrática em qualquer sociedade também é aferida pela qualidade e pluralidade da sua comunicação social.

Resvalamos para a insidiosa hegemonização do pensamento único em que o exercício do contraditório passa a ser a exceção, quando deveria ser a regra; em que o cinismo e a sofreguidão egoísta de status se sobrepõem à ética, ao arrojo e ao dever deontológico da informação verdadeira e verdadeiramente isenta.

Infelizmente todo este pernicioso processo passará sem que a maior parte dos contribuintes que, como o artigo diz e bem, é que suportarão os encargos dos onerosos suplementos e bafientas páginas de publicidade institucional, se aperceba das suas reais repercussões.

É um dia triste…..

Anónimo disse...

Acho muito bem a pluralidade, mas com o dinheiro dos privados.
Com o dinheiro dos meus impostos é que não. É que ainda há cerca de 50 milhões de euros para pagar, das loucuras do Cardoso Jardim no JM.

Anónimo disse...

O Agostinho Silva não se devia sujeitar a esta farsa.
Será que o Câmara tb vai ser Administrador?

Anónimo disse...

Muito bem apontado sr Calisto uma pouca vergonha e é bom que o blogue desenjoe dos ataques ao cafofo que já não há pachorra e se debruce mais sobre esta desgovernação alucinada renovadinha

Anónimo disse...

O Agostinho nayse devia sujeitar ?
Dêem-lhe um prato de lentilhas que ele sujeita-se ao que fôr preciso.

Anónimo disse...

O Agostinho silva está como quer. Esta mudança, para os menos atentos, está apenas no seguimento desta política quequiana, que consiste em premiar pelos jeitinhos que foram dados ao Albuquerque em determinado momento da sua escalada. É apenas mais um mercenário entre gente como o sobrinho do Rui Abreu (que antes vendia frigoríficos e máquinas de café),a Tomásia (que oferecia jantares pagos pela escola hoteleira), alguns que já saíram e outros que proliferam em Secretarias, Institutos e EPE´s.
Agostinho Silva foi mercenário e cumpriu o seu papel ao promover o Presidente do governo Regional, na altura em que ele desejava ganhar o partido e ser Presidente do Governo Regional.
Tudo se paga... é pena é ser pago por nós, contribuintes burros que nem uma mula.

Anónimo disse...

O Sérgio Marques não é um broquilha, é um bro...ista , que mama tudo e todos, engole-os e ainda pede subsídio de alimentação.
O Miguel Albuquerque enterrou-se ao entregar o Governo a este indivíduo.
Só farão um mandado, isto se não saírem em Janeiro próximo.

Anónimo disse...

Com esta imprensa escrita e com estes políticos, estamos muito mal entregues.

Anónimo disse...

São todos que uns craques por aqui.
Não vi ninguém foi explicar como é que o governo se livrava deste mamarracho de 50 milhões que o Cardoso Jardim deixou.
Mandar vir, e insultar é fácil.

Anónimo disse...

«E o Sindicato dos Jornalistas, que outrora não se incomodava de atacar os próprios profissionais associados que se viam metidos em camisas de onze varas? Claro, perdeu a fala. A vida está difícil para todos»

O SJ «perdeu a fala» e o senhor Calisto até compreende. Então se compreende porque é que mete o SJ ao barulho? O que pretende V.ª Ex.ª?

Luís Calisto disse...

Alma das 16.01
Identifique-se V.Ex.ª, para eu responder-lhe a preceito. Se prefere ficar no escuro, ponto final na matéria, porque não perco tempo com fantasmas.
Calisto

Anónimo disse...

Pois , mas são estes fantasmas que alimentam este blogue...

Anónimo disse...

E a ERC ? e a lei da concorrência?
Pois tá contornado o problema com a quota da Venezuela, na qual o Diário deve estar tipo fantasma.
Bem feitinho Sr canelas.
O Noticias da Madeira deu torto e vc não se emendou, porque enquanto der, tá sempre a faturar, não é?

Anónimo disse...

Quem fala assim não é gago. Rua c estes renovadinhos alucinados e trambiqueiros

Luís Calisto disse...

Fantasma das 17.38
Fantasmas mesmo são aqueles que, como você, ficam escondidos atrás do biombo a tentar passar recados e calúnias que nada têm a ver com o assunto tratado no post.
Sim, os que, como você, nada acrescentam ao que está a ser debatido.
Só trago o 'seu' caso aqui porque não sei comunicar para o purgatório de certos fantasmas que entram em pânico só de pensar que o seu nome pode também aparecer aqui no, digamos assim, pelourinho público e cruel dos borrabotas. Veja lá...
Cumprimentos fantasmagóricos
Calisto

Anónimo disse...

Ja que estao a falar de imprensa escrita, porque que o diario nao abre uma secçao "autarquicas" na sua publicacao em papel e on line, as noticias de Paulo Cafofo, Rubinal Leal, Gil Canha etc, deviam estar nessa secção, ha noticias de Paulo Cafofo que são campanha e nao CMF e que devem ser devidamente colocadas numa secçao autarquicas, alias Luis Calisto, ja o fez por aqui e abriu um espaço autarquicas...

Anónimo disse...

A Madeira vai continuar a ser explorada, como sempre foi durante séculos, pelos "nobres", agora travestidos de renovadinhos e empresários "modernos", agora reencarnados como "hoteleiros" ou como "informáticos" . Vejam lá só os "orgasmos" que o "Valley" suscita nos políticos blue, seja a produzir robots, seja a dar estágios à negritude africana! Só visto, pois contado ninguém acreditaria, tal a desfaçatez...
O povo vai comer e calar, pois agora de todo não tem onde se queixar, os jornalinhos da Fernão de Ornelas ficam ambos sob a tutela bolivariana-blandyana+malta do avental.
Além do texto principal (em cima) do autor deste blogue, o único que vi, digno de nota, sobre esta pouca-vergonha da operação JM/dinheiro escondido com Agostinho de fora (pudera: não é ele o homem de mão para todas as operações "venezuelanas"?), o texto mais jornalístico foi o do velho Marote, cujas "crónicas urbanas" são dos raríssimos lugares de denúncia que ainda podemos ler! No mais, o povo está completamente alienado, diariamente empanturrado em propaganda e festinhas, e a meia-dúzia de "novos senhores" (alguns, novos de há dias; outros, reciclados da outra senhora) vai continuar a dar e vender arrogância e a ganhar dinheiro a rodos "via" serviços ao Estado...
Esperemos que o cataclismo de Outubro ajude a colocar um travão nisto, mais cedo do que o inicialmente previsto... E agora já não terão um "bode expiatório"!

Anónimo disse...

Não se trata de ficar atras do biombo, só por não querer aparecer nesta sociedade de vingançazitas.
É uma das hipóteses Claras de escolha de participação que o Sr faculta aos comentadores.
Logo deduzo que os fantasmas sejam benvindos.
Cumprimentos do além

Luís Calisto disse...

Os cumprimentos do além chegaram com muitos ecos, mas estão aceites e retribuídos.
Só para concluir. Conheço a terra em que vivemos, daí também os comentários anónimos serem bem-vindos. Só que seria gravíssimo publicar os que visam insultar e caluniar outrem à sombra do anonimato.
Cumprimentos ao Mancha Negra.
Calisto

Anónimo disse...

Este é o sr que não manda tapar buracos das estradas?
O tal que mandou mudar toda a sinalização na via rápida?
O que se faz esquecido em relação parque estacionamento do hospital?
Este sr não é o que se comprometeu anular bomba de gasolina da santa luzia?
Este não é o famoso sr das obras horríveis nas ribeiras?
Foi este sr que vendeu o jornal da madeira por 10.000 euros?
Meus Deus,onde estamos metidos.
Posso votar mais do que uma vez em Cafofo? Posso?
Aqui só estão enumeradas as borradas mais visíveis,e aquelas que a gente não sabe?
Se juntarmos a estas patetices todas as outras do sr. Promessas e dos restantes secretários, vejam só se está gente merece um voto.
Se pudesse votar mais do uma vez em Paulo Cafofo não hesitava.

Anónimo disse...

A ruama desta JSD vai já mandar imprimir cartazes destas coisas todas atrás mencionadas, porque dos buracos nas estradas e dos estacionamentos já tinham acertado há muito tempo e já os colocaram.
E os Estaleiros na Serra Agua já foram desativados?

Anónimo disse...

Quem deve estar contente com esta vendagem do Jornal é o Diário e o Cafofo, o Agostinho é um engraxador mor de Cafofo, e o Diário idem. Quem vai ficar a berrar é o Albuquerque... vai dar ao Cafofo mais um órgão de informação. DE FACTO SERGIO ÉS MESMO MUITO INTELIGENTE?!

Anónimo disse...

O Sérgio se fizesse concursos públicos em vez de concursos limitados por prévia qualificação poupava por ano dinheiro para manter 10 Jornais da Madeira, só que isso não interessa ao loby do betão.

Anónimo disse...

Mas então acham que o JM foi para o Avelino da AFA e para o Sousa dos computadores ?
Santa ingenuidade.

Anónimo disse...

Os renovadinhos a jogar areia p os olhos já querem envolver o cafofo na jogada o que é que o cafofo tem a ver c o grupo AFA? Ou com os computadores do senhor do DN? E o Agostinho não é um pau mandado da quinta vigia?? Não inventem e não joguem areia p olhos do povo

Anónimo disse...

Não é esse senhor dos computadores do DN. É o Sousa dos computadores da Ribeira Brava.
O que é que o Cafofo tem a ver com a AFA ? Ah, jovem ingénuo.
Um dia terás abertas as portas do reino dos céus

Anónimo disse...

O Cafofo é que fez a negociata do Savoy com o AFA, o Agostinho é o ponta de lança do Cafofo, está tudo bem deitado. Ouviste cafofiano da treta?

Anónimo disse...

Lembram-se do Noticias da Madeira? Na altura o Câmara, Blandy e Jaime Ramos fizeram um jornal que foi metido no esgoto... por isso o Câmara faz negócios com todos... e o Diário é INDEPENDENTE. Imaginem se não fosse????????????????????

Anónimo disse...

Rua com o 300. Incompetente subserviente à dinastia Jaime Ramos.

Anónimo disse...

Amigo já aqui disse e volto a dizer que o governo do MA apenas pensa em desporto, festas e música. Os reais problemas são varridos para debaixo do tapete e tempos depois remetidos para o governo central.Não há competências para resolver problemas maiores e que não são poucos.

Anónimo disse...

Este DES governo dos Renovadinhos/PSD é um autentico FLOP.

Anónimo disse...

Só batido pelos DESgovernos ressabiados que nos endividaram até à 5a geração.

Anónimo disse...

Ressabiados são vcs que de tão incompetentes e medíocres nem para o jardinismo serviam por isso é o qye se vê nestes últimos dois anos

Anónimo disse...

Só falar no Manuel António, estes craneos ocos dos Cartazes (tipo bebés que andam a procura da teta), Jornal de Parede na Bielorussia borram-se todos que estão a ver que o tacho vai pelas canas dentro.
Com Manuel António só os competentes vencerão.

Hugo G. disse...

O Senhor dos 5% ou senhor das cunhas...um espertalhão que prepara já a sucessão a Albuquerque puxando-lhe o tapete.