segunda-feira, 22 de maio de 2017



Um PDM para as Elites?

Um PDM - Plano Diretor Municipal - deve ser um dos mais populares e democráticos instrumentos de gestão territorial que as Autarquias dispõem, deve ser o mais Transparente e Participativo possível, é acima de tudo um documento que deve ser feito para a população, para o Povo, e é com ele que deve ser discutido e debatido. Quem não perceber isso, não percebeu nada sobre Autarquia, e de como a cidade deve ser de todos e para todos! 


Dessa forma, é de estranhar, e ficar perplexo, que a CMF anuncie que vai começar a discutir um PDM em conferências elitistas no Teatro Baltazar Dias, mesmo antes do período de discussão publica obrigatório, onde depois ainda têm o dever de informar cidadão a cidadão, pessoa a pessoa, sobre o que o que vai acontecer nos seus terrenos. Ou seja, por exemplo, segundo a notícia publicada ontem, o atual executivo anuncia que vai debater a redução do perímetro urbano e a questão das zonas altas, muito bem, mas não deveriam então estas medidas ser debatidas e discutidas com a População das Zonas Altas, envolver os locais e os verdadeiros interessados? Não seria mais lógico abrir o debate a quem é afetado pelas medidas? Esse sim é o princípio básico e estrutural de uma cidadania participativa que envolva as pessoas realmente, como é possível a esquerda Madeirense estar calada sobre isto? Vão debater na mesma conferência a passagem de Solo Urbano a Rústico?! Quantas pessoas vão ser afretadas por isto? Quantas freguesias? Quantas áreas? É a classe media afretada? Essas pessoas residentes nessas áreas foram chamadas a participar e a perceber o que se vai passar nos seus terrenos? Porque não discutem ou debatem essas modificações do uso do solo em ações nas zonas afectadas, de forma popular, ao ar livre e junto do POVO, dos funchalenses, e preferem um debate  intimista e que parece ser reservado às elites no teatro? A mitigação do Risco de Incêndio florestal deve ser a paixão de Cafofo, visto ter apanhado com os incêndios 2016, e pelos vistos esta matéria vai ser também debatida amanhã no Teatro, mas porque não envolver todos aqueles que lidam com estas matérias da proteção civil e apresentar as medidas milagrosas (esperemos ) para  todos os afetados e profissionais da área? Depois também não se percebe, porque vão apresentar amanha os Projetos do Gabinete da Cidade, eles fazem parte do PDM? São obras orçamentadas pelo PDM? Muito sinceramente, não se percebe bem esta tentativa de pré participação publica, antes da discussão publica, num espaço de elite como Teatro, contudo a população deverá ir em massa saber exatamente o que vai acontecer à cidade, quais as grandes soluções, o que vai acontecer, não podemos ficar indiferentes, e os partidos políticos, mais do que nunca, devem estar bem informados sobre o que Cafofo propõe para o território da cidade, e defenderem e zelarem pelos interesses da população, pois pelos vistos, este executivo não quer debater essas mesmas soluções junto das próprias populações, no próprio terreno, e prefere dar mais um ShoW no teatro!


O Cidadão Participativo!


8 comentários:

Anónimo disse...

Pensei que quanto mais conferencias discussões e publicidade sobre um plano director municipal fosse o correcto para toda a gente poder opinar e até fazer mudar a opinião dos técnicos....quem escreveu este artigo não está de boa fé....

Anónimo disse...

Este "cidadão" que mais parece um militante do PSD que eu cá sei, ainda aqui há 2 ou 3 meses estava aqui a dizer que a CMF ainda não ia fazer a discussão pública. Agora deu a volta ao texto e diz que este processo de participação pública extraordinário, de iniciativa da CMF, não serve para nada!

O que o Sr. "cidadão queria era estar a liderar este processo e a fazer as suas sessões estraordinárias para ser você a brilhar, mas a sua dôr de cotovelo leva-o a escrever estas coisas...

Anónimo disse...

Não se percebeu..o PDM está em discussão pública e isso é mau ? Melhor construir desrespeitando o PDM? Tipo savoy, VIP, toco..?

Anónimo disse...

O Cafofo teve 4 anos para refazer o PDM e só agora acordou... porque existem eleições, senão ficava mais uns anos na gaveta. Este tipo é uma completa desilusão.

Anónimo disse...

Anonimo das 19h42, já que sabe quem é o dito cidadao, diga la o nome, para ver se estao sempre a bater no mesmo, porque talvez sobre esse, devessem ler o numero 1 do artigo 29º da Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro,pois sera sobre isso que lhe vao responder um dia.

Via Pública disse...

Este texto não tem sentido nenhum. Não há mal nenhum em convocar os interessados e abrir a discussão sobre estes assuntos. Só não vai quem não quer!

Anónimo disse...

Levem a discussão às freguesias. Não a deixem pelo centro da cidade.
Se querem uma verdadeira participação das pessoas, têm que o fazer.
Caso contrário é apenas discussão de elites para inglês ver.

Anónimo disse...

Até havia PDM, mas suspenderam para autorizar o monstro do SAVOY.
O PDM é e deve ser para evitar desproporcionalidades, atropelos ao normal crescimento da cidade, afastamentos dos vizinhos e das vias etc.