sexta-feira, 26 de maio de 2017


Um Dia Triste


O dia de hoje ficará para a história como o dia da morte da liberdade de imprensa na Madeira. Da pouca que existia, entenda-se. Mas, ainda que com muito jogo de cintura, sempre dava para haver uma réstia de crença e de esperança. Mas hoje, assinada que vai ser a cessão do JM e que vai ser parido, na mafiosa mesa da política e dos interesses destes renovadinhos de má fama, um subproduto que os parvos – todos nós, ao fim e ao cabo, pensam eles, os mandantes e os negociantes do novíssimo monstrinho em forma de jornal – tomam por uma “libertação”, é de facto um dia triste para o jornalismo e para a suposta liberdade de o ter a funcionar numa sociedade decente. Porque, na verdade, o problema é esse: o de estarmos, cada vez mais, a enterrar o que seria a figura e a consciência de uma sociedade decente.

Reparem: o que vai acontecer é só um jogo de máscaras, o baile vai durar ainda algum tempo, mais uns quantos vão encher os bolsos, mas não é preciso ser adivinho para perceber que ficamos completamente nas mãos do senhorio, a quadrilha que resulta do conluio de novos mandantes com velhas aves de rapina!
Pensavam que a colonia já tinha acabado?

Cá nada: trinta anos depois, temos outra, e bem pior, porque disfarçada de porreirismo e de fatinho queque, fazendo crer que o dinheiro dos impostos do povo já não vai ser para o “jornal do poder”…
Cá nada: os “caderninhos” semanais com propaganda da administração regional e municipal, em vez de irem para um jornal, vão seguir para os dois: afinal estão na mesma rua…
E, para enfeitar o ramalhete, até puseram a raposa a guardar o galinheiro!
Pobre povo enganado: a quem irá se queixar,  a quem cramar as injustiças, se não encontra eco em nenhum dos lados da Fernão de Ornelas?

Lamentável mesmo, é ver tudo agachado e agora cobardemente calados que nem ratos – velhas ratazanas da oposição e dos sindicatos, que há muito não fazem nada senão trabalhar para que, via tacho, não (lhes) falte a ração mensal…  
Um jornal novo e livre, com “equipa” cedida pela concorrência? Certamente que o diretor é especialista em negócios da Venezuela, mas nunca se viu manobra de tão rebuscado cinismo, nem nos pobrecitos da América latina.

Caminhamos alegremente para o abismo, a sociedade decente afunda-se a cada dia que passa, mas o glamour renovadinho dos manobradores e dos mercenários do regime tudo cobre, tudo ofusca, tudo recalca! E ninguém faz perguntas. Mas não é por estarem amordaçados os jornalistas, ou mesmo as poucas cabeças pensantes: é porque estão completamente ofuscados, para não dizer drogados, com a brilhante banha-de-cobra diária que, por via da triste televisão ou da mísera imprensa, lhes entra pela casa e pelo ordenado adentro!

Uma coisa deve ser reconhecida: a canalha sabe fazê-la bem feita! Só queríamos era saber se os custos da “operação JM” e da edição do novíssimo jornal, vão ser pagos em alcatrão ou em computadores?!...

Jornalista Renovador

17 comentários:

Anónimo disse...

Eu estou curioso para ver o que diz o sindicato dos jornalistas a mais este branqueamento da suposta "pluralidade" da informação! Ainda bem que os madeirenses têm o blog Fénix do Atlântico, que espero que continue fora do controlo do poder político e económico da mamadeira!

Anónimo disse...

Pena é que o camarada jornalista renovador ressabiado não tenha falado nos 50 milhões de passivo, a que o Zé povinho será chamado a pagar.
Mais uma conta para pagar, da herança do outro senhor.

Anónimo disse...

Alberto, és tu ?

Anónimo disse...

Mais um renovadinho fantoche que vomita no passado como se não tivesse nascido mamado e enriquecido a pala do outro senhor já agira oh renovadinho convém esclarecer que o outro senhor não enriqueceu a custa de corrupção no governo ou na câmara como muitos dos teus renovadinhos alucinados o senhor era impoluto sério e tinha um projecto político vcs sabem o que é isso??? Rua em dezembro escória da social democracia

Anónimo disse...

Mais um ressabiadinho fantoche que vomitou no passado e lhe custa a engolir no presente. Deve ter mamado e enriquecido à custa do outro senhor, que não enriqueceu. Quem enriqueceu foram os ressabiados e os que se aproveitaram do outro senhor para fazer os seus negócios, em troca de lhe pagarem as campanhas eleitorais.
Mas este ressabiadinho, pela sua escrita infantil, nem deve ter enriquecido muito. Deve ter arranjado um empreguinho, um tachinho de baixa monta, onde comeu apenas uns troquinhos.
Deve-lhe ter acabado a mama, daí ter tantas esperanças em dezembro.
Já faltam menos de nove meses. O que não será parido ali ?

Anónimo disse...

A cria é sempre pior que o criador não é por acaso que o grande líder não apoiava estes alucinados já sabia como homem inteligente que é o que daria isto como se está a ver por dois anos de desgovernação renovadinha. É preciso novo líder regional e nacional para correr c estes neo liberais do partido e retomar a matriz social democrata livre de gatunos oportunistas e corruptos feitos c o cds a bem do povo e da região

Anónimo disse...

Gostava de ver na Fénix um artigo de Alberto João Jardim sobre esta resolução do JM, e não estes artigos sem assinatura.

Anónimo disse...

Senhor das 12.49,
Mas esse Senhor é algum exemplo na Comunicação Social , além do Poder , influência , bonecos anónimos, ofensas públicas , etc.
O Jornal nem 10 euros se vale.
Vão herdar cerca de 20 e tal pessoas, que têm de ser pagas.
De resto o título nada vale, nem é apelativo.
A Radio, sim, tem um alvará que vale muito, pois não há mais licenças e antena e emissor que constituem Património.

Anónimo disse...

Concordo com aquele que diz que a cria é sempre pior que o criador.
Bem ou mal, Cardoso Jardim sempre tem outro nível, que não estes ressabiados que para aqui vêm.

Anónimo disse...

Em Outubro vamos votar todos Cafofo para em Dezembro no Congresso Extraordinário Manuel António colocar na rua todos estes Renovadinhos que nada fizeram, apenas promessas, e está direção da JSD que é a mais suja e sem ideias dos últimos tempos.

Anónimo disse...

O comentador das 14.30 tipifica aquilo que quis expressar às 13.37.
Neste caso, a cria revela-se. Até o criador, creio eu, teria dificuldades em colocar tal espécimen no enquadramento de povo superior.

Anónimo disse...

Agora é que vai ser mamar... Cafofo e Albuquerque a ver qual dos dois mete mais dinheiro nos pasquins. O Camacheiro já deve estar a preparar a língua... para os dois.

Anónimo disse...

Querem exemplos de renovadinhos que enriqueceram inexplicavelmente a sombra do Alberto?? Não é preciso pois não lolll

Anónimo disse...

Será mais um artigo do Klauss Friedrich??!

Anónimo disse...

Outra vez você?! Você comenta sempre a mesma frase em diferentes artigos... Originalidade precisa-se...

Anónimo disse...

Mas que rol de insultos vai por aqui....Madeira e mamadeira são ambos aqui maltratados...afinal somos 260 mil e os emigrantes que precisamos de notícias frescas e visões diferenciadas e não catastrfistas...

Anónimo disse...

Estes doentes ressabiados surtaram de vez... Mas já se deram à massada de perguntar ao Dr. Manuel António alguma coisa?! Claro que não! Ele quer lá saber disto... E com apoiantes como o Sr., quem não se metesse... Seu vira-casacas! Quem é mesmo PSD, não vem para aqui falar mal dos seus!!!