terça-feira, 11 de abril de 2017


O JARDIM DA QUINTA DAS CRUZES
ESTÁ UM TRISTE!

 Há cerca de um ano que não visitava o jardim da Quinta das Cruzes. Foi uma ausência propositada, porque das últimas vezes que lá estive, não gostei do que vi. Aquele não era o jardim onde passei tantas horas da minha juventude a ouvir o Senhor Barros contar os segredos das plantas que tratava com carinho.
Na última quarta-feira ganhei coragem e entrei naquele que já foi um jardim emblemático do Funchal, uma referência para os grup...os de botânicos que visitam a Madeira.
À entrada os canteiros estão razoavelmente cuidados, mas o pequeno lago está quase vazio e a água tem um aspecto repelente.
Avançando para poente dei de caras com a cafetaria, construída com dinheiros da Europa, encerrada, com canteiros mal cuidados, com árvores a necessitar de tratamentos urgentes.
As maioria das placas de identificação já desapareceu das árvores e as que sobreviveram aos rigores do tempo estão ilegíveis.
Os bancos aguardam por reparação para poderem ser assento decente para os visitantes.
No sector nordeste, o mato compete com o lixo e com uns resíduos de património, zelosamente isolados com uma daquelas fitas usadas pelos bombeiros para impedir a aproximação dos mirones em casos de desgraça.
Finalmente, uma referência ao orquidário. Ou melhor dizendo, ao ex-orquidário, porque são raras as flores e a maioria dos vasos estão vazios ou quase. Não tem qualidade para ser visitado. O Senhor Barros se ressuscitasse, morreria de tristeza ao ver o que fizeram às suas queridas orquídeas, aos seus estimados sapatinhos.
Senhor Secretário Regional do Turismo e Cultura, Senhora Secretária Regional do Ambiente, o jardim da Quinta da Cruzes está um triste e a responsabilidade é vossa.
A Festa da Flor da Ilha da Madeira tem de ser muito mais que um cortejo com flores cortadas (e quantas importadas?). A identidade da nossa Festa da Flor é indissociável da excelência dos jardins públicos e privados.




















Raimundo Quintal
11.04.2017

28 comentários:

Anónimo disse...

Oh Dr Raimundo, o seu amigo Albuquerque que gosta ou gostava de flores, precisa de si.
Aqueles queques que o Senhor refere e adornam o governo são nulidades de eficácia.
Falta ainda referir no seu alerta um Secretário, que gostava de ser queque, que prende o dinheiro todo para se armar em Gasparzito, e que vai afundar o governo.
Gerir bem, não é só poupar. É também desenvolver. E esse Senhor não tem visão para o equilíbrio orçamental entre o poupar e acudir ao que é importante, como são os medicamentos, os jardins e afins.

Jorge Figueira disse...

Fazem falta pessoas dedicadas. Não citando todas, apenas recordarei o Sr. Barros.

Anónimo disse...

Bom dia, sei que não temos pessoal nem dinheiro para contratar, porque é que não vamos buscar o pessoal do rendimento, RIS, mas porquê, o que não falta por aí são pessoas que recebem rendimento. ainda ontem num conversa de café um pequeno empresário queria contratar uma senhora para trabalhar num café, ela disse que ia mas que tinha de ser sem contrato porque ganhava o rendimento mínimo e que não queria perder, se fosse feito contrato perdia o RMI. Ninguém vê isto, ninguém controla nada, bem sei que estamos em período eleitoral, mas isto não vem de agora vem de há muito...mas ou vamos buscar este pessoal para trabalhar ou nunca mais chegamos a lado nenhum. como diz RMG. Rendimento mínimo garantido...Pois está sempre garantido, para quê trabalhar.
Boa Pascoa.

Anónimo disse...

Será que aqui também há culpas do Cafofo?

Anónimo disse...

"Vilão Livre"
Fiquei triste e magoado ao ver estas fotos "obrigado Dr. Raimundo" que falta fazem as pessoas que com o seu trabalho davam cor, alegria com o perfume das flores, de uma terra que se apelida de terra das flores (desculpem ahahahahah)isto era antes.
que lindo cartaz turistico este, gasta-se pipas de Euros com a festa da flor,Importadas só para turista ver, e temos os nossos jardins, praças, Quintas visitaveis, numa vergonha, e sabem porque. Porque já vai havendo poucas pessoas dedicadas como o Sr. Barros.(pessoa que não conheci)
Assim estão a matar a nossa galinha dos ovos de ouro "TURISMO"

Anónimo disse...

Ó meu caro Raimundo,
Não esqueça também as culpas da Diretora dos Assuntos Culturais, que superintende diretamente os museus. Haja, isso sim, dinheiro para promover a Carmo Fontes (que amuou e ameaçou impugnar o concurso para o qual concorreu) com um estatuto remuneratório de se lhe tirar o chapéu (ver http://www.gov-madeira.pt/joram/2serie/Ano%20de%202017/IISerie-060-2017-04-03Supl.pdf) e ainda designá-la com «aptidões, competências e qualificações» para assessorar o Secretário do Turismo e Cultura nas celebrações dos 600 anos dos descobrimento da Madeira (???!!!). Com as eleições que aí vêm, isto já cheira a política de terra queimada, tal a falta de escrúpulos…cheira a política de terra queimada, literalmente, no caso dos jardins do museu, para o que tão bem alerta.

Anónimo disse...

O que faz falta é responsabilidade.
Expliquem-me qual a lógica de anunciar novos museus (romantismo e arqueologia), comprar peças para museus que ainda não existem, e deixar ao Deus dará o património existente que precisa da normal manutenção e tratamento.
Mas o que conta para esta gente é arranjar coisas para aparecer, meter umas comissões ao bolso, e deixar o que já existe se ir degradando.
Afinal a política de esbanjamento continua.
Tudo como dantes no quartel de Abrantes.

Anónimo disse...

Está tudo realmente muito triste e feio, um verdadeiro "escândalo cultural". Mas seria preciso que o secretário e o super museólogo soubessem perceber o que é importante, e não andarem apenas a fazer fogo de vista em nome de museus do futuro (o dos carros clássicos, o do romantismo, o da arqueologia.......) e que hão-de chegar a nascer lá por volta de 2069!
Mas não, eles querem é aparecer com megalomanias, quando não sabem dar conta das pequenas coisas do dia a dia que fazem a diferença, sendo para isso que estão no poleiro. Como é que se pode admitir um "espectáculo" tão deprimente numa quinta-museu de referência? É só a gabarolice com a estatística que interessa? E uma cafetaria tão fantástica, fechada há anos?
Pura incompetência e incúria dos "mandantes", vaidosos demais para cuidarem da coisa pública! Ai, se houvesse imprensa nesta terra africana...
A cultura deles tem um nome: tal como um cocktail indigesto, é uma mistura de "queque" com "madeira velha"...

Anónimo disse...

Ao menos que tenham o cuidado de esvaziar esses tanque de água por causa dos mosquitos.

Anónimo disse...

Se deixam isso acontecer nas Cruzes, que está no meio da cidade, o que não será no quinta do Monte, que está lá em cima no meio da vilhoada? É que o super museólogo não quer saber de podar as roseiras, nem de cuidar de jardins, ele só quer é pensar em grande, ao nível da grande Europa, nada menos que Museu do Romantismo, para onde já está a comprar quadros. Infelizmente para todos nós, é que é só o "dono da Quinta" que vai na conversa fiada do decorador de gabinetes governamentais...

Anónimo disse...

E deixamos que pessoas que gostam da sua terra , vão dar contributos aos Açores , e bem, mas cá dentro são esquecidas!

Anónimo disse...

Faz-nos falta uns "raimundos" da cultura, para colocarem mais vezes o dedo na ferida da hipocrisia cultural, travestida com grandes projetos, que mais não são que reciclar e embrulhar com papel dos chineses aquilo que vinha de trás. O que se passa, agora, é que o supermuseólogo, alta cabeça que manda nos museus e no património da parvónia, está à solta. E a tudo o que lhe dá na pinha e gera publicidade gratuita, os chefes abanam a cabeça que sim, como faziam aqueles cachorros de porcelana antiga (daquela que não está no museu das artes decorativas)...

Anónimo disse...

Mas isto também não é da responsabilidade do Cafofo?
Então aquela Sra Secretária toda Chique da Cultura deixa que estas coisas acontecem e o Secretário dos barquinhos voadores e 60 dias não diz nada, pudera ele só quer o Museu dos Coxos.

Anónimo disse...

Deixem-me esclarecer uma coisa aqui da rua dos Ferreiros. Apesar de ali funcionar um museu, o jardim é responsabilidade do Jardim Botânico, e não da DRC.
Não sei qual é a secretaria (agricultura, ambiente), mas sei que aqui o nosso pessoal não mete estopa. Desta, o Clode de Sousa não é culpado. Ele até gosta de rosas como o seu amigo.

Anónimo disse...

Pois O Clode nunca na vida ia limpar jardins..Como diz um comentador ponham os gajos do rendimento a trabalhar.

Anónimo disse...

Nossa, o Governo do Miguel Promessas está pior do que o Cafofo!!
Esta não foi necessário os Meninos trintons da Jotinha encher rapidamente os contentores do lixo para sacar foto e botar aqui neste blooger.

Anónimo disse...

A questão não é ele ser culpado disso, que em parte tb é. A questão é aquela cabeça, completamente megalóóómana e intolerante, de facto o maior problema da cultura enquanto " coisa pública". Toda a gente sabe disso menos o dono da Quinta que tudo vigia!

Anónimo disse...

Coitados dos madeirenses se Rubina Leal ganha. Tudo na mão de Albuquerque. Já agora: É verdade que Rubina Leal já levou mais de 10 negas nas escolhas para as Juntas de Freguesia? Uma mulher a levar negas....

Jorge Figueira disse...

Voltei para reforçar aquilo que disse há bocado.
Fazem falta não só o Sr. Barros como o Sr. Engº Rui Vieira. Não é no dinheiro que reside a diferença, pelo contrário, ele - o dinheiro - só estragou.
A diferença, sendo pequena é importante, está entre Servir e Servir-SE.
Sente-se o respeito que esta terra tem por quem alerta para estas realidades.
Deixem-se de retórica eleitoral e pensem nos problemas. Vão ter de conviver com eles e sem dinheiro.

Anónimo disse...

Eu sou o primeiro a reconhecer no Prof. Raimundo Quintal capacidade técnica, científica e ambiental de fazer esta crítica ao que se passa nos jardins da Quinta das Cruzes e outros jardins do Funchal. Mas já era tempo, do Prof. Raimundo Quintal vir à luta política, e já foi convidado várias vezes, para podermos correr com estes governantes incompetentes. Enquanto andarmos a mandar "papaias", e não formos consequentes, a mer.. vai continuar a ser a mesma!

Anónimo disse...

Para quê? Para ser mais um a brincar ao meu partido é melhor que o teu?
Acho que o Prof Raimundo faz bem. Está escaldado da malta dos partidos, ele passou pelo PS e PPD. Conhece-os a ambos ginjeira, sabe que valem zero.
Vai por mim anónimo das 18:33

Anónimo disse...

Uma vergonha autêntica. No museu da quinta das cruzes, um desleixo destes, é inaceitável.E a água estagnada que é um perigo para a saúde pública.Cuidado que também faltam remédios.

Anónimo disse...

O pessoal que esta no rendimento minimo e a receber desemprego querem e festas. Toda essa gente deveria contribuir com algumas horas para a sociedade, mas claro isso nao da votos!!

Anónimo disse...

O Clode gasta dinheiro da cultura à tripa-forra, mas para a manutenção do jardim não há nada.
Não há para jardins, não há para remédios, não há para arranjar estradas, etc.
Mas há dinheiro para gastar nos barquinhos voadores e em peças para museus que nem existem.

Anónimo disse...

O Prof. raimundo Quintal não precisa de partidos para se candidatar! Como independente tem mais votos que o PSD e que o PS!

Anónimo disse...

Já que alguém da DRC veio aqui escrever que a responsabilidade é do Jardim Botânico, deixe-me que daqui do Caminho de Meio lhe responda.
Temos à nossa responsabilidade o proprio Jardim Botânico, a Quinta das Cruzes, a Quinta Vigia, o Jardim do Hinton, e outras coisas para cuidar.
O pessoal não dá vencimento para tanta coisa. Há falta de gente.
É claro que no meio disto tudo há um que tem a prioridade dos chefes.
Adivinhem qual e terão um prémio.

Anónimo disse...

Quinta Vigia. O que é que recebo de prémio?

Anónimo disse...

Isto não é do Pelouro de mais um PRADA???