sexta-feira, 28 de abril de 2017

Programa continua estranho


Carlos Pereira visita a Região

O chefe emigrante do PS-Madeira faz notícia em várias plataformas "jornalísticas" pela sua impactante visita de 3 dias à Região. A vinda de Carlos Pereira surge no âmbito de uma espécie de jornadas que o grupo parlamentar dos socialistas em S. Bento vem cá realizar, sob a batuta de Carlos César.
Confessamos algumas dificuldades para entender alguns números do programa da visita - que os viajantes chamam "de trabalho" - a cumprir entre 1 e 3 de Maio.


Por um lado, anuncia-se ali: os deputados "deslocam-se ao Funchal entre os dias 1 e 3 de Maio"; o que imprime a impressão de que eles vêm de navio, numa deslocação entre 1 e 3. Como vêm de avião, a deslocação leva hora e meia, o resto é estada.
Dizemos nós.
A não ser que estejam a pensar em vir no cargueiro...
Os responsáveis pela excursão anunciam que "o programa contempla uma visita ao Hospital Dr. Nélio Mendonça e aos locais afectados pelos incêndios do Verão passado". Mas não se vislumbra o que podem esperar os felizes contemplados - doentes internados e desabrigados dos fogos - destas diligências. Se António Costa prometeu meio hospital, o segunda linha César não pode ir além de um quinto ou de um sexto de hospital.
Quanto às vítimas dos fogos, há no programa uma lacuna curiosa, ou então mais um truque para quem anda com a cabeça no ar: os testes aéreos propagandeados por Pereira para 2 de Maio simplesmente não aparecem em alínea nenhuma.
O mesmo se dá com a almoçarada de César com o verdinho Filipe de Gaula, na casa das massagens. Mas aí compreende-se, porque Carlos Pereira só pode saber dessas partes mais abrasadoras do programa 'a posteriori'. 
Quanto ao resto, normal. Contactos com trabalhadores, evidentemente onde eles vão estar obrigatoriamente no 1.º de Maio, a dar ao dente no 'Garfo'. E apresentação de cumprimentos aos dirigentes da USAM, num local que não será o ideal para esse protocolo, mas que é onde encontrarão pela certa os cumprimentados, em comício no Jardim Municipal. É como os políticos que dizem ter sido ouvidos por muita gente, depois da banha-de-cobra à saída das missas.
Dia 2, em lugar de falar em testes aéreos, o programa anuncia cumprimentos ao presidente da Assembleia Legislativa, e aí será Carlos César a fazer as apresentações: Tranquada Gomes conhece o político açoriano, que aparece muito na TV, mas, quanto a Carlos Pereira, já lhe perdeu um pouco a feição.
A visita de trabalho - digamos assim - termina com uma fotos num largo do Monte que dá pelo sugestivo nome de 'Babosas'.
Realmente, e se esta gente se deixasse de baboseiras?

5 comentários:

Anónimo disse...

Tudo às avessas...

Anónimo disse...

Será que camarada Pereirinha vai dar uma voltinha de helicóptero, para ver como melhor mandar os bombeiros proteger a sua casa na Choupana, em eventual incêndio ?

Anónimo disse...

"O secretário de Estado sublinhou que as relações institucionais com o Governo Regional da Madeira "são as melhores" e que "não houve problema rigorosamente nenhum", estando neste momento o programa dos testes "todo na mão da secretária regional, a aguardar uma aprovação local, para ver se deve decorrer assim ou não".

Jorge Gomes lembrou que este estudo surgiu na sequência de uma decisão tomada em Agosto pelo Conselho Regional, que "solicitou ao primeiro-ministro ajuda para elaboração de um estudo para ver a viabilidade de serem usados meios aéreos na Região Autónoma da Madeira". "Fez-se o estudo todo e está concluído. Foi remetido para o gabinete do primeiro-ministro e neste momento só faltam os testes", referiu. O resultado final "será transmitido ao gabinete do primeiro-ministro e é ao primeiro-ministro que competirá fazer o anúncio da viabilidade, ou não, do funcionamento dos meios aéreos no arquipélago da Madeira", acrescentou.", in Lusa.

Anónimo disse...

deveria ser recebido pelos lesados do BES , os tais que por serem da Madeira Costa não ajuda

Anónimo disse...

Ahahahahahahah! Um circo!