terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

ESCRAVATURA REVOLTA POPULARES DO CANIÇO



O homem trabalha de madrugada a madrugada, na Mãe de Deus. Pagamento: entregar a sua própria reforma aos algozes, para não ser mais espancado


Moradores ao sítio da Mãe de Deus, Caniço, não contêm a sua indignação com uma situação que consideram da mais desumana escravidão.
Um homenzinho sem a totalidade das faculdades mentais é usado como trabalhador noite e dia ao serviço de um casal que vem diariamente de uma freguesia limítrofe para os terrenos de que dispõe na Mãe de Deus. Obrigam o homenzinho, com pouco mais de 55 anos, a 'dar o litro', não de sol a sol, mas de madrugada a madrugada. 
Não lhe pagam nada. O pagamento é fazerem o homem tomar banho no dia de ir aos correios levantar a sua parca reforma. Para a entregar compulsivamente à mulher do casal, que lhe faz marcação cerrada sem lhe conceder um palmo de terreno para respirar.
Há vizinhos dos terrenos que abordam o homenzinho: "Por que não sais do pé deles e te governas com o dinheiro da reforma?" Resposta: "Não posso, se não eles batem-me mais."
A última que contam é que, já tarde, o homem é obrigado a ir para a freguesia limítrofe a pé, enquanto a 'patroa' vai de carro... não vá ele ficar por ali a contar a sua situação a eventuais metediços. Ele tem uma casita que partilha com o irmão, algures perto do Campo do Canicense. Mas é "conveniente" não andar em demasiada liberdade... 
Às quatro ou cinco da manhã, toca a levantar e a voltar dessa freguesia 'dormitório' à Mãe de Deus - a pé - para continuar o trabalho que não acaba mais.
Os moradores estão revoltados e denunciam a situação. Haverá alguma instituição com o dever de intervir num caso do tempo da escravatura, como este?

5 comentários:

Anónimo disse...

Calisto,

Isto requer uma imediata denúncia à PSP e ao Ministério Público.

Anónimo disse...

Indignação é o que sinto, inimaginável que isso aconteça tão perto de nós e espero que as entidades competentes ponham mão neste caso.
Não parem de denunciar estas situações!

Anónimo disse...

O MP tem de investigar. Isto é escravatura!

Anónimo disse...

Independentemente da posição do MP está e a prova de que há por aí muito fdp como pessoa como e possível fazer uma coisa destas???? Ah povo superior

Anónimo disse...


Fação ação direta e libertem o homem