segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Preocupações quaresmais



Carta ao Clero: Renúncia anunciada pelo Bispo do Funchal nem vê-la




Caro irmão e colega em Cristo…

Nós, “inúteis servos do Senhor”, presbíteros desta mesma Diocese do Funchal e na condição de simples “administradores” das coisas do Reino e seus “mistérios”, somos impelidos pelo poder do Espírito Santo a orientar o “rebanho” que nos foi confiado para a Casa do Pai.
Nutridos espiritualmente e aptos para proferir belas homilias quaresmais sobre a conversão, santidade e coisas afins…, não sejamos como os fariseus hipócritas que exploravam o “órfão e a viúva” ao mesmo tempo que carregavam o povo com “fardos pesados” e suas mentiras pseudo-caritativas.
 Inaugurado o Tempo Litúrgico da Quaresma levanta-se a questão: para onde irá o dinheiro da renúncia quaresmal promovida pelo nosso Bispo? Certamente será amplamente publicitada em órgãos oficiais tal como tem sido habitual nos últimos anos… E depois? Será que as verbas provindas da caridade cristã chegarão ao(s) seu(s) destinatário(s) ? Pelos vistos há dinheiros que passados 3 anos ainda não chegaram ao seu destino!! Estarão algures numa offshore canónica?
Renuncia quaresmal de 2014, ver: Agência Ecclesia o6 de Março de 2014 (10:48); Agência Ecclesia 20 de Setembro de 2014 (10:59).
A pobre Diocese de Mindelo (Cabo Verde) ainda espera no seu silêncio humilde, por esta preciosa ajuda quaresmal, promovida e prometida nos fervores jubilares do ano comemorativo dos 500 anos da nossa rica e altruísta Diocese sempre atenta aos mais pobres e desfavorecidos da sociedade…
Francisco criticou a “vida dupla” de algumas pessoas que se dizem “muito católicas”, mas depois fazem “negócios sujos” e “aproveitam-se das pessoas”. “O que é um escândalo? É dizer uma coisa e fazer outra…”, lamentou o Papa apelando a uma sincera conversão de toda a Igreja ( in Radio Vaticano 23 de Fevereiro de 2017)
Por fim, caro colega, não tenhas medo em marcares a diferença seguindo o verdadeiro Evangelho e lembra-te que a fé sem obras é estéril mas é preciso que as obras sejam movidas pela fé, isto é: o Amor sincero e não dissimulado. Tal como diz o povo e com razão: “de boas intenções está o inferno cheio”.
Votos de uma Santa Quaresma rumo à Verdade do Ressuscitado que nos liberta...
Funchal, 24 de fevereiro de 2017
(Francisco Falante)

4 comentários:

Anónimo disse...

O silêncio dos comentadores habituais nesta publicação é ensurdecedor.

Anónimo disse...

Ó homem. Você já escreveu o artigo e agora vem exigir comentários?
É um bocado narcisista, não?
Até porque o seu escrito não tem qualquer interesse. Talvez tenha apenas oara si.

Anónimo disse...

Nao poderia estar mais de acordo.

Anónimo disse...

As maiores atrocidades cometidas pela humanidade foram sempre em nome de uma fé qualquer e a católica esteve sempre ligada aos interesses do poder dominante e há pessoas e associações ligadas a ela cuja seriedade e discutível. Tenha se como exemplo o negócio a volta de Fátima