sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Iniciativa do PCP



Projecto para listas de espera específicas em benefício dos residentes no Porto Santo


O PCP-Madeira apresentou hoje na ALRAM um projecto de resolução que recomenda ao Governo Regional a criação de "listas de espera" específicas, programadas e desagregadas da lista mais geral dos utentes do Serviço Regional de saúde, para os residentes na ilha do Porto santo, seja para a lista de espera de cirurgias, seja para a lista de consultas médicas .
Tendo em conta que há que encontrar soluções concretas para a morosidade e atrasos verificados no acesso a cuidados de saúde aquando da deslocação (e da permanência) destes utentes na Madeira; que há que atenuar as desvantagens da insularidade distante e dos seus custos e constrangimentos para a população residente; que os Portossantenses não têm como contornar as listas de espera dado que não dispõe de alternativas e serviços complementares ao serviço público para a maioria dos cuidados de saúde, e que o Centro de Saúde do Porto Santo tem insuficiência de resposta (e de condições) para acudir a esta população e visitantes, justifica-se para os utentes daquela ilha a criação de regras especiais e excepcionais no acesso ao sistema de saúde regional e especificidade no âmbito das listas de espera.
Tendo presente a discriminação negativa decorrente desta penalização para os utentes daquela ilha, o PCP avançou com um pedido de audição parlamentar ao senhor secretário regional, aprovado recentemente em Comissão e que se realizará já no próximo dia 3 de Abril para a abordar questões como as dificuldades e obstruções à evacuação e transporte dos utentes (sobretudo os urgentes) do Porto santo; como a falta de medicamentos, mesmo que ocasional, , assim como as reiteradas alterações de consultas que afectam não só a vida pessoal, profissional e financeira, como a própria saúde desses utentes; como a falta de cuidados paliativos naquela ilha assim como a falta de uma comissão de utentes na mesma; a falta de pessoal qualificado para o transporte dos doentes no Porto santo; o estado de degradação do Centro de saúde do Porto Santo, perigando não só os utentes como também os seus profissionais; a falta de pessoal técnico especializado na área de saúde, entre outros constrangimentos e dificuldades deste sector naquela ilha.


Para qualquer contacto ou recolha de informações sobre esta iniciativa, poderá ser estabelecida a ligação telefónica directa com a deputada Sílvia Vasconcelos, através do n.º 968067373.


Funchal, 24 de Fevereiro de 2017

Pl’O Gabinete de Imprensa do PCP/Madeira

4 comentários:

Anónimo disse...

Em S. Vicente espero mais de 3 anos para a oftalmologia, por que é um Portossantense vai passar à minha frente?

Anónimo disse...

É fácil , porque o Porto Santense não pode ir a nado a outro médico enquanto você pode se deslocar de várias formas..
Não é muito difícil de perceber..

Anónimo disse...

A mim ninguém paga os transportes de Machico. Quantas vezes já cheguei e voltei para trás sem consulta.

Anónimo disse...

É um problema de consultas ou de transporte