sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Nuvem por juno cria tempestade num copo de água




Parecer do Sindicato dos Jornalistas 
sobre queixa contra o DN-Madeira


A narrativa dos factos está no link abaixo, assim como o conteúdo do parecer do CDSJ.

http://www.jornalistas.eu/ficheiros/1082760817_Parecer%20sobre%20queixa%20contra%20DN%20MAdeira.pdf




Se nos é permitida uma breve opinião sobre o furacãozinho desencadeado por uma reportagem sobre os sem-abrigo no Funchal, afinal mais uma de milhentas, considero que o alarido não faz sentido. Não passa pela cabeça de ninguém que jornalista e jornal pretendessem "discriminar" os desgraçados que dormem ao relento, dia e noite, nas escadas do Anadia, vãos de entrada do Golden e da Rua do Aljube e recantos do Mercado. Ao pegar no trabalho, detecta-se a olho nu alguma infelicidade no relacionamento desse triste quadro anti-social com os interesses regionais do turismo, o que também já aconteceu tantas vezes, por ligeireza não intencional. Mas, salvo melhor opinião, a iniciativa jornalística pretendia ser mais um alerta aos responsáveis governamentais pelo sector competente, e não outra coisa qualquer.
A gravidade da doença que faz definhar o jornalismo na Região não passa por essa falsa - ou pelo menos empolada - questão erguida por algumas organizações necessitadas de falar grosso para demarcar terreno. Os problemas são outros e muito mais perigosos.
O CD do SJ que trabalhe onde deve actuar. Porque a situação é gritante. Ai o SJ-Madeira já não sofre dos pruridos de outrora? Pois então continuem a investigar e a gastar tempo com reportagens pontuais, que geralmente não aquentam nem arrefentam. Continuem no faz-de-conta para mostrar serviço que a gente acredita, embora estas tempestades em copo de água denunciem 'ab initio' que é nuvem e não Juno.

2 comentários:

Anónimo disse...

Não houve qualquer prurido, por parte deste órgão de comunicação social em tratar de assuntos sérios, como os sem abrigo, de forma desequilibrada.
A prepotência do DN, neste momento, é gritante. Impera uma falta de bom-senso, de educação e de humildade. Até agora nem um pedido de desculpas.
As conclusões do Sindicato dos Jornalistas dizem tudo. No DN falta, efetivamente, equilíbrio e consequentemente credibilidade neste e noutros assuntos.

Anónimo disse...

Uma reportagem infeliz, mal trabalhada pela autora e pior trabalhada por quem fez os títulos da primeira página.
Depois de todas as críticas e argumentos válidos apresentados por associações e agora pela deliberação do SJ, o DN continua a defender o indefensável.
O que esperar daquele que era, até há poucos anos, o único jornal isento, independente e credível na Madeira?
Se nem o diretor nem a jornalistas reconheceram o erro, o espectável é que o DN continue a fazer um jornalismo de m#&%@