segunda-feira, 1 de maio de 2017

Reflexão


O milagre da reciclagem 
dos engenheiros desempregados


Vitorino Seixas


“Há um grande distanciamento entre aquilo que o mercado precisa e aquilo que as nossas universidades e as escolas ensinam ... Os cursos são obsoletos e estagnados” ¹. Estas críticas de Luís de Sousa foram feitas durante a visita de Rubina Leal à ACIN “para se inteirar do processo de reconversão de licenciaturas na área das tecnologias da informação, no qual frequentam 30 engenheiros desempregados” ¹.

Ao ler estas críticas tão duras fiquei siderado. Fala-se em universidades e escolas sem identificar nenhuma, pelo que ficamos sem saber se o alvo das críticas são todas as universidade e escolas portuguesas ou apenas as regionais. De uma penada, todos os cursos das universidades e escolas ficam sob maldição. Mesmo que Luís de Sousa tenha razões de queixa, não se recebe em nossa casa um membro do governo, para depois acusar o governo de que faz parte de financiar cursos obsoletos e estagnados.


Mas, o que mais me surpreendeu foi o facto de Rubina Leal, em vez de fazer a defesa da qualidade dos cursos ministrados na Região, ter optado por elogiar “aquilo que considerou ser um “projecto de sucesso” e que tem vindo a “reconverter de forma inovadora, aqueles que têm competências superiores”” ¹. Ou seja, em vez de reagir às críticas com firmeza, elogiou o trabalho da ACIN como entidade formadora de um curso de desenvolvimento web, o qual foi comparticipado em 60 mil euros pela sua secretaria, e destacou o facto de 7 formandos terem emprego garantido na ACIN, o que corresponde a uma taxa de empregabilidade de, apenas, 23%. Por outras palavras, a ACIN vai beneficiar de um subsídio de 8.500 euros por cada um dos 7 contratos de trabalho que vai celebrar no final do curso. Falta saber, se além do subsídio à reciclagem dos engenheiros desempregados, também vai receber apoios à contratação desses desempregados.

Neste contexto, a serem justificados os elogios ao curso da ACIN é licito concluir que os cursos de licenciatura da Universidade da Madeira na área das tecnologias da informação e comunicação são obsoletos e estagnados. Contudo, por obra divina, acontece um verdadeiro milagre: a frequência de um curso de reciclagem na mesma área, com a duração de 4 meses, constitui uma garantia de emprego quando a frequência de uma licenciatura em tecnologias da informação, com a duração de 3 anos, não foi suficiente para se conseguir um emprego.

Quanto aos poderes milagrosos do curso de desenvolvimento web da ACIN convém ouvir uma das participantes: “Existem muitos desempregados nesta área que não conseguem trabalho e esse foi o meu caso… Eu já tive estes conteúdos na universidade e agora estou a rever… Com esta formação espero entrar no mercado de trabalho” ².

Se isto for verdade, está descoberta a solução para os engenheiros desempregados: fecham-se os cursos da Universidade da Madeira e contrata-se a ACIN como entidade formadora. Ganham os engenheiros desempregados, ganham os empregadores e, sobretudo, ganha a ACIN.


7 comentários:

Anónimo disse...

Das melhores analises de VS. Aqui fica tambem clarinho o papel, esse sim, obsoleto da Sre e deste Desgoverno regional. Restam.nos as entregas das medalhas, dia da escola, semana da juventude, etc,etc.

Anónimo disse...

Muito bem visto Dr Vitorino Seixas.

Anónimo disse...

Este desgoverno renovadinho devia passar a chamar se luis de matos o mágico lolooo e só truques de ilusionismo lol como agora a treta do ferry em Bruxelas ( antes a culpa era do costa) e o concurso internacional p os portos p ganharem os Sousas legitimamente looo como o novo hospital etc etc e de rir à gargalhada

Anónimo disse...

Este Governo infelizmente tem muito pouca visão e poucas cabeças pensadoras.
Porque não aproveitar a oportunidade de momento e se dirigir diretamente as Nações Unidas que são Presididas por António Gueterres aquele que há uns anos atrás SALDOU a divida Madeirense.
As hipóteses de sucesso eram muito maiores do que a União Europeia, porque ele já nos conhece e já colocou os CUBANOS com os seus impostos a pagar as nossas dividas e o regabofe.
Depois então veio o DILUVIO nas dividas cometidas pelo PSD

Anónimo disse...

Seixas, e sobre a câmara nada ?

Anónimo disse...

A crise também chega a esses engenheiros sem abrigo.

Anónimo disse...

E lá continua este Vitorino Seixas a "trabalhar" para a oposição... Continue... Vá escrevendo muito até outubro... Vão ser necessários vários textos para convencer os funchalenses...
Força PSD! Deixem falar...