quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Dissidência universitária


A UMa acordou hoje com a cara lavada, 
a cara da democracia

Este é a nossa maneira de nos fazer ouvir e contrariar o que a associação que diz representar-nos reivindica. Nós queremos ensino gratuito democrático e público! Não queremos propinas! Não concordamos com os valores da AAUMa e não aceitamos que nos representem sem que nos deixem elege-los. Queremos mais financiamento dos governos regional e da república, queremos uma Universidade competitiva e queremos o que a constituição nos dá como direito. Como tal procedemos a afixação de cartazes em todo o campus da penteada da UMa. Juntamo-nos assim às estruturas nacionais que representam mais de 100 000 alunos e que exigiram o fim das propinas (http://www.rtp.pt/madeira/sociedade/estudantes-da-madeira-recusam-o-fim-das-propinas-_6740).

Os Alunos da Universidade da Madeira

2 comentários:

Anónimo disse...

Isto agora é assim, senhor Calisto, a dar voz a quem não dá a cara?!

Anónimo disse...

Reclamem do reitor...afinal quem é que estabeleceu as propinas no máximo? Situação já denunciada a semana passada pelo grupo parlamentar do PCP