domingo, 12 de fevereiro de 2017

Esclarecimento do Bairro da Argentina


'Reposição da Verdade'



No seguimento da notícia publicada na edição de ontem do DN Madeira, 11-02-2016, na página 23, Futebol e Futsal, sob o título "Três jogos à porta fechada", em que esta Associação é a visada (http://www.dnoticias.pt/impressa/hemeroteca/diario-de-noticias/tres-jogos-a-porta-fechada-DA893764), importa esclarecer o seguinte:

A ADCR Bairro da Argentina vem pelo presente condenar veemente as falsidades constantes na peça do jornalista Filipe Sousa, publicada no DN Madeira de ontem (11-02-2016) em que o Bairro da Argentina é visado. Tal notícia só pode ter por objectivo denegrir a imagem desta colectivade, uma vez que as "fontes" do Sr. Jornalista falam de pormenores específicos relacionados com o processo em curso e cujo teor "não é público" (apenas AFM e ADCR Bairro da Argentina tem conhecimento do mesmo), bem como fantasia com outros pormenores que visam apenas denegrir a imagem desta colectividade. Posto isto, é de informar/retificar que:

- a fonte da dita notícia só pode ser alguém da AFM, uma vez que o processo não é público;

- como é que o Sr. Jornalista diz que "o Bairro da Argentina vai ser punido com um mínimo de três jogos à porta fechada"? O processo já terminou? já houve decisão?

- uma vez mais o DN Madeira sabe que as testemunhas abonatórias serão ouvidas esta segunda-feira, contudo, e uma vez mais, tal fonte é interna, uma vez que a audição das mesmas era para ter sido na passada quinta-feira, sendo alterada há poucos dias a data;

- o adepto vítima de facturas num membro superior "apresentou queixa crime na PSP, contra quatro pessoas ligadas ao Bairro da Argentina, entre as quais, segundo apurámos, está um elemento da equipa técnica" - meus senhores sejamos sérios e não brinquemos às notícias! Nenhum elemento da equipa técnica, dirigente, atleta, adepto ou simpatizante desta Associação, tem algo que ver contra o ferimento desse adepto! O Adepto em questão, sofre as mazelas descritas, em virtude da intervenção da PSP, ou seja, por o mesmo ser um dos intervenientes nos desacatos. Mais, em tempo algum, houve algum elemento da equipa técnica envolvido em desacatos ou actos menos dignos;

- até os jogos que serão "à porta fechada" Vossas Excelências já sabem quais serão, mas já que a AFM quer brincar aos processos e insiste em tentar denegrir a imagem desta Associação junto da opinião pública, nós a partir de agora, faremos exactamente o mesmo, ou seja, acabaram-se os silêncios, doa a quem doer!

- aproveita-se ainda para informar Vossas Excelências, que se do Processo Disciplinar em questão, que acreditamos ainda estar a ser apreciado e não sentenciado, uma vez que ainda restam uma série de diligências, resultar a aplicação de castigo e sanções contra a ADCR Bairro da Argentina, esta Associação irá prosseguir os trâmites legais e levar este processo até às últimas instâncias e consequências. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Isto não é a Venezuela nem a Colômbia onde a lei da bala impera sobre as outras leis! Aqui há civismo e legislação contra todos os actos de violência no desporto! E quanto a mim as leis são brandas, porque na minha opinião deveriam ser irradiados dos desporto por 3 ou 4 anos qualquer "broquilha" que provoque violência nos recintos desportivos!

Anónimo disse...

Isto é que é português de preto: "factura num membro superior" ???????
Foi o mijinhas que escreveu o comunicado ?