quarta-feira, 8 de abril de 2015

GOVERNO


NOVO PSD DESAPROVEITA
ÚLTIMA CHANCE DO ELEITORADO





   Pedro Calado, Jaime Filipe, Miguel de Sousa, competências e pelouros: o jogo não começou, mas o aquecimento já faz faísca


Estranha forma de divulgar as políticas


O elenco provável para o governo de Albuquerque difundiu-se em toda a extensão das redes sociais e nos jornais. Foi questão de pegar nos indícios das eleições internas no PSD, investigar um pouco e parangonar à vontade.

De repente, JM avança com entrevistas aos secretariáveis, os quais responderam com informações programáticas para o novo governo, casos de Jorge Carvalho e Sérgio Marques. Atenção que o líder do PSD não anunciara oficialmente nenhuma equipa de governo. Aliás, foi o próprio Miguel a dar o exemplo, concedendo entrevista ao JM em 31 de Março, no início da série.
Os leitores sentiram uns calafrios esquisitos, quando confrontados com aquele 'déjá vu'. Raios partissem se não se tratava de um regresso ao jornal do regime jardinista!
Por isso ou por outro motivo qualquer, a central de informações do Laranjal virou a agulha, passando as notícias para o DN. Fechou-se a torneira de secretários no jornal do Carrilho. Dando-se a curiosidade de, terça-feira passada, se anunciar na nova plataforma que Pedro Calado já não entraria no governo e no mesmo dia o JM, em peça de rotina, meter o ex-vereador funchalense no elenco.
Podemos acrescentar que a nós foi dito, há dias, que Rui Gonçalves seria subsecretário de uma espécie de pelouro de finanças, para, agora na já referida terça-feira, Rui Gonçalves aparecer no DN como secretário da Economia e Finanças. E João Machado como subsecretário de Gonçalves.



Guerrilha interna começa cedo


Perante esta 'trapalhança', explodiu um descontentamento que alastra dentro do novo Laranjal.

Os decisores, de mãos dadas com jornalistas ou para-jornalistas, fazem abordagens cirúrgicas para experimentar este potencial secretário e aquele director regional e mais o subsecretário aqueloutro, no sentido de aceitarem o pelouro A ou abdicarem do prometido pelouro B. A área das obras é um caso curioso, mas deixemos p'ra lá.
A disputa da pasta da economia é a que mais tem dado que falar. Às tantas, Rui Gonçalves afinal já não tinha a economia. Logo, João Machado só poderia ser subsecretário de finanças, e não da dita economia. O que não lhe caiu bem. E para quem seguiria o sector económico? Sérgio Marques e Eduardo Jesus digladiavam-se por essa pasta. Enfim, lá os contendores aceitaram dividir entre si as diversas áreas da bendita economia. Uma festa!


Fuga de Pedro Calado: custa um pouco crer naquelas explicações...



Percebemos as boas intenções das cúpulas PSD ao tentarem fazer passar discretamente o 'bater de porta' de Pedro Calado. O antigo número 2 de Albuquerque na CMF teria explicado ao chefe que no governo regional ganharia muito menos do que pode auferir no AFA, e então, paciência, mas... vou ali e já venho.
Fazemos um esforço para acreditar na balela. Mas custa um bocado, caro Miguel Albuquerque. Até pusemos em hipótese um hipotético temor de Calado em face daquelas disposições legais sobre incompatibilidades e impedimentos dos cargos políticos, mais precisamente em matéria de 'período de nojo' que impede os titulares de se empregarem durante 6 anos em empresas com as quais, como governantes, tenham mantido relações.
Mas qual! Então, depois de andar 3 ou 4 anos a levar indirectas de Meio Chefe por causa da sua lealdade a Miguel Albuquerque, e com legítimas ideias de mostrar o que vale num patamar de governo, só agora, à boca da baliza, em cima do toque para o golo, Pedro Calado se lembrou de salários e do futuro? 
Se é mesmo para acredita, caro Albuquerque, pronto, não se fala mais nisso. Mas não brinquem com a gente. 
Ficamos a remoer: não será que prometeram competências a Pedro Calado e lhas retiraram para satisfazer nomeados birrentos? Não será que... e que...


O governo toma posse a 20. E a ALM, não conta para o totobola?


Já de há muito se diz que Albuquerque gostaria de tomar posse o mais depressa possível, o que é razoável. De preferência dia 20. Mas do que não se ouve falar é do destino do parlamento que o novo Laranjal tanto prometeu dignificar. Então o governo quer tomar posse rapidamente e ninguém trata dos trâmites de abertura da nova legislatura? Albuquerque parece querer ser empossado pelo parlamento - e aí aplaudimos de pé, porque nos fartámos dos autonomistas que recebiam o ceptro das mãos da representação da soberania, em pleno palácio colonial. Ora, como o jurista Miguel Albuquerque sabe melhor do que nós, nenhum governo pode tomar posse antes da instalação do órgão de onde emana esse mesmo governo. Está tudo grosso?


Quando arranjarão coragem para indicar o líder parlamentar?


Quem será o líder parlamentar do maioritário PSD-M? O mais bem preparado, assim à primeira vista, é Jaime Filipe Ramos. Mas, quando confrontados com perguntas chatas, os cabeças do partido dizem: ah, isso continua a ser tratado. 
Sejamos realistas. A cabeça de Adolfo Brazão rolou sem chegar à presidência da Assembleia. Não era essa a ideia, pô-lo em presidente? Então porquê Adolfo em 2.º lugar da lista laranja, logo atrás de Miguel?
Essa cabeça rolou por pressões externas e internas. Não por vontade do grande amigo Miguel.
E Jaime Filipe? Todos sabemos que os crânios social-democratas vivem um dilema: se o metem na liderança do GP, saltarão muitos a condenar a falsa 'renovação' e a agitar o fantasma dos lobbies económicos. Se escolhem outro, muitos virão a terreiro acusar Miguel e demais pensadores social-democratas de tibieza política, de falta de liderança.
Da mesma forma que não acreditamos que Albuquerque já tenha decidido mesmo entregar uma vice-presidência a Miguel de Sousa. Por razões idênticas ao caso anterior. De momento, já se ouvem piropos a esse respeito...
Miguel Albuquerque sente-se numa camisa de 11 varas, sem solução para esta história de 'o velho, o rapaz e o burro' em que o meteram.  
Olhem, desses incómodos não sofria Jardim. Ele não se punha a mandar nomes para o JM a ver se havia muitos anti-corpos, para então decidir. Aquilo era o homem fechado na Quinta do Santo e dali descer de peito aberto para o Funchal com tudo resolvido. O governo era aquele e não havia mais 'pão partido'. Assunto consumado, não valia a pena agitar 'mas nem meio mas'. Aliás, que se atreveria?!
A constituição do governo é direito do líder, não está aqui novidade nenhuma. Fica bonito auscultar colaboradores, para não se dizer que há novo tiranete a querer resolver tudo sozinho. Mas do feitio que as coisas vão...
Com estes avanços e recuos, com secretários que são mais-valias e de repente estão fora do comboio, subsecretários que têm competências e deixam de as ter, pelouros à balda para os novos governantes disputarem, bem: para quanto tempo é este governo?


Tudo favorável à boataria: ou serão verdades?

Depois, claro, vão surgindo sentenças que não se sabe se são mais notícias para desmentir logo a seguir ou se os novos chefes falam a sério e convictamente.
Vai-se ouvindo que Ventura Garcês será o novo presidente da Electricidade. 
Que a saída de cena de Pedro Calado foi mesmo por desentendimentos sérios com Albuquerque. 
Que Eduardo Jesus e Sérgio andaram às avessas e que foi preciso prejudicar a projectada lógica do governo para os contentar.
Que há futuros governantes em pulgas por saberem pelos jornais que lhes retiraram competências. 
Que os dirigentes mais próximos do líder - supostamente os membros da comissão política - também não andam satisfeitos por tomarem conhecimento dos assuntos através de diários, semanários e blogues. 
Que Miguel Albuquerque falava em diminuir o tamanho do governo - crítica directa a Jardim - mas que, vendo-se aquilo onde já vai, parece que o GR tenciona governar meia Europa.
Que Albuquerque mete no governo um elemento 'expulso' do partido - Humberto Vasconcelos -, mas não se lhe ouve uma palavra sobre Henrique Costa Neves, que tanto defendeu a linha albuquerquista municipal contra os falcões das Angústias. 

Aceitamos que sejam preocupações e indisposições sem cabimento. Que Albuquerque, Rui Abreu e companhia saibam o que estão a fazer. Que isso da contestação é só fumaça. Mas olhem que, sem percebermos muito do assunto, quer-nos parecer que alguém anda a desbaratar o benefício da dúvida concedido pelo eleitorado. Ou nos enganamos muito ou esta foi a última chance dada por Zé Povo ao Laranjal.
Façam-nos um favor muito especial: não dêem razão em tão poucos dias ao ainda sua excelência. E lembrem-se de que aquelas trapalhadas de Santana Lopes também não acabaram bem.

22 comentários:

Anónimo disse...




Lá está o Senhor Calisto a inventar....mas será mesmo!!!! ou terá uma coisinha de verdade!!! O futuro o dirá!!!!!

Trindade Pereira disse...

Meu caro Calisto, como sei que eles passam todos os dias pelos blogues, deixo um recado ao dr. M.A. uma versão recauchutada do jardinismo: pense mais na vaidade pessoal, na imagem e na governação e comece a pensar como vai governar e qual o calendário das medidas que a região precisa. Isto de andar a saltar de entrevista em entrevista é uma idiotice que não resolve nada nem cria emprego

Toupeira Manhosa disse...

Sr. Calisto, como sabe estou dentro do sistema, bem dentro do sistema. Desafio-o a desafiar os dirigentes do PSD a esclarecerem porque razão o dr. Calado recusou integrar o Governo Regional? A verdade de tudo o que se passou em vez de darem uma imagem de oportunista do homem, de pensar mais no dinheiro da AFA que nas responsabilidades públicas que lhe estavam destinadas. Tente saber, sr. Calisto, se a causa de tudo o que se passou tem a ver ou não com a estranha protecção que o dr. M.A. concede ao Mister 355 votos, sr. Sérgio Marques, um cargo absolutamente desnecessário e criado só para garantir tacho ao seu amigalhaço. Será que o dr. M.A. vai perseguir as segundas e terceiras linhas da administração regional para meter os seus amigos e amigas (e que amigas...) distribuindo tachos a estes exemplares do jardinismo que, de repente, acordaram para um novo mundo?

Trindade Pereira disse...

Sr. Calisto investigue se é ou não verdade que o socialista dr. Brito ainda não decidiu se aceitará o cargo e tente saber o que pensam e dizem disto tudo os médicos, vários deles, que estiveram com o candidato dr. M.A., um por convicção, três outros por oportunismo levados dele onda da mudança? Voce tem tanta coisa para investigar meu caro. Não pode ser um blogue que publica apenas o que lhe mandam. Diga-me uma coisa: o que é que a sra. Rubina percebe de assuntos sociais, de segurança social, de emprego - parece que serão essas as pastas que lhe vão dar? Trate de saber quais os dois membros da Comissão Política do novo PSD que estavam a contar com este lugar e que se sentiram traídos por esta proteção do dr. M.A à sua antiga vereadora na CMF.

Toupeira Manhosa disse...

Acha bem sr. Calito que antes de termos a orgnânica do futuro governo regional andemos a ser massacrados todos os dias com fugas de informação controladas dos novos senhores do poder, espalhando nomes aqui e acolá? O caricato, sr. Calisto, é que já se chegou ao ponto de indicar alegados futuros directores regionais ou subsecretários regionais tudo isto porquê? Para travar alguns sinais de frustração e de contestação que são perceptíveis já na Comissão Política e nalguns sectores do PSD madeirense.

Anónimo disse...

O Toupeira Manhosa não está bem dentro do sistema, como apregoa. É apenas um mentecapto a tentar agitar. Eu é que desafio essa toupeira mal-cheirosa a perguntar ao Pedro Calado as razões que o levaram a recuar. Não inventem tretas nem coloquem as culpas noutras pessoas. Já agora, quanto vale o Calado nas urnas?

Toupeira Manhosa disse...

Sr. Calisto, ouviu o sr. Sergio Marques - tachista-mor deste novo governo - afirmar na RTP que vamos entrar num novo ciclo de normalidade democrática. Porquê? Por ele estar no governo onde continuará ao serviço dos Sousas, essa quadrilha de exploradores que vivem à custa dos madeirenses e para os quais ele trabalhou? Este tachista-mor do novo PSD vai ser a desgraça do dr. MA. Escreva isto meu caro amigo: o homem quer vingar-se da derrota, dos míseros 355 votos que mostram bem como um tipo que não vale nada no partido, que ganhou tachos e foi eleito ao longo de anos de jardinismo, sem nunca o ter contestado. Com um intervalo de 6 ou 7 anos para trabalhar para o monopolio corrupto dos Sousas e dos portos. Não me digam que este membro da Maçonaria conseguiu chegar ao governo devido às pressões dessa quadrilha e particularmente dos dirigentes de uma certa loja do asvental ali para as bandas da linha de Cascais que frequentava com outras personagens sinistras desta renovação, Adolfo Brasão um deles e o próprio dr. M.A. entre outros

Anónimo disse...

Mais coisas pra resolver:
A elevado expetatuva da sara de Santo Antônio que mostra os louros do trabalho do rui santos. Deputada chega?
Rui santos vai voltar a ficar de luto como para a saída das listas?
Daniel Borges que lançou para os media que ia ser subsecretário da cultura. Nem em deputado vai? Como vai ser?
Nivalda que já não quer ser presidente de Camara. Que cargo vai ter?
Rui abreu tinha de ser secretário do psd e ser chefe de gabinete quem toma conta do partido?
O que vai fazer com os diretores regionais que ligou em tempos a dizer que contava com eles.
Carlos rodrigues da indutora vai ser só depitado?
Faria nunes já não vai pra nada? Como vai ser?
Mauricio Melim nak vai ser secretário?

Anónimo disse...

Fugas de informação intencionadas? Não, puro amadorismo. A verdade é que já deram mais passos atrás do que em frente. Adolfo Brasão era para ser presidente do parlamento. Sergio Marques inicialmente para presidente do mesmo parlamento. Trinta minutos depois Sergio Marques passou a ser o nome mais falado para vice presidente. A ala mais Albuquerque (os antes de 2012) começaram numa guerra fria e conseguiram puxar o tapete ao Sergio. Para não alastrar a onda contestataria Albuquerque acaba com o vice presidente, deixando Calado, Rubina e Sergio todos no mesmo patamar. Mas mesmo não havendo vice presidente Sergio seria o número dois do governo e foi essa a principal razão para os motivos pessoais e profissionais de Calado. Nova ameaça de guerra fria. Entretanto Francisco Clode Sousa seria o responsável pela cultura e já foi preterido pela menina do Berardo. Não esquecer que Fernanda Cardoso também seria secretaria e que Tranquada Gomes seria líder parlamentar. Este ultimo agora é o melhor posicionado para presidente do parlamento e ao que parece Jaime Filipe Ramos será o presidente dos deputados da bancada laranja. Mas até á tomada de posse o mundo gira como tem girado, muito

Anónimo disse...

Há muita gente com valor e capacidade à espera de uma oportunidade para mostrar serviço. Alguns apanham pancada desde 2011/2012 por apoiarem uma renovação no PSD, entretanto já passaram 4 longos anos. Só espero é que de tanto lugar disponível, entre empresas publicas, institutos e gabinetes de diretores regionais não ponham lá os mesmos que andam nisto à 40 anos a lamber o saco. Espero que a renovação não seja uma dança de cadeiras!!!

Anónimo disse...

Mais uma rainha de Inglaterra na electricidade? O Miguel Albuquerque que tenha juízo e não meta mais um ladrão lá dentro que já tem tantos. Coloque alguém que tenha conhecimentos técnicos. Andam a roubar a empresa que metade dava.

Eu, o Santo disse...

Não pertenço ao clube.
No entanto, um lider no mínimo tem que saber:
1) quem tem rabos de palha vai tentar descobrir ou criar rabos de palha aos seus superiores, como por exemplo, Presidente e secretários regionais.
2) numa relação de muitos anos é natural que os superiores hierárquicos saibam quais os rabos de palha de seus diretores. Pior, se calhar até os obrigaram a comete-los. Assim, ficar com a equipa de outros é muito perigoso.
3) os mais experientes tem uma tendência de tentar e conseguir entalar os novos no cargo. Assim, ou muda tudo ou quase que não muda nada.
4) os madeirenses estão muito desconfiados da sua renovação. se manter ou promover os dirigentes da antiga equipa é o descrédito total.
.
Volto a reafirmar, a maneira de um corrupto tentar garantir que não descobrem suas corrupções é incriminar os outros e/ou baralha-los completamente (arranjando-lhes um monte de problemas).
Pelo seus votos, os madeirenses estão mais dispostos a aceitar erros de inexperiência do que aceitar continuação de erros.

Anónimo disse...

filha de AJJ chefe de gabinete das finanças???....é só mais um boato que corre por aí...

Anónimo disse...

O melhor disto tudo é ver que quem manda é o Jaime Filipe Ramos. Ele faz o que quer e o que não quer, o Miguel Albuquerque não passa de um boneco nas mãos dele e do Rui Abreu.

Viva ao Jaime Ramos que continua a mandar nestes bananas todos.

Anónimo disse...

TUDO O QUE AQUI ESTÁ ESCRITO É VERDADE, INCLUINDO GRANDE PARTE DOS COMENTÁRIOS. PRIMORDIAL É MESMO ESCLARECER COMO É QUE O CHOUPANA HILLS SÉRGIO MARQUES TEM TANTA INFLUÊNCIA E O CHOUPANA HILLS JESUS PARA LÁ CAMINHA. DA QUADRATURA DO CHOUPANA HILLS SÓ O ADOLFO BRAZÃO É QUE AINDA NÃO SE SAFOU MAS PARA FICAR CALADO, OS OUTROS CHOUPANA HILLS VÃO LHE DAR ALGUNS RESTOS DO GAMELÃO A QUE SE APRESTAM CONTROLAR. O QUE NOS ESPANTA NESTA GENTE É TEREM A VERDURA POLÍTICA DE PENSAREM QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO E O TRIBUNAL DE CONTAS ANDAM A "DORMIR". NÃO CHEGAM A MEIO DO MANDATO. NÃO SÓ NÃO ESTÃO PREPARADDOS COMO NÃO TÊM ESTRUTURA MENTAL PARA AGUENTAREM. GOVERNAR NÃO É PROPRIAMENTE VIAJAR PARA ESTRASBURGO OU ORGANIZAR CONFERÊNCIAS PARA AUTOPROMOÇÃO. A POLÍTICA NÃO É PARA QUEQUES ARMADOS EM VISITANTES DOS POBREZINHOS, É PARA GENTE DE CONBATE E COM VIVÊNCIA POPULAR. VEREMOS...

Anónimo disse...

A democracia ainda continua a ser o menos pior dos sistemas, contudo, também permite o aparecimento de determinados "bichinhos" , qual Arca de Noé num deserto de ideias, cujo único objectivo é destruir e viver do engano. Infelizmente sempre existirão toupeiras manhosas, cavalos de Tróia e vendedores de banha da cobra para lançar veneno sobre tudo e todos. Desparasitante precisa-se.

Anónimo disse...

Eu fartei me de trabalhar na campanha do Miguel Alb. e agora o que tenho? NADA!!!! Ajudei na renovação para um tachinho ... Fiz manhas tardes noites e agora??? nada! zero!... estou triste. Muito abalado e com uma depressão devido a esta dita renovação!

João Barreto disse...

O Francisquinho que engraxa sapatos ao lado do Apolo, mandou-me dizer que não está disponível para o governo. Acrescentou que se os senhores secretários, subsecretários e afins quiserem engraxar antes de tomarem posse, estará como sempre disponível, no horário do expediente, sendo que no dia da posse, dada a concorrência doutros engraxadores no local, fará uma promoção de "engraxa dois, paga um". Factura simplificada não passa porque a caixa não tem antena para a Internet; e já que está em maré de engraxadelas, se a menina Rubina estiver pelos ajustes, engraxa-lhe as botas durante o mandato do governo por troca de uma pensão decente.

Anónimo disse...

É impressão minha ou isto é so gente a falar sozinha?

Anónimo disse...

A filha do ajj agora também é a favor do Albuquerque ?? Isso só pode ser mesmo um boato..

Anónimo disse...

"em matéria de 'período de nojo' que impede os titulares de se empregarem durante 6 anos em empresas com as quais, como governantes, tenham mantido relações."...
Ora, que nojo? O Bruno Pereira aprovou, como diretor do turismo, o hotel do AFA na Calheta e foi logo para lá trabalhar....

Anónimo disse...

Há aqui uns anónimos que até o dia
19 irão inaugurar mais uns becos agrícolas....Esquecem que a bagunça ,
compadrio, tachos de índole familiar,
e riqueza ????? ACABOU.