segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Carta (mais ou menos) extraviada



Bom dia, Luís Calisto

Partilho consigo um texto que o Diário terá, aparentemente, dificuldade em fazer publicar nas Cartas do Leitor.



 Cafôfo contagia a Imprensa

O Diário de Notícias deu-nos conta no último fim-de-semana dos anseios de Paulo Cafôfo, enunciados de tal forma contagiante que o próprio jornalista, não obstante todo o esforço, estou certa, não conseguiu distanciar-se do seu interlocutor.
A operação de transformação da cidade é, citando o jornalista, “anunciada com o entusiasmo de quem acredita que é mesmo possível”.
À margem da isenção, imparcialidade e objetividade questiona-se:
- o que sobra da notícia?
- e para quando esta cidade anunciada?
Vejamos.
Temos em vigor um PDM que remonta a 1997.
Em 2013, a então vereação social-democrata deixou um Plano pronto a iniciar a fase de discussão pública.
Neste preciso momento, decorridos mais de 3 anos de mandato, a Coligação está a analisar as recomendações emitidas pelo Governo Regional.
O PDM da atual vereação encontra-se, portanto, numa fase anterior, mais atrasada, do que aquela que a equipa de Miguel Albuquerque deixou ao executivo que o sucedeu.
E para finalizar lê-se que o autarca “espera avançar com a discussão pública em Maio, a tempo de aprovação final em Setembro”.
Em conclusão, e admitindo o cenário do autarca (não é líquido), a Boa Nova é a de que a Coligação aprova um novo PDM em final de mandato. 
Pergunta-se:
- O que contagia o jornalista?
- O que entusiasma o autarca?
Não vejo no artigo nada mais do que inaptidão na defesa da coisa pública e dos interesses dos munícipes.

Maria José Mendonça

10 comentários:

Marca Porto Santo disse...

Cada vez mais consigo identificar mais semelhanças entre o Funchal e o Porto Santo nesta deriva de show off, auto promocional pré- autárquico.

Quanto aprovar mexidas no PDM penso que existe o impedimento legal seis meses antes das eleições...

Portanto....

Anónimo disse...

O que contagia o jornalista é simples: a mulher é secretária do Cafofo. Simples!

Anónimo disse...

Motivos pessoais para ambas as perguntas...para o jornalista (adivinhe-se porquê!) e, claro, para o autarca...uma vez que o que o move não são os interesses dos munícipes mas os seus pessoais

Anónimo disse...

O que mais assusta é sabermos disto em blogues...

Anónimo disse...

Espetáculo!

Como não há nada de novo para anunciar, carrega no que já foi feito.
É esta pouca vergonha que se assiste pelos lados da CMF.
Um completo desnorte suportado pelo DN-M!


Anónimo disse...

Afinal vai dar ao mesmo, diziam que no PSD eram as comadres que tinham tachos, agora é no PS os compadres....VAI TUDO DAR AO MESMO....isto para não comentar em calão.
Abraço Calisto

Anónimo disse...

O que entusiasma o jornalista é o que entusiasma muita da comunicação social regional e nacional.....o que me preocupa é que, à boleia destes entusiasmos, nada se resolve. Os problemas só se disfarçam e na hora da verdade, é o cidadão que perde. Aliás, ninguém pensa no cidadão. EU como munícipe do Funchal estou francamente desiludida com o que esta autarquia podia ter feito e n fez. Mas o meu voto nunca mais levam.

Anónimo disse...

O assalto medíocre ao poder continua, levado ao colo pelo DN Madeira!

Anónimo disse...

O que mais me preocupa actualmente no jornalismo madeirense, com excepção de poucas honrosas atitudes de jornalistas dignos desse nome, é a mercantilização das notícias, a que se chegou na imprensa regional, como se estivesse atrás de um balcão a vender pregos! Onde anda o brio profissional de respeitar e cumprir o código deontológico dos jornalistas, e o rigoroso cumprimento do seu estatuto e lei de imprensa?

Anónimo disse...

O DN nas suas fileiras só tem bloquistas e socialistas por isso é normal que tentem levar Cafofo ao colo...sem falar das malas de dinheiro que chegam ao Diário