terça-feira, 24 de janeiro de 2017

K-Saúde volta a atacar!



Novo hospital
  
As verdades que precisam ser ditas

É bom recordar que o novo hospital da Madeira foi uma ideia do governo regional já com mais de uma década. Projectado para os terrenos de Santa Rita teve projecto aprovado e deu-se início ao processo expropriativo. 
À falta do financiamento necessário para a obra e tendo falhado o apoio do governo da república o governo regional optou, por ser inadiável, por remodelar os serviços no hospital da cruz de Carvalho. E assim fizeram se as seguintes obras de remodelacão:
-estacionamento e heliporto- novo
-laboratório com robótica-novo
-anatomia patológica-novo
-dois laboratórios de hemodinamica-novos 
-Camara hiperbarica-novo
-internamento de pediatria-novo
-hemato-oncologia- novo
-gastroenterologia-novo
-5 salas de cirurgia de ambulatório- novo
-refeitório- novo
- vestiários oficinas e casa de pessoal- novo
-Farmacia- novo
-unidade de AVC-novo
-ETAR-novo
-biblioteca- novo
-urgência de pediatria- novo
-arquivo clinico- novo
-UCIP- novo
-hemodiálise- novo
-unidade de neutropenios- novo 
-central de esterilização- novo
-Imagiologia TAC e RM- novo 
-medicina nuclear- novo
O que faltava fazer para termos um hospital novo completo?
-remodelação do SU de adultos 
- bloco operatório central 
-remodelação dos internamentos para abranger os doentes do Hospital dos marmeleiros.
Esta última a mais complicada tinha duas opções ou construir a sul ou construir no espaço onde está a escola que é propriedade da Região. Custo? Um máximo de 170 milhões. 
Perante isto como se justifica gastar agora 340 milhões??
E o que se fará com tudo o que de novo está  feito na Cruz de Carvalho ?? Vai para o lixo??
 Não seria melhor e mais barato acabar o que estava a ser feito ??? 
E parece que esta é até uma das conclusões do célebre grupo de trabalho fantoche do novo hospital quando a decisão já estava antes tomada.
E para isto há dois factores explicativos o primeiro é o lobby dos interesses do betao quando se pode fazer por 340 não se vai fazer por 170 e segundo o assalto ao poder que uma facção do PSD Madeira quis fazer por antecipação. E nesta antecipação contaram com o apoio de figuras  pardas de convicções totalitárias que na sombra pretendem gerir os seus interesses a conta  de uma espécie de coligação camuflada  trazida de outros tempos da autarquia do Funchal...
Seguindo uma estratégia montada por passos coelho para destronar Alberto joao Jardim do poder precisavam de um grande fait divers e que melhor para isso do que a bandeira de um hospital novo de raiz (além de outros devaneios ) houvesse  ou não dinheiro para o pagar??
 Puseram os homens de mão e um imbecil a zurzir nos jornais a administração e as obras de miguel Ferreira e a fazer o elogio cego do novo hospital, como se todos os problemas da saúde regional acabassem com essa obra que durará pelo menos 10 anos a estar pronta. E com toda a argumentação da oposição lá se adiantaram e tomaram o poder. Criaram uma comissão para o novo hospital composta por um afilhado imbecil, por tipos da oposição que faziam o jogo do poder um porque julgava que ia ser secretário da saúde numa coligação outros por interesses lambareiros e outros por pura ignorância de que estavam a ser levados. A oposição porque não tem ideias nem projectos lá embarcou na ideia e criou se unanimidade sobre a coisa sem pensar se continuar o que estava a ser feito seria melhor e mais barato e porque a ideia de uma coisa nova  aparentemente da mais votos e nisso todos acharam que iam ter o seu quinhao de votos. 
O resto fez o DN e a sua máquina de propaganda e ficou toda a gente contente.
Faltava só saber quem ia pagar o fartote depois de se ter concluído que afinal eram todos pais do novo hospital desde o pároco do CDS ao Pereirinha quando o único pai e afinal AJJ em abono da verdade histórica.
E anda vira e trambulha e o monhé geringonço para enganar os tolos anunciou com pompa que vai dar metade do valor da obra e o Pereirinha aproveitador logo se pôs em cartazes a dizer que cumpriu. A verdade porém e que ainda ninguém viu a cor do dinheiro em orçamento nenhum e os novos espertos dizem que o projecto fica concluído até ao final do ano isto é depois das autárquicas. 
Andam uns e outros a enrolar o povo e sabe Deus se isto alguma vez avança e fica pronto quando a solução óbvia e mais barata já estava ali a mão de semear. 
O partido do poder precisa de encontrar novos rumos e o Pereirinha devolvido à procedência senão isto não vai lá. O povo não é burro.
K-Saúde 

26 comentários:

Anónimo disse...

Valha-nos alguma clarividência. Pena o povo ter ido na conversa dos vendedores de banha da cobra Albuquerque e Pereirinha.

Anónimo disse...

A saüde està parada , pior ,está em retrocesso acelerado e perigoso desde que Miguel Albuquerque decidiu que para salvar a sua pele politica tinha de renegar obra feita e um projecto bem concebido e focar toda a questâo da saüde num novo edifício.
Os lambe botas e ignorantes apoiaram no.
A procissão ainda vai no adro, muito atraso em geral, medicina retrögrada e perigosa, vidas ceifadas, sequelas graves, sofrimento evitàvel... Mas o que importa isso?
Triste Madeira! A populaçâo merece muito mais e muito melhor.

Anónimo disse...

Tenho pena do Dr. Miguel Ferreira pois conseguiram destruir tudo o que ele tinha conseguido fazer pela Saúde na Madeira e tenho pena, de nós utentes, por não podermos usufruir nada e estarmos entregues a esta bicharada incompetente e aos interesses dos caciques do costume. Esses sim, ganharam com esta palhaçada toda a que temos vindo a assistir. Pode ser que paguem mais tarde, eles ou os seus familiares, quando forem bater a uma cama do hospital (do velho porque do novo...).

Anónimo disse...

Falta dizer que, com a separação da Secretaria da Saúde e a da Inclusão Social, se tirassem os utentes que estão abandonados nos hospitais para lares, o hospital funcionava melhor. Teria outra disponibilidade para tratar!

Em relação às obras novas, estão de facto feitas. A grande questão é que foram feitas pela empresa do amigo das longas travessias marítimas, e na sua maioria, tem problemas de construção e/ou funcionamento.

O engenheiro das obras, assessorados por duas administrativas com manias de técnicas superiores, tem a mesma competência do Afilhado Imbecil, e portanto, tanto projetos, como obras, ficam muito aquém do desejado e, pior, muito aquém do que foi pago pelas obras.

Anónimo disse...

Nem mais!! Esta treta do "novo hospital" é o grande embuste deste GR.

Anónimo disse...

Ainda há alguém com lucidez no meio disto tudo faz pensar...será que vai ser preciso dizer volta Jardim Ramos que estás perdoado? Já faltou mais perante todo este descalabro que tem sido a saúde renovadinha

Anónimo disse...

O Hospital devia se expandir para o local da Escola, sendo esta destruída e os alunos afetos a outras escolas com espaço suficiente. O terreno da Escola era por natureza para a expansão do Hospital, mantendo-se assim aproveitadas as obras do atual.

Passos Coelho no Congresso mandou recado para Costa não se esquecer do Hospital. E ele, Passos Coelho quando foi governo, o que fez pelo Hospital-Zero

Anónimo disse...

A Imagiologia só está a fazer 6 ressonância magnéticas por MÊS.
Tem lá duas máquinas novas que podiam fazer talvez umas 20 por dia, mas estão a fazer 6 por MÊS.

Mandam os utentes para as clínicas privadas para gastarem balúrdios em ressonâncias magnéticas. As filas de espera para ressonâncias no Hospital não param de aumentar. Mas não é por não haver lá equipamento. Há e é novo. Porque não o usam?
Porque é que o DN não investiga isto? Ou a RTP?

Será que também vão querer fazer um Hospital novo para depois continuarem a enfiar os doentes nas clínicas privadas dos médicos para estes ficarem ainda mais ricos?

Anónimo disse...

Fartos de conversas do novo Hospital...antes disso, resolvam o velho que está vergonhoso e retomem as condições do actual, com médicos, equipamentos, materiais e deixem de mandar doentes para o privado!!

Anónimo disse...

O fim de Miguel Albuquerque vai ser ter querido o fim de Miguel Ferreira.

Anónimo disse...

Mais uma vez se demostra que o único que tinha miolos no meio disto era o AJJ a populaça burra engoliu este embuste do novo hospital e toda a oposição burra tb como é foi atras uma tristeza bem faz o Costa que só da metade o que da e sobra para acabar o que está por fazer

Anónimo disse...

O K Saúde falou dos 4 ou 5 tipos da Comissão, boys do Costa, que garantiram, cada um com voto contra, que o novo hospital não passava a projeto de interesse comum?? A questão ficava logo ali resolvida. Cada fase da obra devidamente calendarizada, orçamentada e com verba inscrita no Orçamento da Região e do Estado. Só desta forma Costa cumpria com palavra dada, palavra honrada. O que temos com a promessa cumprida de Carlos Pereira resume-se a uma simples operação aritmética. Quanto é 50% de zero euros inscritos pelo Estado para o hospital? Pois é... E Carlos Pereira também o sabe.

Anónimo disse...

Isso da ressonância e um escândalo então tem máquinas novas e só fazem 6 por mês quando podiam fazer 20 ao dia??? E não vem no Diário???

Anónimo disse...

Ao anónimo das 16.08 e então o que fez o querido Passos Coelho quando lá andou pelo novo hospital como pic??? E agora a culpa é do Costa? Este ao menos diz que paga metade o coelhinho nem metade- zero o pior e pensar que as pessoas são tontas

Anónimo disse...

Eu já desconfiava cada vez que entro no hospital calha-me uma ala renovada e bonita e equipada com do bom e do melhor e vem sempre alguém do contra a escrever que temos um hospital sem condições típico do 3º mundo .....já saíram desta terra para ver o que um hospital de 3º mundo?

Anónimo disse...

Ao anónimo das 16h46 - Se Passos Coelho eleito, como foi, pela maioria dos portugueses liderasse o Governo da República teríamos hoje o hospital como projeto de interesse comum. Ao invés, temos hospital para interesse partidário, joguete socialista contra os interesses do povo da Madeira.

Anónimo disse...

boa analise , é pena que a demagogia e o facilitismo seja partilhada pelos partidos politicos.
Talvez sinal que urge mudar.

Anónimo disse...

Tínhamos hospital com Passos Coelho? Nunca.O povo já percebeu a conversa fiada.Graças a Deus que já temos escrito na Lei do orçamento deste ano ,que a república paga metade do custo do hospital.Toca a fazer contas e a por tudo preto no branco. O povo não é tonto.Já começou a abrir os olhos.

Anónimo disse...

O anónimo das 19.57 só pode estar a brincar ou então é cego a única coisa boa que o passos fez pela Madeira foi o paeff que a classe média muito agradece e em qye os madeirenses pagaram o calote a dobrar e pra que? O calote ficou pior Esse gajo devia ter vergonha de cá por os pés e mais vergonha devia ter quem o convidou que isto não é uma colônia para vir ganhar o crédito que já ninguém lhe dá em Lisboa

Anónimo disse...

De longe, a única pessoa que conhece os problemas da saúde por dentro e por fora era o Miguel Ferreira. Foi a única pessoa que contribuiu para a evolução da saúde nos últimos anos, depois dele... só retrocessos... Basta ver a atual equipa, um conjunto de "fantoches" e "pequenos(as)" com a mania do poder.
Que fazer???, o povo gosta de esperar meses e anos, por uma ressonância, ou cirurgia!!! Agora não se queixem.

Anónimo disse...

O que Pedro Ramos vai fazer é dialogar, pelo menos dar essa imagem. É abrir congressos, visitar centros de saúde, desejar boas festas e ir a eventos do governo e do partido como já se viu neste último congresso. Nada virá deste senhor que nem as urgências soube organizar. De Flop em Flop até à Flopada final.

Anónimo disse...

Uma ressonância está avariada, o bloco do ambulatörio desocupado, o bloco central mete água e tem brechas,os cirurgiões e anestesistas estāo folgados ou de folga...A gestāo da saüde é danosa e vai continuar assim até bater mais no fundo.
Nāo vāo ser Miguel Albuquerque, Tomásia e Regina que vāo dar conta do recado.

Anónimo disse...

No tempo do MFerreira tudo o que podiam para dizer mal era primeira página do diário até a falta de papel higiénico agora é uma maravilha pode faltar tudo pode não haver produção nenhuma que não se sabe e o Diário caladinho e compradinho só esquecem que está política de avestruz não vale para os profissionais e para os doentes que sabem o que se passa enfim uma tristeza triste e ainda por cima puseram um trio Tomasia o Pedrinho das artes e a Fabricia do BPI que não se sabe muito bem o que estão lá a fazer cunhas cunhas cunhas tá bonito tá

Anónimo disse...

A Fabrícia do BPI?Então não é funcionária pública assim como a Tomásia?

Anónimo disse...

Foi do BPI mas passou para a secretaria das finanças.

Anónimo disse...

Finalmente pagaram ao Pedro Gouveia por abanar a bandeira, vá lá, podia ter sido pior, podiam ter pago ao Dória. Ah é verdade, já pagaram com a comissão da droga. Muito bem, estão a ver como compensa?