segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Comparações e coincidências




Viajar é Comparar Abutres (urubus) à volta de contentores-de-lixo cor-de-laranja, debicando as sobras, às portas do Mercado de São Brás (em Belém do Pará, Brasil - 16 de Dezembro de 2016).
Nota: Qualquer semelhança com um evento ocorrido no fim-de-semana passado, na Ilha da Madeira, Portugal, é mera coincidência.
Luís Oliveira

10 comentários:

Anónimo disse...

Morda a língua Sr.Oliveira. Morda e veja lá se expurga primeiro esse veneno.

Anónimo disse...

O texto de Luís Oliveira também conhecido por Iglésias decorre da comichão provocado por este:

Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir.

Levada à letra, a frase de Churchill transformaria Paulo Cafôfo num homem cosmopolita e, por cá, na ilha, andaríamos todos em pêlo.

Anuncia consensos nos horários de Natal quando, ontem, viemos a saber que nem acederam ao pedido de reunião do SITAM.

Encomenda via orçamento da CMF sondagens para fins eleitorais. No dia seguinte nada têm que ver com o assunto.

Propagandeia uma nova cidade na cidade, onde vigora um PDM de 1997. O novo, na melhor das hipóteses, só lá para setembro, passados quatro anos.

Omite quem gere e paga os programas de emprego na CMF e nas Juntas da Coligação Mudança.

Diz investir 660 mil no Parque Ecológico, escondendo, omitindo, esquecendo, mentindo - há palavra para todo o gosto - que 538 mil euros são financiados pelo PRODERAM, um programa da Secretaria Regional da Agricultura e Pescas.

Volta ao mundo há muitas e para todo o gosto. Cafôfo é tão versado na matéria que ao dar uma leva uma segunda de bónus.

Vejamos como:

Os "Encontros com as Pessoas" foram até à distante Alemanha e não se diz nada a ninguém? Mais. O senhor Paulo Cafofo traz um cheque de 10 mil euros de donativos da cidade irmã de Leichlingen para as vítimas dos incêndios e não diz nada a ninguém? Mistério. O que vale é que o seu homólogo de Leichlingen, Frank Steffes, divulgou o evento. Caso contrário seríamos os últimos a saber.

Anónimo disse...

Cuidado com o que diz. É depreciativo e ofensivo, nem todos podem e devem ser medidos pela mesma bitola. Há pessoas de bem, filhos, pais e mães de família, gente honesta e trabalhadora que acredita na social democracia, sem olhar a si.
Não também dizer que nos partidos fora da orla Social Democrata não existe gente de bem e são todos urubus?

Anónimo disse...

O que não faltam são abutres por aí à espera que o PSD caía.

Anónimo disse...

O urubu e um animal que se alimenta de carne morta e por essa razão impede a transmissão de doenças contribuindo para o equilíbrio ecológico. Ora a comparação é infeliz porque os invertebrados que se acoplam a reunião magna e para sorver interesses bem vivos... talvez em comum esteja a avidez

Anónimo disse...

Este senhor escreve que e uma categoria. Sua prosa e similar a de um cronista que escreve no diario dizendo mal de tudo e todos.
quem escreve assim e alguem que le muita literatura de terror.

Anónimo disse...

Vê-se logo que não conhece o Luís Oliveira, ex-PND ou PNR, nunca sei qual é qual...

Anónimo disse...

tem toda a razao. faz.me lembrar o celebre adagio diz.me com quem andas dir.te.ei quem es.

Anónimo disse...

Bela comparação! Foi por isso que a social-democracia na mamadeira ficou desvirtuada, para se transformar numa "máfia no bom sentido"! E todos nós sabemos ao que vem a máfia! Cifrões...e mais nada!

Anónimo disse...

Devo confessar que adorei a comparação.
Como se chama os abutres que ficam ao lado do leão que está quase a morrer?
Já lembrei o nome da senhora, a Bina, o senhor é melhor não dizer e ficar calado.
Vai dar briga da grande. O discurso dele diz tudo no congresso. ele é que fez tudo. porque ele é muito bom. ihihihihihihi