sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Análise interna



Reproduzimos a vista de olhos de um Leitor sobre a situação do governo regional. Atendendo às parangonas eufóricas dos executivos do Blue Establishmenet nos seus espaços predilectos de promoção pessoal e partidária, parece que este nosso Leitor vive noutra terra. Ou serão os secretários regionais mais o Presidente que vivem como a célebre avestruz da cabeça enterrada na areia?





Tempos que já lá vão!...




E o povo engole tudo isto? 




- A Agricultura não tem ideias e apenas faz anúncios que ninguém entende nem aceita. A juntar a isto temos o ataque tolo aos pescadores. É uma Secretaria gerida por um Betinho que se isolou de todos. O chefe de gabinete manda naquilo com os seus negócios amarrados à perna.



- A Saúde é um beco sem saída e vai de mal a pior. O hospital está a fechar aos pedaços e os médicos a sair. Não há capacidade de resposta.






- A Educação é uma feira de 
vaidades e nada de bom tem saído de lá. Aliás é o espelho do Secretário que não tem uma gota de humildade. Nem vale a pena falar da Cultura porque já se percebeu com a saída da Bento que é uma casa de loucos! 



 
O Ambiente é um festival de quem nada faz e de declarações sem conteúdo. A Prada já lá está há tanto tempo e não tem nada para mostrar.



- O Turismo vive à custa do que já vinha feito de trás (Fim do Ano, Festa da Flor, Carnaval, etc). Iam revolucionar o sector? Iam mudar tudo? Mentiras! Vivem do que já estava feito e colhem louros que não são seus.



                                                
- As Finanças nada fazem porque nada podem fazer. As ordens são dadas por Lisboa e o Secretário que lá está não tem imaginação nem vontade para nada mais. É um técnico e não um político. Nem devia lá estar. 




                         
- Nos Assuntos Parlamentares o Sérgio faz-se de morto e aguarda a oportunidade para derrubar o Miguel. O segredo é não fazer nada para que não falem deles. 




- Nos Assuntos Sociais já não há pobreza nem desempregados. Desapareceu tudo quando a Leal entrou na Secretaria. O que fazem é esconder o que de muito mau há nesta terra para que não lhes acusem de nada fazer. Na verdade nada fazem! É ver a banda passar e esperar pelas eleições para a Câmara do Funchal para ver se o Miguel manda a Rubina ser candidata porque ela quer é se livrar daquela pasta que não tem competência para gerir.


- O Miguel anda de festa em festa e já percebeu que a meia dúzia de frases em vazio que usou para ganhar o partido e vencer as eleições não esticam mais. Trabalho? Não é com ele. E o amiguinho Passos não ia resolver tudo? Onde está ele, que nem Primeiro Ministro é?

E O POVO ENGOLE ISTO???!!!


10 comentários:

Joelo disse...

Ataque aos pescadores? 4€ anuais? Vão lá mas é trabalhar. Tentam fazer textos bonitos mas depois saí isto. Enfim. Quem não quiser ver nada de bom, nada de bom verá.

Anónimo disse...

Correção: A cultura não pertence à educação e faz parte do turismo. Devia fazer parte só que não foi desta.

Anónimo disse...

Como se um Governo vindo de qualquer um dos atuais componentes de qualquer outro partido nesta terra tivesse feito mais e melhor. Mas pronto, supondo que sim, caro leitor, que tal umas sugestões para o que já podia ter sido feito? Até pode ser que dê algumas ideias! Agora fiquei curioso! Por que falar mal também eu sei.

Anónimo disse...

Há uma coisa de comum entre alguns secretários e até o próprio chefe deles: Estão ou pelo menos estavam endividados. O Betinhos e o Albuquerque ocupam o pódium com calotes a tudo o que mexe, finanças, bancos, EEM, etc, etc.
Veremos daqui por uns aninhos se tudo não vai estar saldado.
Com alguém já escreveu, vão ser os tais planos e mais planos pagos a empresas certamente constituídas para o efeito.
O já tem longa experiência desses expedientes. Fez um curso intensivo em São Vicente, não teve tempo para mais, mas agora ele começa bem cedo.
Quem quiser que acredite na utilidade de tais planos a não ser um pretexto para "sacar".
Oxalá eu esteja errado.

Anónimo disse...

De fundamento so o caso da Saude.

Anónimo disse...

Calisto ! Calisto ! juro que não percebo ! Foi mesmo jornalista durante 4 décadas ? Porque de inteligência não tem nada ! Deve pensar que governar é como criar um blog ! Infelizmente nem um blog sabe criar , porque se soubesse deixava de ser o inculto do Atlântico , e tentava contribuir com propostas e ideias ! Aliás era pedir muito , afinal só sabe dizer mal ! Vá pense em mudar o nome do blog ! Inculto do Atlântico !

Anónimo disse...

De facto a cultura não faz parte da Educaçao, mas a cultura da Educaçao corresponde ao texto, ao que se juntaria também uma cultura de incompetencia e ausência de qualidade de Educaçao. E que também aqui nao basta querer e preciso Saber.

Anónimo disse...

Tão inteligente o anónimo das 01:22 que nem reparou que a análise era de um comentador, e não, do Luís Calisto.
Deve ter sido do sono.

Anónimo disse...

O Hospital a fechar aos pedaços e os médicos a sair ? porque razão ?já viram que o dinheiro o os recursos existentes em vez de serem canalizados para aquilo que é urgente vai para o bolso de alguns , com o falso pretexto de recuperar listas de espera .
Já se interrogaram se a razão de existir esta lista de espera monstruosa , não é de propósito para estes " programas de recuperação " que sugam os recursos.
Enquanto o Secretário da Saude não for um elemento fora da classe Medica e enquanto não houver coragem para ir ao cerne do problema , vamos continuar neste mamanço. Quanto á figura que exerçe o cargo de Secretário por uma questão de pudor é melhor nem falar.

Anónimo disse...

Sabem o que é estúpido? É que é tão fácil dar um inicio de solução a nossa região. E irrita-me, porque o PPD/PSD perdeu a sua ligação com as pessoas (povo é para quem vive na idade das trevas). E juntando a sede de poder de alguns "espertinhos" isto têm tudo para.... não dar nada. Enquanto não entenderem o porque que serem eleitos e o que devem lá fazer, isto nunca anda. Ah, não se esqueçam, vivemos numa região. Coisa que todos as pessoas, e quem foi eleito, tem a tendência em esquecer.