terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Opinião


“JOGADAS” COM QUE NÃO PACTUO


Li no diário fundado pelo actual Governo Regional, e sua propriedade, umas asneiras do Coelho cuja impunidade é explicada por servir ao colonialismo anti-Autonomia. Procuram me misturar com as trapalhadas do BANIF, Banco em cuja fundação e sobrevivência me empenhei sem qualquer vantagem pessoal.
Pelo que lamento o que o actual regime político português fez, uma machadada na Autonomia Política do Povo Madeirense, que me dá a impressão de as pessoas não estarem a entender.
Mas eu venho avisando sobre o regime político da República Portuguesa…
Sendo este o meio em que na actual “democracia da paróquia” não me é impedido aceder à Opinião Pública, cumpro o que prometi sempre que o meu nome for envolvido.
Primeiro, só os complexos e feridas sociais, herdados de séculos de servidão e ainda não secundarizados, é que explicam que na Madeira, ao contrário do mundo civilizado, à criatura em questão sejam dados votos, bem como expressão na comunicação dita “social” que a outros nos censura.
Segundo, conheço as declarações produzidas, na íntegra. Os restantes nomes gratuitamente mencionados foram jornalisticamente apagados, e bem. Assim, não deve ser explicado o porquê do meu, ser o único a aparecer?…
É a trágica patologia histórica da Madeira, de procurar destruir todos os que fazem pela nossa terra.
Terceiro, fui sempre presidente NÃO EXECUTIVO da Fundação Social Democrata da Madeira, legal e estatutariamente não podendo portanto intervir em decisões administrativas, financeiras e de gestão.
Quarto, tanto quanto apurei, nunca a Fundação teve quaisquer relações privilegiadas com o BANIF, neste procedendo exactamente como em qualquer outra instituição de crédito, numa mera relação Banco-Cliente, desenvolvendo os actuais Administradores, que substituíram os anteriores, um grande esforço para as regularizações que se impõem.

Funchal, 23 de Fevereiro de 2016

Alberto João Cardoso Gonçalves Jardim

7 comentários:

Anónimo disse...

Camarada AJJ,

Só mesmo você é quem tem pachorra de se dar à maçada de reagir e responder às tontices do Coelho.
Uma nota apenas. A maior machadada na autonomia do povo madeirense foi-nos dada por si, quando arreou as calças e assinou o PAEF que o Gaspar lhe pôs à frente, depois de ter explicado tudo ao vilão da Camacha.
E os seus artigos não são publicados no seu Renovadinhos ?

Anónimo disse...

Senhor Calisto! E então o filtro do "Ler mais"? Fez-se esquecido? Eh eh!

Anónimo disse...

Obrigado pelo meu comentário ter ido pra o balde do lixo.

Luís Calisto disse...

Sr. das 17.43
Se quer ver publicado o seu comentário, gratuitamente insultuoso, é simples: assine-o para que os visados possam defender-se e contra-atacar.
Julgava que a regra cá da casa era suficientemente conhecida.

Jorge Figueira disse...

Meu Caro Luís Calisto
Tal como eu, recordar-se-á do caso protagonizado com o Expresso que, há anos, deixou pairar suspeitas de eventuais crimes de dignitários do regime. As ameaças de recurso a Tribunal não se fizeram esperar, embora ninguém fosse identificado.
Hoje publicam-se nomes e não há queixa, nem contra o JM nem contra o Coelho. Sem ofensa ao Fénix, contentam-se com esta "vitimizaçãozinha". Não vislumbro explicação, Estou perplexo. Consegue desvendar este enigma? Boa Noite.

Anónimo disse...

Mas o Banif não foi um Banco da Madeira para o governo..Oh homem ja esqueceu ? E queria escrever no JM? Mas qd la estava nos bonecos , nos confrontos, erc...é que era democracia...Que grande Lata

Anónimo disse...

oh sr das 15.30 ...Ele nao é do Renovadinhos...porque ele é do mais reles conservador que existe...O Renovadinho é o dono da construcao ...isso mesmo das sanitas.