sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

E borda o pai, borda a filha, borda a mãe



GALOS-PALHEIROS À 'BICARADA'
PELOS POLEIROS MAIS ALTOS



















Esta sexta-feira, andam
todos três de crista eriçada







Hoje é um dia típico da luta de galos que domina cada vez mais as actualidades da Tabanca.
Vamos tentar resumir as informações inflamadamente propagandeadas nos sítios sociais próprios de cada galo e nos seus escaparates oficiosos.
Miguel Albuquerque, sabe-se, embarcou ontem às 5 da tarde tendo em vista dispor de umas horas valentes em Lisboa para recuperar da trabalheira de uma semana de carnaval. Porque hoje é dia de trabalho diplomático na capital. Logo à tarde, ele estará com o primeiro-ministro António Costa, que esta manhã, por sua vez, sofre a tradicional esfrega do debate quinzenal em São Bento. Ora, o chefe do Blue Establishment insular anuncia do seu alto poleiro que tentará convencer o nosso primeiro a converter a dívida comercial da Madeira em dívida financeira. Que é para se respirar mais à vontade na capoeira, enquanto o pau vai e vem. Bom: a regressar à Tabanca com uma margem de endividamento de mais 150 milhões, seria motivo para Miguel Albuquerque 'esgaçar' duas ou três noites de copo de uísque em cima do piano a dar música por esses bares da noite funchalense.
Pouco barulho! - agita-se Carlos Pereira no seu poleiro, esboçando um voo para outro mais acima - Eu já acertei com o meu amigo Toni Costa uma margem de endividamento de 75 milhões para a Madeira. Não vás para Lisboa espantar a caça!

É assim mesmo, caro Leitor, todos bordam. Ou uma brincadeira de pequenos jotas sem a menor envergadura política. É ler os escaparates da propaganda dos chefões partidários e governamentais. O resultado é uma rábula desajeitada no interior da capoeira tribal, como esta que imaginamos aqui. Na verdade, com a mudança de governo em Lisboa, ainda não se percebeu quem é que manda nesta m... aqui - desculpe o Leitor. Miguel e Carlos fazem marcação cerrada um ao outro nos contactos em Lisboa. Até nos Açores! Falando deste último caso, já agora, assiste-se a uma interessante visita de compadres: os daqui vão lá ver os campos de ananás; os de lá vêm cá ver as bananeiras e as tabaibeiras. Cá e lá, lá e cá. Uns caixeiros-viajantes.
Mas a barafunda na capoeira não se fica por aqui, nesta guerra Miguel-Carlos. O nosso Carequinha da Câmara funchalense, vendo que há hipóteses de aproveitar a confusão para derrubar os outros galos e atingir o poleiro mais alto, não se deixa dormir no calorzinho das galinhas. Pelo contrário, manifesta-se também num incessante estardalhaço participando na briga. E bem à vista. Cafôfo, numa sexta-feira em que Miguel Albuquerque brilha, mas sofrendo nos seus escaparates supostamente cativos uma concorrência demolidora do chefe socialista Carlos Pereira - ambos com manchetes e fotos a dar com um pau -, pois Cafôfo decidiu pôr-se também em bicos-de-pés no dia de hoje. Ele faz-se notícia em tanto lado, apesar de, por razões que desconhecemos, não sair suplemento da edilidade em jornal nenhum.   
É marcação apertada a Miguel Albuquerque. E a Carlos Pereira, óbvio. Cafôfo também sabe falar grosso na imprensa, como se vê hoje. Pode ler-se nos jornais que ele tem novidades para breve sobre o PDM. E que vai abrir uma loja do munícipe. Ai são coisas regionais, sem grande alcance? O Costa e o Marcelo é que são importantes? Não seja por isso! Fiquem sabendo que, por acaso, o primeiro-ministro até vem à Tabanca dentro de semanas para cortar a fita do novo Lido, obra municipal. De Cafôfo. Chega ou querem que traga o Marcelo no 21 de Agosto?

À parte estes paralelos assomos de autonomia dos nossos 3 galos-palheiros, repare-se em outra confusão dentro do galinheiro. O Lido é obra municipal. Mas quem anuncia publicamente os seus desenvolvimentos é um dirigente partidário, Carlos Pereira. Fantástico! 
Cafôfo é que está com um olho no fogão e outro no ladrão, não se deixando ficar para trás na fotografia.
Ou seja, todos mandam! Como no bem popular 'ai borda, rica filha, todos bordam'.
Enfim: com estas brigas de capoeira entre os 3 galifões do pós-jardinismo tribal, custa prever se o povo esperará pela Festa para lhes esticar o pescoço.   
PS - Que sexta-feira! Um fim-de-semana sofrível para todos.

16 comentários:

Anónimo disse...

querem a verdade? António Costa prefere negociar e reunir-se com Albuquerque do que aturar a arrogância saloia de Carlos Pereira.

Anónimo disse...

esperemos que o cafofo promova muita participçao publica na elaboraçao do PDM, foi isso que prometeu, para quando os debates com toda a sociedade?

Anónimo disse...

É verdade anónino das 14:33..Carlos Pereira está para o António Costa, como o Jacinto esteve para o Sócrates...ou seja, menos de zero !!!!

Anónimo disse...

Que coisa mais ridicula o Lido ser inaugurado pelo primeiro-ministro. É de uma subserviência a toda a prova.

Anónimo disse...

Em 2013, e antes das autárquicas, o executivo PSD na Camara do Funchal, tinha em sua posse uma versão do PDM Funchal completamente concluída e com parecer positivo da comissão de acompanhamento, isto para ser submetido ao período de discussão publica, projecto esse que tinha demorado 6 anos a ser elaborado, pelo consorcio Quartenaire / Norvia e pelo antigo Departamento de Planeamento Estratégico da CMF, bem como, com o envolvimento e participação ativa de todas as entidades da Comissão de Acompanhamento. Contudo, Miguel Albuquerque optou por não submeter esse plano a discussão publica antes dessas autárquicas...Como é do conhecimento publico, o PSD perdeu e ganhou o projeto político Mudança, que optou por arquivar esse projecto de PDM, e não submete lo a DISCUSSAO PUBLICA na altura, alegando que o mesmo tinha sido elaborado em circuito muito fechado, sem a participação ativa dos cidadãos e da sociedade, ou seja, Cafofo e sua equipa defendiam acerrimamente, que o PDM também devia ser ELABORADO através dos contributos da população, e nao apenas pelos tecnicos, ou seja, que deviam haver ciclos de debates extensivos e transversais a toda a sociedade, auscultar-se todos os movimentos de cidadania etc, e so depois entao elaborar-se o plano, e so depois ainda submete lo a discussao publica, por isso, e no que diz respeito a noticia hoje publicada do diário, custa-me a crer que Cafofo tenha um versão de plano concluída para levar a reuniao de camara e submete-la a discussão publica, pois isso seria uma ENORME contradição ao que prometeu, pois todos desconhecemos qualquer envolvimento da população na elaboração deste plano anunciado,ou seja, Cafofo critico o PSD e acabou por fazer também ele próprio um PDM em circuito fechado?

Anónimo disse...

•••"informações inflamadamente propagandeadas nos sítios ..."
Cuidado ...não vá haver quem julgue se tratar de informações da "flama" ...😊

Anónimo disse...

Carlos Pereira e o seu comando a distancia! Quer fazer dele o que não é dele!
Desde que foi eleito, tornou-se num relator diário da primeira pagina do Diário de Notícias com as suas notas dos dia.
Desde que foi eleito, tornou-se num relator do que o PS Nacional decide fazer em relação a Madeira.
E o que ele fez sem ser isto?
-Transformou o PS no centro de emprego dos amigos despedidos.
-Transformou o PS num partido sem sedes, um partido sem referencias.
-Tornou o PS, um partido vivo na sua dinâmica interna em um partido morto, que vive de noticias para o Diário, afastado de massa humana e nem respeita os estatutos.
Pelos vistos temos um bom relator! e um partido fantasma!

Eu, o Santo disse...

O cheiro de sangue está a agitar os tubarões que desejam a Presidência do Governo Regional...

Anónimo disse...

Luta de galos? Ou o reflexo da emergência de uma nova realidade? Já não é só PSD por todos os lados. Há outras forças e protagonismos diversos.E não será que, quem não aparece...morre? Então...é o que agora se vai vendo.

Anónimo disse...

O Lido obra municipal do Cafôfo???? É melhor corrigir a informação...o Lido é de facto obra municipal mas não é do Cafôfo...ele apenas concluiu o que a antiga câmara deixou preparado. Como o DN publicou hoje, a obra teve 3 fases: a 1 e a 2 foram lançadas pela anterior câmara e a 3 ficou toda preparada (projeto, documentos para o concurso público, candidatura aos fundos comunitários). Estes só tiveram de executar e mesmo assim com grandes atrasos porque já deviam ter terminado em 2013. Só não se sabe se o atraso foi por incompetência ou de propósito para cair mais próximo das eleições

Anónimo disse...

Quero ver nomes para as autarquias!!!!

Anónimo disse...

A obra do lido não é desta Câmara e nem o Cafofo sabem bem o que ali está feito. Ele apanhou o bebé já andar, nem mudou fraldas nem perdeu noites de berreiro. O Cafofo é o maior bluff da Madeira, basta ver a bandalheira que vai na autarquia.

Anónimo disse...

Ah sim, os actuais autarcas da Câmara do Funchal apanharam as obras do lido em curso. Pois... e apanharam as dívidas que a anterior vereação deixou. Pagar dívidas e fazer obras é na verdade mais difícil.Resumindo, é preciso olhar para diante e para trás. Resumindo o pior cego é o que não quer ver. Resumindo, a cegueira partidária não ajuda a separar o trigo do joio. E o joio, é uma erva daninha e aparece em toda a parte. Nenhuma vereação está livre.

Anónimo disse...

Há tantos ..Manuel António Cunha Silva Vitor Freitas Jose Manuel Rodrigues Alberto João

Anónimo disse...

a única obra do Cafofo são os pagamentos ao DN para publicitar aquilo que outros fazem , como se obra do Cafofo se tratasse .
tem mais uma Obra , aquele cubano parasita e desempregado que arribou ao Funchal e ficou a dar ordens ao Cafofo .

Anónimo disse...

Comentador 13 de fevereiro de 2016 às 11:40
para GÁUDIO do Cafôfo haverá quem julgava que "governo municipal" era "trigo limpo" ... mas o povo fez "o tiro sair pela culatra" !!!