sexta-feira, 15 de junho de 2018


A PROTEÇÃO CIVIL DO FUNCHAL
DEVE SER RESPONSABILIZADA

A Quinta dos Saltos localizada junto à escola da APEL foi devastada pelo incêndio de Agosto de 2016. Entre as árvores ardidas constam uma grande araucária (Araucaria heterophylla) e uma palmeira-de-leque-da-califórnia (Washingtonia filifera), que passados quase dois anos se mantêm de pé mas com evidentes sinais que, de um dia para outro, poderão tombar para a escola.
As consequências da queda destas árvores e muito especialmente da araucária poderão ser catastróficas.
A Câmara do Funchal, através do seu serviço de proteção civil, já deveria ter agido preventivamente.
Não venham com a desculpa esfarrapada que já notificaram o dono e que ele nada fez. Não há muito tempo os órgãos de comunicação social divulgaram imagens da assinatura dum protocolo a propósito da recuperação da sorveria (Sorbus maderensis) no Parque Ecológico e um dos signatários era exatamente o proprietário da Quinta dos Saltos.
Mas, mesmo que não conhecessem o senhor ou não tivessem resposta aos hipotéticos ofícios, perante a extrema gravidade do caso, a proteção civil municipal tem autoridade legal para se substituir ao proprietário, realizar o abate das árvores sem vida e ameaçadoras de morte e cobrar coercivamente os custos do trabalho executado.
Se a araucária cair para a escola e provocar mortos, o responsável político pela proteção civil municipal não poderá alegar desconhecimento e, no mínimo, deverá ser acusado de negligência.

Araucária (Araucaria heterophylla) morta

Palmeira-de-leque-da-califórnia (Washingtonia filifera) morta

14.06.2018

Raimundo Quintal

2 comentários:

Anónimo disse...

A cmf entende que o povo / a comunidade deve arcar com as consequências / riscos de querer ter um parque arbóreo e entende também que as pessoas não podem esperar que a cmf vigie, fiscalize e aja nestas situações. É so ir ver a contestação que apresentaram na accao da familia Mendonça quanto ao caso do monte. A comunicação social não põe a nu a demissao de poderes que a cmf assumiu nessa contestação, a Câmara e o seu presidente, que assinou a procuração a favor do advogado / funcionário publico Rui Betencourt, imputam ao povo a culpa de cairem arvores .

Anónimo disse...

Desde quando o vereador picareta fofo percebe de árvores ou até mesmo de proteção civil? Não se preocupe sr. Raimundo. De certeza que se cair a Câmara encomendará uns pareceres de uns peritos a dizer que nunca viram árvores mais saudáveis que essas na vida, e a Comunicação Social fará o especial favor de só mencionar isso.