terça-feira, 26 de junho de 2018



GR orgulha-se de Tolentino Mendonça


O Governo Regional da Madeira vem manifestar o seu maior regozijo e o seu grande orgulho pela nomeação, hoje, pelo Papa Francisco, do padre madeirense José Tolentino de Mendonça para o cargo de arquivista e bibliotecário “da Santa Igreja Romana”, missão para o qual lhe foi atribuída a “dignidade” de arcebispo.

Uma nomeação que não pode deixar de ser releva pelo Governo Regional, que se associa ao sentimento generalizado dos madeirenses, que se habituaram, há muito, a reconhecer a superior capacidade intelectual do padre, poeta e humanista.

O até aqui vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa tomará posse a 1 de setembro. Simbolicamente, foi-lhe atribuída a arquidiocese de Suava, no Norte de África.
Poeta e teólogo, Tolentino de Mendonça, vai ser agora responsável pela Biblioteca do Vaticano, onde se integram os famosos arquivos secretos da Igreja. Será o primeiro português a receber a honraria.
O padre e poeta madeirense orientou este ano o retiro de Quaresma do Papa Francisco e seus mais diretos colaboradores, entre 18 e 23 de fevereiro em Ariccia, localidade nos arredores de Roma. Doutorado em Teologia Bíblica, foi condecorado por Cavaco Silva com o grau de Comendador da Ordem de Santiago da Espada.
José Tolentino Mendonça nasceu em Machico (Arquipélago da Madeira) e tem 53 anos. Foi ordenado padre em 1990 e é doutorado em Teologia Bíblica. É capelão da capela do Rato, em Lisboa e vice-presidente da Universidade Católica de Lisboa. Desde 2011, por designação do Papa Bento XVI, é consultor do Conselho Pontifício da Cultura.
Confesso admirador do poeta (também madeirense) Herberto Hélder é especialista em Estudos Bíblicos.
Para além disso, tem-se afirmado enquanto escritor e figura de renome da cultura madeirense. O Elogio da Sede’, editado pela Quetzal, é o seu último livro e reúne as reflexões apresentadas no retiro quaresmal deste ano, pelo sacerdote madeirense ao Papa Francisco, que assina o prefácio. É ainda colaborador da Revista do Expresso, onde assina semanalmente a crónica “Que coisa são as nuvens”.
Um currículo, aqui muito resumido, que dá uma ideia da grandeza intelectual e capacidade de investigação do sacerdote madeirense. Hoje, fez-se justiça a um grande madeirense.

Funchal, 26 de junho de 2018
O Gabinete da Presidência do Governo Regional da Madeira

Sem comentários: