quinta-feira, 28 de junho de 2018



Fica na cidade!?


Esta minha análise ao que se passa na cidade do Funchal em termos de ordenamento e gestão da mesma foi impulsionada por duas cartas de leitor do "Diário" de 28 de Junho de 2018 em que fala da falta de estacionamentos e da criação da figura de gestor do centro urbano, o que acho uma boa ideia à semelhança do que acontece nos Centros Comerciais.
Por aquilo que vejo no dia a dia dos últimos tempos na nossa cidade principal, constato que os nossos governantes esqueceram-se que governam principalmente para os residentes, sendo até estes que os elegem para esses cargos.

Mas o que acontece é que de facto a cidade do Funchal está cada vez mais virada, como li numa carta de um leitor, para disneylandização da cidade e para receber turistas e somente isso.
A cidade do Funchal não pode ser fechada à população à mobilidade da população residente pois perderá autenticidade e ficará asfixiada com passeios enormes ruas fechadas com o mesmo tipo de comercio principalmente restauração mas apenas com grandes esplanadas, cujo proveito não chegará para todos levando mesmo ao encerramento de muitas outras, e criando obstáculos no dia a dia á circulação de pessoas e seus meios de transporte.
Faz-se crer a ideia de que uma cidade moderna é como uma cidade europeia mas do continente europeu mas essa desculpa de mera retorica para iludir a  população não tem qualquer sentido pois na grande maioria das cidades ou capitais europeias existem outros meios de transporte como metropolitano ou eletricos ou até bicicletas e condições para circular com as mesmas que no seu conjunto permitem fechar ruas como constantemente se está a fazer no Funchal. Comparando o Funchal com cidades de outras ilhas como Las Palmas em Canarias, Ponta de Delgada em São Miguel, Sardenha em Italia, Corfu na Grécia e muitas  outras vê-se que a politica tem sido outra precisamente porque sendo cidades insulares falta espaço e não têm transportes alternativos. 

No Funchal os governantes esquecem disso e retiram todos os dias as condições para que os residentes vivam e façam a sua vida no centro do Funchal, desde ruas fechadas, falta de transporte interno, falta de ciclovias, falta de manutenção do saneamento básico, falta de parques infantis, falta ordenamento de eventos culturais que se atropelam umas ás outras no espaço e com as suas musicas e mobiliário diverso, falta segurança de dia e de noite então é deixada apenas aos guardas noturnos, falta condições para pessoas idosas e de mobilizada reduzida ou com deficiência, faltam estacionamentos nas ruas e também lugares de moradores que até são cada vez menos dada a asfixia lenta mas gradual que se tem assistido, etc.

A cidade está a ficar cada vez mais um Bêco sem saída para quem circula de automovel e as vias de circulação encolhem concentrando o ruido e a poluição em vias como a avendida do mar, cota 40  e outras ruas de escoamente de transito do Funchal para onde acorrem centenas de viatura encordeirados no dia a dia.
Muitos casos os governantes mentem descaradamente e dizem que os encerramentos de ruas são a pedido dos moradores dos comerciantes e faz-me lembrar o caso da Rua Fernao de Ornelas que foi há algum tempo anunciado pela CMF que tinha feito uma auscultação e 90% dos comerciantes daquela rua tinha pedido o encerramento quando um deles fez um pequeno inquerito pelos colegas comerciantes dessa rua afinal era ao contrário, apenas 10% queriam o encerramento e 90% queriam manter aberta a rua.

O Funchal tem vindo a perder autenticidade e a perder massa critica e diversidade estando a ficar uniformizado no tipo de comércio e entregue apenas ao lobby do parece bem e fica bem na foto, da "esplanadização" e da "turistização"...mas quando se vai ver afinal o que se passa é que para fixar pessoas e para ter pessoas na cidade fora do horario de trabalho é preciso fazer uns eventos "fica na cidade" sinal de que algo vai mal e a resposta dos residentes tem sido mais "foge da cidade" porque será!!!

P.S. Os nossos antepassados abriram e alargaram ribeiras, abriram e alargaram ruas (Fernão Ornelas) e os nossos mais bem estudados e capacitados governantes que fazem!!!

Jorge Freitas

4 comentários:

SIA disse...

Muito bem.

Anónimo disse...

Ainda ontem deu um programa na RTP Madeira com incidência no trânsito junto às escolas secundárias. Uma vergonha. Coisa do terceiro Mundo. Carros esperando alunos, empatando o trânsito, sem espaços para estacionar ou aguardar os alunos. Isto vem já de longe. Na escola junto ao Hospital com porta de frente para a morgue, uma desgraça. Ali todos os dias sofro com aquele pandemónio de trânsito...com insegurança para os peões e crianças.
Aquilo ali devia ser a ampliação do Hospital e nunca uma escola

Anónimo disse...

cambada de totós os responsáveis pelo trânsito no Funchal !!...aguarda-se o "inferno" que brevemente esta gentinha irá criar com o fecho da Fernão Ornelas ... pior que "meter o Rossio na Betesga"...

Anónimo disse...

Quaisquer programas de transportes e ordenamento do território minimamente eficazes têm que partir de dosi pressupostos:
1- transportes públicos baratos;
2- transporte público de estudantes gratuito e separado dos restantes transportes públicos.