sexta-feira, 8 de junho de 2018


A alteração ao código laboral levado a cabo pelo PS 
é um embuste para os trabalhadores

O PTP-Madeira criticou hoje a última alteração ao Código de Trabalho levado pela Assembleia República, pois no entender dos trabalhistas representa um embuste aos trabalhadores que ansiavam pelo fim da precariedade. 

Quintino Costa, acusa o primeiro-ministro, António Costa, de fazer falsas promessas à classe trabalhadora, pois no seu entender, as alterações efetuadas significam muito pouco tendo em conta as garantias que foram dadas pelo Partido Socialista.
Entre as alterações está o fim do banco de horas individual, sendo que será fixado o prazo de um ano após a entrada em vigor da nova lei para que as empresas acabem com esta possibilidade. Já o limite dos contratos a prazo passa a ter a duração máxima de dois anos, face ao três actuais.

As alterações aprovadas alargam ainda o período experimental de 90 para 180 dias para contratos sem termo com trabalhadores à procura do primeiro emprego e desempregados de longa duração, o que o líder do PTP considerou um escândalo e a legitimação da precariedade.
PTP

2 comentários:

Anónimo disse...

Este quintino onde estudou?
Vé-se que ele decorou a cartilha e a cacete
Parabéns
És um defensor do operariado.
Força....carregar pedra no calhau a que abre o apetite

Anónimo disse...

Quintino da Ex-Rua da Carreira cuidado se não caso contrário ainda ficas em casa a contar os aviões que passam.