segunda-feira, 6 de agosto de 2018


Sem abrigo



Trago esta imagem deprimente para dizer que ignoro por completo se este cidadão (sem qualquer ironia) beneficia daquele enormíssima política de inclusão (note-se, agora sim, o tom irónico) promovida pela Câmara do Funchal - aquelas caixas de arrumo amarelas no Campo de Barca -, pernoitando, descansado, nos jardins exteriores da residência oficial do Representante da República.
A imagem serve para recordar o Sr. Representante e os cidadãos que existe uma associação, a Protectora dos Pobres, que assegura tento e procura estabelecer projectos de vida com o objectivo de reintegrar cidadãos nestas circunstâncias difíceis.  
Sendo necessário, como é legítimo esperar de quem procura se reerguer, que cumpra algumas regras.

Raul Andrade

4 comentários:

Anónimo disse...

Que sirva de meditação para todos estas situações de miséria humana...
Ninguém está livre de um dia de entrar no charco do subconsciente e inconsciente
Rezemos para que isso não nos aconteça e não se deseja situações destas a ninguém

Anónimo disse...

A política de inclusão da CMF será pior que a do Governo Regional?
Ou ambas são medíocres e somente servem para distribuir tachos pelas chefias e apelar ao voto?

Anónimo disse...

Onde anda a Ritinha agora Secretária Regional e a antiga Leal para não acudir a estes casos. Bom isto não interessa e não dá fotos nem selfis. Trabalho#Zero nesta Secretaria de dita Inclusão só trabalham para as fotos e ver quem aparece mais nos jornais e na TV.

Anónimo disse...

Noites quentes e vinho seco dá nisto.
Querem ver ao vivo, apareçam na Praça do Carmo, ao cair da tarde... é vê-los sair da Rua do Frigorifico, completamente embriagados e a provocar quem passa.