sexta-feira, 16 de março de 2018


CHAPÉUS HÁ MUITOS, 
SEU PALERMA!



A ideia é implantar as sapatas no chão para nelas montar três chapéus com as dimensões 6x6 metros - o que, tudo somado, confere uma extensa zona de abrigo à esplanada do Bar do Teatro. Acontece que...

...Acontece que um dos simpáticos chapéus iria eclipsar a loja de souvenirs que vemos à esquerda na foto. Pelo que o proprietário da dita fez barulho, e bem, obrigando o projecto a encostar-se mais para poente.

E acontece que, ao deslocarem-se as buraqueiras  no chão mais para poente, as sapatas e os chapéus vão eclipsar um monumento nacional que dá pelo nome de Teatro Municipal Baltasar Dias. São três chapéus 6x6, recorde-se.


Mas então como é que é? O Ritz, mesmo ao lado, põe chapéus a dar com um pau e o Bar do Teatro não pode? A cidade está cheia de chapéus! Ou há democracia ou andam todos de chapéu! Pois claro. Primeiro, autoriza-se um, para não dar ouvidos aos que estão contra o desenvolvimento que dá empregos. E depois é preciso tratar os outros democraticamente, por igual. Lógico.


Uns a trabalhar e outros a remar contra o progresso da Tabanca! Agora vão pegar com os pobres de uns chapéus que ainda nem nasceram!

Sim, qual o problema? Se o Vasco Santana já dizia que chapéus há muitos, seu palerma!

Chapéus há muitos e para todos os gostos.


A situação está sob controlo, descansem. Mayor dos Mossos de Esquadra esteve no Bar do Teatro (como se vê na foto) a inspeccionar o andamento das obras dos chapéus, orientadas pelo empresário Dário, e deve ter pensado que os gigantescos 'sombreros' até vão dar vida à fachada do Teatro. O que interessa é satisfazer as PSoas.

K-Kareka

14 comentários:

Anónimo disse...

Há que ir a camara com o mentiroso entregar envelope e ir ao beija mão e terão os chapéus que desejarem

Anónimo disse...

Até numa rua que dá acesso a uma clínica que tem serviços de urgência, o Prof. Mentiras autorizou uma esplanada.

Anónimo disse...

Quem diz "DÁRIO" diz "MIGUEL DE SOUSA": um tubarão do PSD que foi o culpado da actual situação de monopólio dos primos nos Portos e Transportes Marítimos e que através do seu testa-de-ferro já citado, impõe o monopólio da terrível (já foi boa) Cerveja CORAL a todos os tascos e bares da noite funchalense!

Anónimo disse...

O Prof. mentiras está a retalhar o Funchal para entregar à "máfia no bom sentido"! Carrega viloada, porque nasceste para ser escravizada pela máfia! E vai votando sempre neles!

Anónimo disse...

Empresário Dário ? Com o dinheiro dos outros eu também era empresário

Anónimo disse...

Dário e um testa de ferro sem o dinheiro de um certo senhor nem chegava a capataz

Anónimo disse...

cada vez mais vergonhoso os passeios/placas/ruas... dessa cidade

Anónimo disse...

A incompetência cafofiana é de tal ordem e o facilitismo que até já temos uma mini esplanada na pastelaria Mimo, acima dos correios. Uma coisa absurda numa rua que devia estar livre de penduricalhos. Cafofo TU NÃO PRESTAS!

Anónimo disse...

Este Dário parece que tem o Rei na barriga. Cuidado que já vi torres mais altas cairem.

Anónimo disse...

A cidade está uma vergonha de terceiro mundo, e ainda falta ele fazer o mesmo na Praça do Colégio. Esplanadas? Dinheirinho a entrar na Câmara e talvez em certos bolsos. Cafofianamente, claro, sempre pelas PSoas, com uma vereação que é um desastre completo e aquele nazi daquele chefe de gabinete a comandar as operações para alcançar os objetivos do Costa. Só lhes interessa dinheiro e poder, com tachos para a cafofiada, e a viloada que se lixe! Mas pode ser que se enganem. Ainda falta resolver aquele probleminha do carvalho do Monte. Um verdadeiro enigma do carvalho...

Anónimo disse...

O Funchal do Cafofo é uma anarquia total, e este tipo ainda quer governar a Madeira. Seria bonito, não?!

Anónimo disse...

Por favor não digam muito mal do Cafofo neste blogue porque senão vou ter que contribuir com mais uns euros para ele lavar a imagem dele no Diário. Tenham pena dos contribuintes...

SIA disse...

Esplanadas? aquela que Raimundo Quintal denunciou na estrada monumental em cima de jardim publico, está a funcionar.
Vale tudo, as pessoas revoltam.se, mas pela calada tudo é feito. Cafofo nao responde ás denuncias, não responde aos ataques, e vai aparecendo a dizer que faz coisas. depois o DN vai abrindo o caminho e ele vem no fim salvar a Patria, qual dom sebastiao.Hoje lá vem letras garrafais na 1ª pagina do DN para dar uma não noticia. que tem equipamentos na Medicina Nuclear que nao estão ainda a ser usados. O jornalista lá foi enchendo pagina atirando para os lados e afinal ficamos sem saber porque esses equipamentos especificos ainda não estao a ser usados. MAS ISSO NAO INTERESSA, INTERESSA É QUERER PASSAR A MENSAGEM QUE NAO SE USA, SÓ FALTA DIZER QUE MORRE GENTE POR ISSO, MAS NÃO PODE IR ATÉ AI.

Anónimo disse...

Vale tudo menos tirar olhos: rua da carreira, rua da alfândega, ruas da queimada (de baixo e de cima), rua do bispo, rua joão tavira, zona velha, até o velhinho tahiti: tudo tem 1500mesas, cadeiras, guarda sois (ou chuva), menus, vasos, expositores de comida, colunas de som, empregados a meio do caminho, por vezes a servir, e os passeios para os transeuntes ficam para depois. Não ha regra, nem ordem: na rua da carreira, se estiver a servir num e noutro restaurante: o do funchal e no indiano, não passa ninguém. Regra geral, nunca conseguem passar duas pessoas nos 40cm que ficam de espaço. Ha mesas e cadeiras na perpendicular, na horizontal, na vertical,podem ser de qualquer tipo e com qualquer publicidade, sendo, a mais das vezes um triste espectáculo de mobiliário urbano: com fios pendurados de electricidade e de cordas a prender coisas; ocupam as fachadas de vários prédios - até uma das portas do prédio do exército fica tapada com um guarda-sol suplente que por ali se mostra amarrado. Tapam portas de lojas, de galerias, de cabeleireiros, afixam cartazes e pregam toldos horrendos e gigantes nas fachadas dos prédios. Jogam o lixo no final do dia para o canto da rua. Destroem as calçadas - mas nem Câmara municipal do Funchal- com a fiscalização municipal e com o urbanismo; nem o governo regional - com a arae e com a at - agem. Deixam andar porque querem ganhar eleições em 2019. O meu voto não terão! A cidade aos cidadãos, as ruas aos traseuntes e não aos comerciantes que nem a soleira da porta varrem ( e quando varrem, é para a porta do vizinho).