quarta-feira, 16 de maio de 2018



DIA INTERNACIONAL DA FAMÍLIA


O Dia Internacional da Família, a 15 de maio, foi estabelecido pelas Nações Unidas e visa chamar a atenção para a importância da família como núcleo vital da sociedade, entre outros objetivos.

Sendo o seu núcleo vital, a sociedade deve organizar-se de modo a proporcionar a quem trabalha, tempo para a família. O crescimento da produtividade do trabalho, a automatização das tarefas e a substituição de pessoas por máquinas em cada vez mais setores de atividade deve ter como consequência a redução do tempo de trabalho, para que as pessoas dispunham de mais tempo para a família. A redução do horário de trabalho permite ainda contratar mais pessoas e reduzir o desemprego.

Defender as famílias é também defender salários condignos face ao custo de vida da sociedade atual. Melhores salários é bom para a economia e para a justiça social, permite às famílias terem expetativas melhores para as gerações seguintes.

Protege-se a Família com estabilidade e segurança no trabalho, combatendo a precariedade e respeitando quem trabalha contra a exploração e os abusos dos empregadores. As pessoas só constituem família e têm filhos se a sociedade lhes proporcionar condições de vida estável.

É preciso proteger as famílias de todas os modelos, as tradicionais, as monoparentais, as famílias reconstruidas ou constituídas por casais do mesmo género. O que destrói a Família e desagrega a Sociedade são o desemprego, a pobreza as desigualdades crescentes na distribuição da riqueza e dos rendimentos, que são o resultado da lógica dominante da competição, do cada um por si – a Lei da Selva – que não dá espaço para o Amor nem para a solidariedade. 
As sociedade humanas evoluem pela cooperação e não pela competição.
Bloco de Esquerda

Sem comentários: