sábado, 19 de maio de 2018



Não é preciso o cargo de Representante da República: 
António Costa fez do Presidente da Câmara do Funchal 
o intermediário de Lisboa


Quintino Costa diz que não é preciso o cargo de Representante da República porque o Primeiro-ministro António Costa fez do Presidente da Câmara do Funchal o intermediário de Lisboa.
Esta foi uma das mensagens transmitidas nesta manhã pelo líder do Partido Trabalhista a propósito da visita de António Costa à Madeira - iniciativa esta que causou muito polémica por este marcar reunião com o Presidente do Governo Regional no Palácio de São Lourenço.

O PTP sustentou que nesta fase da autonomia não faz sentido haver um Representante da República e lançou um repto a Lisboa, "se confiam na nossa autonomia não devem manter o cargo".

Na ocasião, Quintino Costa defendeu que os problemas dos madeirenses devem estar em "primeiro lugar" na agenda do Primeiro-ministro e não a "promoção" política do candidato do PS às Eleições Regionais de 2019. Lembrando ser "intolerável que o Estado e a República estejam a lucrar 12 milhões de euros por ano ao cobrarem juros mais altos do que a República se financia" .
PTP

4 comentários:

Anónimo disse...

Ó camarada Quintino, vamos lá ver se o camarada acerta as agulhas.
O Representante representa o estado, e depende do presidente da república, e não do primeiro-ministro.
Estou de acordo com o camarada quanto à dispensabilidade do representante, ainda mais deste emplastro que lá está, e que só quer salamaleques e outras iniquidade sido género.
Mas convém não fazer confusão, até porque o representante do primeiro Costa é o conhecido Prof. Mentiras.

Anónimo disse...

Se o Camarada Quintino mudar as pilas e o chip, vossês verão o grande político que é.

Anónimo disse...

Camarada Quintino, mais um aninho e pumba - Já Fostes.. juntamente com a Coelhada toda, aproveitem e vivem os últimos dias porque a mama vai acabar.

Anónimo disse...

Partido dos Vendidos que de tanto se venderem a retalho estão em vias de extinção.