domingo, 18 de junho de 2017

Autárquicas/Santa Cruz



Filipe Sousa apresenta
Candidatura de futuro


Filipe Sousa apresentou, hoje, a sua recandidatura à Câmara Municipal de Santa Cruz sob três premissas e três ideias fortes: o “conseguimos”, “o não podemos voltar ao passado” e um “obrigado ao povo de Santa Cruz”.


O atual autarca e candidato do JPP, que primeiro de solidarizou e pediu um minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios em Pedrógão Grande, disse depois apresentar-se com a mesma força e convicção de há quatro anos, mas também com a consciência tranquila do trabalho realizado.  “Hoje estou perante vós com a convicção profunda de que o percurso feito nestes últimos anos não deve ser interrompido. CONSEGUIMOS! É este o lema desta candidatura que hoje vos apresento e que coloco à vossa superior consideração”,
Filipe Sousa fez questão de sublinhar que, no caso do JPP em Santa Cruz, a palavra “conseguimos” não é “um verbo vazio ou uma simples frase de campanha”. É, acima de tudo, “uma realidade sustentada em números atos e conquistas”. Concretizando, lembrou que recebeu a autarquia com 14 milhões acima dos limites legais de endividamento e que três anos depois ganhou margem de investimento superior a seis milhões.
O candidato sublinhou a recuperação financeira conseguida em três anos, que foram o suficiente para recuperar a desgraça que outros fizeram em trinta anos. “Hoje não temos credores à porta, hoje pagamos a tempo, hoje temos margem de investimento, hoje podemos pagar ordenados sem sufoco, podemos andar de cabeça erguida, podemos fazer obra sem que o seu pagamento fique de herança pesada para o povo deste concelho pagar mais tarde”, vincou, realçando que tudo isto foi feito sem aumentar impostos, como estava previsto no programa do PSD.
Num discurso emocionado, Filipe Sousa apresentou-se como uma pessoa do povo, “um santacruzense orgulhoso da sua terra, um santacruzense que não quer um regresso ao passado, nem o regresso de políticos que em vez de servirem, servem-se do poder que lhes é entregue pelo povo”. Um ADN que, garante, não se alterou com a passagem do movimento a partido, porque as pessoas continuam a ser pessoas do povo.
Falando da equipa que o acompanhou durante estes quatro anos, disse que a mesma operou uma mudança radical na autarquia, que “passou a ser composta de pessoas com gabinetes abertos, de pessoas que andam pelas ruas do concelho, de gente que está próxima, gente que vive do seu ordenado, que não recebe dinheiro pela porta do cavalo, que não apresentou qualquer despesa à autarquia, que não viajou à custa do povo, que não fez dívida para o povo pagar.” E esta será, disse, a equipa que vai reconduzir, embora com alguns elementos novos, como seja Jaime Silva, da Camacha, e Joana Félix, do Santo da Serra . De resto, são reconduzidos Miguel Alves, Élia Ascensão, Dúlio Freitas e Edite Rocha.
Segundo Filipe Sousa, foi esta a equipa que, contra ventos e marés, fez obra e recuperou financeiramente o Município.
Em seguida, anunciou as obras já feitas e em curso, bem como outras medidas implementadas. Cada uma delas acompanhada da frase “está feito”, foram enumeradas as bolsas de estudo, o reforço do fundo de emergência social, a repavimentação integral de várias estradas do concelho, a recuperação dos parques infantis.
“Podem acusar-se do que quiserem, mas estas são conquistas que ninguém me tira, estas são as conquistas desta equipa, estas são conquistas deste povo de Santa Cruz que nos apoiou, que esteve connosco e que soube esperar.”
Filipe Sousa não deixou também de falar do lixo que muitos andam a espalhar pelo concelho, com cartazes a criticar o que a autarquia gastou em advogados. Tudo para dizer que esse lixo vai ser limpo com a verdade: e a verdade é o trabalho e a responsabilização daqueles que desgraçaram o município.
O mais importante foi, disse, “que conseguimos”. “Hoje, estou aqui de cabeça erguida. Hoje, este povo do qual faço parte com muita honra, está de cabeça erguida. Santa Cruz está a pagar o que deve, Santa Cruz tem a face limpa, Santa Cruz tem hoje um futuro para lá da dívida. Por isso, estou aqui com um sentimento de agradecimento profundo a este povo, com quem tanto aprendi durante estes quatro anos. Hoje estou aqui, e sou o mesmo Filipe Sousa de sempre, o filho do Soisinha de Gaula. Um de vós”. De resto, disse que a escolha é simples: voltar ao passado, ou caminhar em direção ao futuro. “Eu prefiro caminhar em direção ao futuro, e, agora que recuperamos financeiramente o Município, temos um plano ambicioso para esta terra”.

Texto e fotos: JPP

36 comentários:

Anónimo disse...

RUA!

Só quem esteve por dentro do JPP é que sabe como se mexem estes sonsinhos.

E eu estive e fui simpatizante do JPP mas não é isto que o Povo desejava.

São piores que o PSD. Estes andam na sombra...

Anónimo disse...

Deverias era estar esperando por benesses e tachos, não?
Isto aqui não é o PSD, tiveste uma desilusão.
Corruptos para acenderem Lampadas e iluminar Sta Cruz não é com a JPP

Anónimo disse...

Este é um caso de "eles querem mas nã sabem"

Anónimo disse...

Deves ser amigo do advogado de Lisboa.
Tachos é com o JPP! Quantos assessores trabalham para o JPP?

Anónimo disse...

Nem deviam concorrer porque a derrota será pesada. Rua é o caminho

Anónimo disse...

Apresentação na saída da missa? é que nem o Alberto João !!!

Onde estão os que por lá andavam à 4 anos atrás? e que perceberam quem são os tachistas deste movimento partido?

Anónimo disse...

O comentador das 15.40 deve ter sido um dos amiguinhos que disse amém a tudo e então não teve tacho ameaçado, está-se mesmo a ver.
Roquelino, mande esta gente para a rua em outubro!

Anónimo disse...

Um ditadorzinho e meio a controlar(em) tudo e todo à moda do Salazar!

Anónimo disse...

Não esteve ninguém na candidatura do filipe sousa e do JPP.

aproveitaram-se da saída da missa para dar a ideia que tinham gente a assistir. Até nisto tentam enganar o Povo...

Já não enganam ninguém, a não ser aqueles que procuram tachos e panelas....

Anónimo disse...

Em Outubro este Filipe Sousa derrotará novamente a esquadra de corsários que querem invadir a Camara.
Quantos e de que partido foram julgados, condenados e presos ex-Presidentes da Camara? Por serem honestos e santinhos de certeza que não foram e não foi da JPP
O Povo de Sta Cruz não tem memória curta e se tivessem vergonha na cara estariam nesta altura muito calados.

Anónimo disse...

Este JPP é uma manta de retalhos e um partido cata - vento.
Ora vamos lá analisar por quem é composto este partido: por ex deputados do PS, ex-militantes do MPT, do CDS, e até agora, por militantes do PSD (não sei se o da Ribeira Brava já se demitiu do PSD).
Como podemos deduzir, todos aqueles que não sobressaíram nos seus partidos de origem por falta de competência, têm aqui uma chance de aparecerem e poderem ser eleitos para criados de mesa, pois ainda não perceberam que isto é um partido de uma "famiglia", já dizia o Drº Alberto João, "temos que ser no bom sentido, como uma Máfia".
Toda esta gente que os apoia, só estão servindo os interesses dos Sousinhas e da meia dúzia que estão lá a comer. Se pensam que vai restar alguma coisa para eles, esqueçam, porque até eles vão ser corridos.

Anónimo disse...

este anónimo deve ser daqueles que compoem a manta de retalhos do agora psd renovado ou do ps comandado por lisboa

Anónimo disse...

Ao comentador das 21:13
De facto este anónimo (tal como você), faz parte daquela "manta de retalhos" da qual o actual presidente da Câmara de Santa Cruz, foi militante e deputado. Foi também esta "manta de retalhos", que o ajudou a chegar onde chegou (e de que maneira), e foi também por causa desta "manta de retalhos", que o Filipinho foi pedir ao Primeiro Ministro que não participássemos nas eleições contra vocês, ou seja, que nos abstivéssemos ou que vos apoiássemos.
Pelos vistos esta "manta de retalhos", ainda é melhor que a vossa.

Anónimo disse...

À saída da missinha, para garantir público. Já foi uma sorte ninguém ter levado com uma pazada de alcatrão quente na cara por engano, que o JPP desde o mês passado que só sai de casa com um balde na mão, pronto para mandar à estrada.

Anónimo disse...

A mesma equipa do choradinho que nada fizeram!!!!

Conseguimos chorar!!!

Anónimo disse...

Pelo menos fazem obra, agora nas terras xuxialistas do porto santo e machico na´fizeram obra

Anónimo disse...

Pela primeira vez não vou votar no meu partido, o PSD. Irei votar no PS. Em Santa Cruz são os únicos que podem fazer e têm feito alguma coisa. E como eu sei de muita gente a pensar assim.

Há dias ouvi os discursos nas Palmeiras e gostei da atitude. É preciso gente nova na política de Santa Cruz.

Alguma vez o Roquelino tem perfil para presidente de câmara?!

Anónimo disse...

Antes, sempre que havia uma crítica nos blogues contra o JPP, saltavam logo em cima uns indivíduos identificados com este pseudo partido. Sabemos que as regras de financiamento dos grupos parlamentares mudaram o que obrigou à saída de muitos assessores do JPP.

A conclusão que chego é que esses indivíduos (boys and girls) pagos a peso de ouro andavam à conta de dinheiro público a ofender e fazer aquilo que não deviam.

Perdidos e achados:
Estes mesmos Boys and Girls apareciam sempre nas conferências de imprensa. Onde pairam?

Anónimo disse...

Roquelino tem os pés em Sta Cruz.... e o olhar em Machico!

Anónimo disse...

quero obras e desenvolvimento para Santa Cruz não quero mais 4 anos de propaganda e choradeira

Anónimo disse...

Vou deitar os trÊs papéis no BLOCO! Resto tresanda a mamice.. e da grossa. Vem de há décadas e cansado do centrão - de onde são herdeiros estes anões de Gaula - anões de tamanho mas gigantes no modus operandi de se encherem.

Anónimo disse...

Comentador das 08:09, quem conhece o Roquelino sabe o seu valor tremendo como profissional. Falo de experiência pessoal. Conheço-o bem, é uma pessoa verdadeira, nada de falsidades, é um bom líder e tem carinho genuíno pelo concelho. Além de que não me cheira de ser o género de fazer estas fitas de desgraçadinho de mão ao peito que os manos Sousa adoram fazer. Ao menos com ele não vai haver estes circos que a JPP gosta de fazer. Todas as equipas herdam dívida - TODAS; é o pão nosso de cada dia. Mas a JPP acha que fez o milagre da multiplicação. Não me espantava que pedissem que Filipinho fosse levado num andor na próxima Festa da Nossa Senhora do Livramento. O vice até ia a segurar, mas não podia, que tinha de estar a descrever no facebook a maravilha daquele momento.

Anónimo disse...

Amigo, o problema é esse mesmo: eu conheço bem o Roquelino. E falo dos meus quase 70 anos. O tempo é para a juventude, porque é do futuro deles que se trata. Já não é o tempo para os que estão na reforma há uma década. Com reformas avultadas.

A imagem que guardo do candidato do PSD é de alguém que passa o tempo em mesas de café. Longe das dificuldades das pessoas que têm de chegar ao fim do mês e ter de pagar as contas. Ele já não sabe o que é isso.

Os tempos mudaram.

Anónimo disse...

Eu acho que apesar de existirem divisões dentro do PSD, quando chegar o momento de votar, quem sempre foi do PSD vai votar PSD, não vai entregar o seu voto a uns Juntos Pela Palermice.
Independentemente das divergências dentro do partido, o PSD é quem tem a melhor equipa, é bem melhor que a destes verdinhos, pelo que, cada militante que analise e escolha o que achar melhor para o seu Concelho.
No entanto volto a frisar: mesmo que não gostasse do candidato do PSD, sempre preferiria dar-lhe o meu voto do que a estes Juntos Pelo Poleiro.
O PSD é um partido com história, que tem muita gente válida.
Agora este JPP é um partidozeco de dois irmãos com sonhos de serem alguém, partido que vai desaparecer do mapa político nas próximas Regionais, como desapareceram já muitos outros.
Não comparem o incomparável, por favor.

Anónimo disse...

Essa opinião está muito longe do Roquelino que conheço. Mas é a sua opinião, respeite-se.

Anónimo disse...

Eu por acaso também conheço bem o Roquelino e acho que quem conseguiu reunir o espólio do núcleo museológico do zero, como ele conseguiu, do nada e praticamente por vontade própria, tem muito mais a dar do que só conversa de café. O meu voto ele vai ter. Mas prontos, respeito as opiniões de todos.

Anónimo disse...

Meu amigo, se do Roquelino a ideia que tem é a de que passa a vida nos cafés, não anda a prestar muita atenção.

Anónimo disse...

Ser presidente de câmara não é o mesmo que ser 'coleccionador de selos'.

Amigo, você contenta-se com muito pouco...

Anónimo disse...

Eh pá tenham juízo. De todos os candidatos a Santa Cruz o melhor é o roquelino, de longe.

Anónimo disse...

Há quem colecione lágrimas, não me parece que seja melhor...

Anónimo disse...

O meu voto e da minha família será para o srº José Manuel Coelho! Apenas para lutar contra as máfias no bom sentido no concelho de Santa Cruz, e são muitas!

Anónimo disse...

Olha tens razão nesta panóplia deprimente de candidatos, o Coelhinho, incansável lutador pela gentes da sua terra, merece o meu voto.

Anónimo disse...

mais quem no seu juízo perfeito quer o coelho a mandar em Santa Cruz , se JPP não prestou acham que Coelho será melhor ? Pelo amor de Deus

Anónimo disse...

Passar do JPP para o Coelho é passar de cavalo manco para burro. Cada vez mais acho que o meu voto vai para o Roquelino.

Anónimo disse...

De facto "não podemos voltar ao passado", já bastou 3 anos e meio convosco.
Basta andar por este Concelho e ver o estado em que estão os nossos jardins e passeios, com erva com mais de um metro de altura.
Quem há cinco anos (na altura do grande incêndio em Gaula), era da oposição e dizia que a Câmara não tinha feito isto e aquilo, que era preciso abrir estradas na serra e ter tanques de água, etc. etc., agora que está na Câmara, nem os terrenos sob a sua jurisdição limpa.
Esperemos que não aconteça nenhuma desgraça porque senão, quero ver como é que vão justificar tanta inércia, ainda por cima com uma taxa de Protecção Civil que deveria servir para este efeito.
Dinheiro para alcatrão e cimento, há, para limpezas de terrenos é que parece que não.
Afinal para que serve pagar a taxa da Protecção Civil?

Anónimo disse...

Adeus JPP... Bastaram 3 anos de lamúrias e contemplação. A cortina vai fechar e não resta tempo para reconquistar a confiança do eleitorado.