quinta-feira, 29 de junho de 2017

Texto TVI


Ex-diretor do BES Madeira em prisão domiciliária


João Alexandre Silva suspeito de branqueamento capitais no caso Venezuela

No Universo BES, há um arguido em prisão domiciliária. Trata-se de João Alexandre Silva, antigo diretor do BES Madeira e ex-representante do Banco Espírito Santo, na Venezuela, apurou a TVI.
Segundo informações recolhidas pela TVI, o arguido foi ouvido na quarta-feira pelo juiz Carlos Alexandre e ficou em prisão preventiva, convertida depois em prisão domiciliária. É suspeito pelo menos de branqueamento de capitais.
A prisão do antigo quadro do BES acontece uma semana depois de o Ministério Público ter realizado buscas em residências, bancos e empresas em Lisboa e na Madeira.
Estão em causa as polémicas cartas de conforto de Ricardo Salgado ao investidor 'Petróleos da Venezuela', no valor de 260 milhões de euros.
A investigação quer saber se houve intenção de prejudicar o grupo BES. E ainda se o GES montou um esquema financeiro para ajudar a 'Petróleos da Venezuela' a branquear capitais.

15 comentários:

Anónimo disse...

E quando for os do BANIF,Africa do Sul,Venezuela,isto e que vai ser um pagode.O branqueamento foi superior.

Anónimo disse...


Não se deve esquecer que este senhor foi para os lados de Bolivar bem acompanhado por atuais membros do Governo Regional tendo um deles uma dívida enorme no espirito santo.

O Secretário geral de um partido da terra viajava acompanhando e ajudando a dar garantias de que tudo estava bem no espirito que de santo pelos vistos nada tinha.

Ninguém explica esta situação.

Coelho onde andas para esclarecer isto. Diz o que sabes.

Anónimo disse...

Espero que os apanhem a todos.

Anónimo disse...

Explique que a gente gostava de saber quem são essas personagens se for um qye estou a pensar que enriqueceu na câmara do ordenado lololll como se ganhava bem na câmara pensei que os ordenados da câmara não dessem para enriquecer eheh tudo boa gente e muito preocupada c o futuro da região. O AJJ nunca meteu nada ao bolso era um gajo honesto

Anónimo disse...

Coitado do Coelho com tantos processos em tribunal dos juizes, advogados e PSD'S corruptos, deve ser dos poucos que denunciou o que se passa na terra onde a justiça nada faz...o juiz Carlos Alexandre que os corruptos do Cuba Livre afastaram com medo de serem presos, acho que a Ministra da Justiça tem de olhar mais para este sub- mundo de ladroagem, lavagem de dinheiro...

Anónimo disse...

Mas acham que o MP e o super juiz estão interessados na questão dos lesados, quer do BES, quer do Banif ?
Esqueçam.
A investigação tem apenas a ver com braqueamento de capitais, via off-shores, fuga ao fisco, corrupção, etc.
Quanto aos lesados, esqueçam, porque isto nada tem a ver com eles, apesar do João Alexandre ter sido um dos grandes vendedores de produtos tóxicos do BES aos emigrantes, especialmente na Venezuela.

Anónimo disse...

E não vão ser investigadas as ligações desta personagem ao actual Governo Regional? E não vão falar da maneira como certos membros do actual Governo ajudaram nas vendas feitas na Venezuela? Povo enganado!

Anónimo disse...

O Pravda Ilhéu explica muito bem as "dúvidas" do comentário das 23:04

Anónimo disse...

O significativo nesta detenção é que se trata da primeira detenção com prisão domiciliária no universo da investigação do caso BES.
Parece que será a arraia miúda a pagar as culpas...

Anónimo disse...

o quebra costas mandou escrever às 23.55 ?Já precisa deste tipo de defesas? Hum...

Anónimo disse...

Isto é arraia miúda?

Anónimo disse...

Tenho pena é das centenas que ficaram sem as poupanças e dos milhares que pagam impostos à conta desta escumalha gananciosa.
Isto sim é dívida oculta e um buraco do tamanho de dezenas de mil milhões.

Anónimo disse...

Sim. Isto é arraia miúda.
Quero ver quando chega a Ricardo Salgado, Morais Pires, etc. Esses sim são peixões.
João Alexandre era o melhor tipo de colaborador de Salgado. Ambicioso, sem escrúpulos, só via dinheiro à frente (para ele), era o tipo de indivíduo que Salgado sabia que tinha na mão. Assim faria tudo o que lhe ordenassem.
Quero ver é quando usto chega aos mandantes, ou se fica apenas pelis mandados.

Anónimo disse...

Contudo os anteriores do BCP, CGD e BANIF continuam por ai, a escrever coisas uns e nos seus postos de trabalho a delapidar os patrimónios dos depositantes.

Anónimo disse...

Ó senhor, esta acção do MP e do super-juiz nada tem a ver com os depositantes ou com os lesados.
Eles estão noutra.