quinta-feira, 29 de junho de 2017

Convenção Autárquica do PSD-M




UNIDADE É CONDIÇÃO 'SINE QUA NON'

Linhas dos compromissos e objectivos assumidos na concentração desta terça-feira (Sala de Congressos do Casino) pelo líder social-democrata e pelos cabeças-de-lista nos diferentes municípios:


Miguel Albuquerque: "Estas eleições são para ganhar"

Foi com esta determinação que o presidente do PSD/Madeira se dirigiu hoje a todos os militantes e simpatizantes do PSD na apresentação dos candidatos à presidência das Câmaras Municipais, das Assembleias Municipais e das Juntas de Freguesia.
Numa sala de congressos repleta de gente, Miguel Albuquerque sublinhou que não só "estas eleições são para ganhar" como a direção do partido vai acompanhar, no dia-a-dia e no terreno, os candidatos pelos diferentes concelhos para que esse objetivo seja atingido. Candidatos que, segundo salientou, resultaram de um processo de diálogo com as bases e com as estruturas do Partido, ao contrário do que aconteceu com o PS-M em que líder nacional veio à Madeira impor candidaturas.

"As escolhas foram democraticamente feitas no seio do nosso partido", afimou, referindo que o PSD é um partido "autonomista" e "regional", que "toma decisões essenciais" sobre o seu próprio futuro e sobre "o futuro da nossa terra". "Jamais poderíamos autorizar nem conceber seja o que for relativamente à imposição de candidatos e à imposição das estruturas nacionais sobre as estruturas regionais."
Miguel Albuquerque afirmou que a unidade do partido é fundamental para vencer as eleições autáquicas e essa unidade e mobilidade esteve bem evidente na quantidade de pessoas que acorreram ao Casino da Madeira. "Para certos arautos da desgraça que diziam que o Partido Social Democrata da Madeira não estava mobilidado para as próximas eleições, a primeira resposta está hoje aqui neste Casino completamente cheio", disse.
O Presidente do PSD/Madeira considera ser fundamental manter a característica que o PSD sempre teve de "se aproximar das pessoas", de ouvi-las e auscultá-las relativamente às suas expetativas, sobretudo quando vivemos "numa sociedade de ruído" e "mediática". "Mais do que falar, as pessoas precisam hoje de ser ouvidas e é essa capacidade que os nossos autarcas tradicionalmente sempre tiveram."
Contudo, salientou, essa auscultação não se resume à campanha, deve manter-se para além das eleições para que possam depois ser tomadas "as decisões de interesse comum".
Nestas eleições autárquicas, o PSD pretende apresentar ideias "muito claras" sobre aquilo que quer para cada freguesia e para cada concelho. "Vamos também dizer que compete aos políticos apontar caminhos e apontar soluções para os problemas que a população sofre", reforçou Miguel Albuquerque, acrescentando que "as pessoas precisam de políticos que tomem decisões, que concretizem projetos". "De conversa fiada já tivemos quatro anos nas Câmaras da oposição", denunciou, pegando nas palavras usadas pelo candidato por Machico para referir que "não têm de ser dadas segundas oportunidades a projetos falhados".
"Depois da conquista da Autonomia nunca assitimos a uma situação destas, promessas não cumpridas, expetativas goradas, projetos anunciados e não concretizados, falhanços em todas as áreas de investimento, falhanço na área social, retrocesso em políticas que estavam a ser executadas, e, por isso, é nossa obrigação, enquanto democratas, denunciar a fraude e sobretudo a incompetência dos executivos que estão a gerir as câmaras e as juntas de freguesia que são liderados, e mal liderados, pela oposição nesta terra," referiu Miguel Albuquerque, salientado que há uma "distância abismal entre aquilo que foi prometido à população e aquilo que foi realizado".


Rubina Leal quer devolver dignidade à Cidade do Funchal

A candidata do PSD/Madeira à Câmara Municipal do Funchal, Rubina Leal, quer devolver a credibilidade e dignidade à Cidade, que nos últimos quatro anos regrediu, desinvestiu e praticamente estagnou.
“O Funchal não ganhou nada com a mudança. O Funchal mudou para pior”, apontou Rubina Leal, que falava na Convenção Autárquica do PSD após a apresentação dos candidatos às 10 juntas de freguesia da Cidade e à presidência da Assembleia Municipal, que constituem os 10 pilares fundamentais para o sucesso de uma política de proximidade.
Confiante na vitória em outubro, Rubina Leal mostrou-se convicta de que o partido vai ganhar em todas as freguesias do concelho, para que o Funchal volte a ser a Cidade que já foi.
“Quero voltar a ter uma Cidade de vanguarda em múltiplos setores a nível nacional”, disse, lembrando que o Funchal já foi a cidade mais limpa do país, a mais verde e galardoada como familiarmente responsável. “Fomos o 5º melhor município para viver. Fomos a única cidade com recolha seletiva porta-a-porta e com a maior taxa de reciclagem em todo o território nacional. E fomos um dos municípios mais transparentes do país. Hoje ocupamos o lugar 191 do ranking.”
O Funchal, continuou Rubina Leal, tem hoje pouco mais para apresentar relativamente há quatro anos. Um executivo que se desagregou logo no início do mandato, com a presidente da Assembleia Municipal, a vice-presidente da Câmara e dois vereadores a demitirem-se. Nem o próprio PS regional confia na candidatura Confiança, como demonstraram com um voto de protesto no parlamento madeirense.
“Isto, apresar da infernal máquina de propaganda montada pela Câmara. Todos assistimos à exposição diária do que vai ser feito, do que vai ser lançado, de lonas, de telas, de slides, de projeções, powerpoints, conferências e demais tralha de propaganda”, acusou a candidata, perguntando: “Será que alguém acredita que farão em três meses aquilo que não fizeram em quatro anos? Não! Não acreditamos!”
É por tudo isto é que a Cidade precisa do PSD. “Ambiciono uma Cidade que cresça, que seja capaz de captar investimento e de criar emprego. Uma Cidade onde ninguém fique excluído, com lugar para todos. Uma Cidade com qualidade de vida para as suas gentes. Uma Cidade com políticas concretas, que crie equilíbrio entre gerações. Um Funchal para todas as famílias”, referiu, anunciando para “muito em breve” a apresentação da lista de vereadores e do programa eleitoral.
“À estagnação queremos responder com iniciativa. À falta de investimento, queremos responder com dinamismo. À cidade descuidada, queremos responder com dignidade”, referiu, lembrando o seu percurso público. “Sabem que sou uma mulher de causas, que não baixo os braços perante o desafio e a adversidade. Por isso conto com o vosso apoio e com a vossa força, porque a nossa força é a força do Funchal”, disse, acrescentando que estará de “corpo e alma” e com “os dois pés” no município e com os funchalenses. “Sei que o Funchal merece mais”. Por isso, concluiu, é necessário que todos os “companheiros” cerrem fileiras para que o PSD se afirme como o maior partido da Madeira. “Está nas nossas mãos construirmos esse futuro!”

Pedro Coelho: Quem construiu e está a promover a Madeira é o PSD

Pedro Coelho afirmou ser bom ver na sala cheia do Casino "quem construiu a Madeira e quem está a promover a Madeira". "Sejamos claros, não tenhamos medo de dizer, quem construiu a Madeira, quem está a promover a Madeira é o PSD".
O candidato por Câmara de Lobos sublinhou que é o PSD que tem os melhores quadros, tem nomes que fazem e fizeram história e a principal missão dos seus candidatos "é resolver os problemas das pessoas de carne e osso".
E para que se perceba as diferenças entre o que é a gestão autárquica do PSD e a da oposição, Pedro Coelho socorreu-se dos dados que constam da plataforma informática do Governo. No que respeita ao investimento, em 2016, referiu que o município de Machico lançou investimentos no valor de 962 mil euros e o município de Santa Cruz no valor de 935 mil. "Se calhar mais de metade desse dinheiro foi para pagar a advogados", disse. Já em Câmara de Lobos, foram lançados investimentos na ordem dos 7,9 milhões e na Calheta 4,8 milhões. "Ou seja quatro vezes mais do que Machico lançou e quatro vezes mais do que Santa Cruz lançou."
Para Pedro Coelho, esta é a prova de que uma gestão autarquica não se faz com "choradinho", mas sim "com trabalho", sendo os "autarcas do PSD aqueles que trabalham, aqueles que se preocupam e que levam sempre a Madeira para a frente".

Roquelino Ornelas: "Santa Cruz merece ser governada em democracia, no respeito por todos"

Roquelino Ornelas afirmou hoje que Santa Cruz "merece ser governada em democracia, no respeito por todos, pelo trabalho de todos". "Merece ser um concelho onde dê gozo viver ou visitar. Não pode ficar à mercê de demagogia fácil e de ação apenas no final dos mandatos."
O candidato do PSD afirmou, na apresentação realizada no Casino, que a sua equipa discorda "da forma agressiva e rude como o JPP tem tratado sobretudo o partido que mais o assusta, chegando a pôr em causa o direito de crítica e de contraditório, insultando, ofendendo gravemente e muitas vezes fugindo à verdade dos factos".
Adiantou que, "nos últimos tempos, tem sido um exagero muito grande", não encontrando "paralelo em sítio nenhum a não ser na Venezuela de Nicolas Maduro".
"Tenho, portanto, sérias dúvidas quando à saúde democrática do nosso concelho", disse Roquelino Ornelas, duvidando igualmente da saúde financeira do município. "Não acredito que, de repente, tenha surgido uma folga financeira que permita este frenesim de obras e de subsídios", sublinhou, fundamentando estas suas dúvidas "nos pareceres isentos elaborados por técnicos que conhecem a realidade por dentro".
Se for eleito Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, tem consciência de que lhe espera muito trabalho pela frente, mas conta com o apoio de todos.
A candidatura do PSD à Câmara Municipal de Santa Cruz apresenta como slogan 'Uma vida nova'. Celso Almeida é o candidato à Assembleia Municipal, Humberto Bettencourt à freguesia de Gaula, Hélder Silva à Camacha, Damião Coelho ao Caniço, Manuel Vieira a Santa Cruz e Pábulo Freitas a Santo António da Serra.

Nivalda Gonçalves: “Estarei sempre ao lado do meu Povo”

Nivalda Gonçalves, candidata do PSD à Câmara Municipal da Ribeira Brava disse hoje, que irá trabalhar com “determinação” e “convicção” em prol de um futuro melhor para todas as freguesias e para todos os cidadãos do concelho.
“Estarei sempre ao lado do meu Povo”, disse, defendendo um novo modelo de desenvolvimento para a Ribeira Brava, com mais investimentos públicos e com novos investimentos privados.
Lamentando o abandono generalizado que existe no concelho, Nivalda Gonçalves sublinhou que está nas mãos dos Ribeirabravenses inverter esta situação, escolhendo um caminho de futuro para o Concelho
“Queremos um desenvolvimento equilibrado e gerador de emprego e exigiremos a importância que a Ribeira Brava merece”, disse durante a sua intervenção na Convenção Autárquica do PSD/Madeira.
A candidata apelou à união do Partido, lembrando que na Ribeira Brava só existe uma candidatura do PSD. “Na política não vale tudo! A ética será sempre um valor que nos distingue.”
Elogiando todos os candidatos da Ribeira Brava (Luís Faria Paulino – Assembleia Municipal, João Baptista – Junta do Campanário, Higínio Fernandes – Junta da Ribeira Brava, Francisco Pestana – Serra de Água e Vitor Abreu – Junta de Freguesia da Tabua) , Nivalda agradeceu a confiança depositada pelo presidente do PSD/M, Miguel Albuquerque, na sua candidatura. “Aceitei com grande orgulho e sentido de responsabilidade o desafio do PSD/Madeira para liderar a candidatura à Câmara Municipal da Ribeira Brava. Como sempre, darei o meu melhor pela minha terra, com proximidade e amizade ao meu povo, mas com garra por aquilo que acredito ser o melhor para o meu concelho.”

Ricardo Sousa quer colocar Machico na rota do progresso

Ricardo Sousa, candidato do PSD à Câmara Municipal de Machico, apresentou hoje na Convenção Autárquica uma equipa “jovem” com “excelentes ideias” e com muita vontade de colocar Machico, novamente, na rota do progresso.
Comparando o atual executivo autárquico ao “péssimo aluno” que andou todo o ano a brincar, sempre com choradinhos e que nada fez, e que agora com o ano a terminar, faz um “esforço desesperado para passar o ano, o candidato é peremptório: “este aluno chumbou”
“Não podemos permitir que Machico fique mais quatro anos a marcar passo. Não existem segundas oportunidades”, afirmou hoje o candidato durante a Convenção Autárquica, sublinhando que o rumo certo para a população é com o PSD, o Partido responsável pelo crescimento e desenvolvimento da Região nas últimas décadas.
“É com esta nova equipa para a Câmara Municipal, para a Assembleia Municipal e para as Juntas de Freguesia que Machico que, em colaboração com as várias entidades públicas e privadas, vamos devolver a esperança aos machiquenses e apostar numa política de desenvolvimento económico, de cariz social, com reforço na educação, no ambiente, na segurança e na credibilidade dos agentes políticos.”

Carlos Teles defende projeto “pioneiro” na Calheta

Carlos Teles, o candidato do PSD à Câmara Municipal da Calheta e atual edil, pretende dar continuidade ao projeto “pioneiro” que tem vindo a desenvolver no concelho, defendendo uma “Calheta viva” em todas as áreas, desde o desporto, a cultura e o turismo até a agricultura a educação e a área social.
Garantindo uma grande vitória para o Partido naquele concelho, com “união” e “coesão”, Carlos Teles lembrou o projeto que abraçou há quatro anos e que pretende levar a cabo por outros quatro.
“Nós investimos apesar das dificuldades, tivemos responsabilidade para gerir as nossas finanças concelhias, nós baixamos a taxa de IMI para o mínimo, nós cumprimos com os nossos compromissos financeiros” disse, sublinhando que irá continuar a trabalhar pela Calheta e pelos Calhetenses com “responsabilidade”.
O candidato falava hoje na Convenção Autárquica do PSD onde apresentou aquela que considera ser a melhor equipa e que trará uma “grande vitória” para o Partido naquele concelho, respeitando sempre as diferentes opiniões.
“Temos as nossas diferenças, mas na hora de trabalhar estamos unidos e podem ter a certeza que na Calheta todos, desde o Arco à Ponta do Pargo, vamos trabalhar juntos para mais uma grande vitória do nosso partido e do nosso concelho” garantiu o candidato.
Dizendo que a  Calheta há 20 anos era um sítio esquecido na ilha da Madeira, Carlos Teles,  sublinhou que foi o PSD que colocou aquele concelho no mapa, transformando-o num local apetecível e procurado para investimento.
“Por isso, o nosso compromisso continua a ser a Calheta, temos provas dadas e vamos continuar a dá-las nos próximos quatro anos, ao contrário da oposição que diz mal por dizer” notou Carlos Teles, garantindo que irá seguir sempre o mesmo princípio que tem norteado o atual mandato.
“Não dizemos mal de ninguém, apenas apresentamos o nosso projecto e damos o nosso melhor pelo nosso compromisso”, concluiu, agradecendo ao presidente do PSD, Miguel Albuquerque, pela confiança depositada, e a toda a equipa. 

João Gabriel quer criar mais emprego em Santana para combater o êxodo rural

João Gabriel Caldeira, candidato do PSD à Câmara Municipal de Santana disse hoje que quer criar mais emprego em Santana, através da captação de investimento e da agilização dos processos camarários, o que permitirá a fixação de mais pessoas no concelho.
O mote “As Pessoas Primeiro” foi dado hoje na Convenção Autárquica do PSD, com o candidato a explicar que toda a ação política terá como missão combater a desertificação e aumentar a qualidade de vida das pessoas que vivem naquele concelho, desde os mais jovens aos mais idosos.
Criticando a “passividade total” da atual autarquia , João Gabriel defendeu a agilização dos processos, a receção rápida e uma resposta mais célere da Câmara para que o concelho se torne mais dinâmico, recordando que a “única obra estruturante feita no concelho foi uma obra iniciada e acabada pelo Governo Regional”.
João Gabriel recordou que 25% da população santanense é idosa, por isso no seu entender qualquer projeto tem que integrar o apoio social aos idosos, estendendo-o às crianças e às instituições.
“Todas as instituições vão ser apoiadas pela Câmara Municipal de Santana”, disse, sublinhando que irá abranger toda a população e todos os sectores, nomeadamente a cultura, a educação, o social, a juventude e o empreendedorismo.
 “Vamos ser de facto agentes facilitadores do investimento”, referiu, garantindo que a captação de investimento público e privado e a criação de emprego são as únicas formas de combater o êxodo rural e a desertificação.
João Gabriel agradeceu a confiança em si depositada pelo presidente do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, o apoio de todos os simpatizantes e da Juventude da Santana, bem como de  toda a sua equipa: Irene Freitas (Assembleia Municipal) , Nélio Gouveia (Junta do Arco de São Jorge), Manuel Luís Andrade (Junta do Faial), Lionel Pedro (Junta da Ilha), Rui Freitas (Junta de Santana), Paulo Andrade (Junta de São Jorge) e Gonçalo Jardim (Junta de São Roque do Faial).

Idalino Vasconcelos defende visão integradora para o Porto Santo
"Esta candidatura, pelo Partido Social Democrata, é um dever cívico e político, para com a minha terra e com os meus concidadãos, porque todos vós sabeis que, para mim, o Porto Santo é a terra que mais amo e no topo das minhas prioridades estão as suas gentes", afirmou o candidato do PSD, no Casino da Madeira.
Idalino Vasconcelos sublinhou que o projeto de agora abraçou "é um enorme desafio", pois tem a "consciência de que liderar e gerir instituições autárquicas, na atualidade, requer trabalho, dedicação e visão". "Acredito que este é o momento de não ter medo, é o momento de ter coragem e de ter vontade de liderar e levar o Porto Santo para a frente. "
Nesse sentido, assegurou que os porto-santenses podem contar consigo e com a sua equipa aos diversos órgãos autárquicos "para liderar um projeto que será de todos e para todos, para unir e vencer a bem da população". "Vamos trabalhar focados nesse objetivo e nessa visão integradora do Porto Santo", disse, acrescentando que pretende estar "sempre do lado da população, atento aos seus anseios e aos seus direitos e expetativas, tais como a Educação e a Saúde". "O Porto Santo precisa que a obra da Escola Secundária avance e que as instalações do Centro de Saúde sejam amplamente melhoradas, bem como os seus serviços, como por exemplo, na questão do transporte de doentes,", afirmou, garantindo que o Governo pode contar com a sua colaboração e os porto-santeses com a sua contínua reivindicação na melhoria constante da sua qualidade de vida.
"Conto com todos para participar de forma consciente, na construção do nosso Porto Santo, para que juntos, os porto-santenses, sejamos o povo mais orgulhoso e protetor da nossa terra, dos nossos costumes e tradições, honrando o passado e projetando o futuro, de forma consciente."  
"Porto Santo de verdade" é o slogan da candidatura. Fátima Silva é a candidata à Assembleia Municipal, Joselina Melim à Junta de Freguesia.


Virgílio Pereira defende visão global para o futuro da Ponta do Sol

O candidato do PSD à Câmara Municipal da Ponta do Sol fez uma referência ao passado de projeção e afirmação do concelho, com uma breve alusão a aspetos centrais da sua história, dando os exemplos da afirmação no domínio agrícola e político-cultural.
Um passado que considera dever ser uma referência para o presente, no sentido de dar continuidade dessa afirmação e projeção do concelho, através de iniciativas promovidas por associações, entidades privadas e pelo executivo camarário.
Já no que se refere ao futuro, Virgílio Pereira afirmou que cabe aos próximos decisores políticos implementar uma visão global que passe pela projeção interna e externa, pelo desenvolvimento social, cultural e económico e por tornar a Ponta do Sol num concelho ambientalmente sustentado, com uma aliança entre tradição e inovação e a preservação do que é genuíno e único.
'Visão global' é o slogan de campanha. Sancho Santos é o cabeça-de-lista à Assembleia Municipal, Norberto Pita à Junta dos Canhas, Ivo Ribeira à Madalena do Mar e Juvenal Silva à Ponta do Sol.

Rui Nelson quer apostar na autenticidade para reinventar o Turismo no Porto Moniz

O candidato do PSD à Câmara Municipal do Porto Moniz quer combater a desertificação no concelho, defendendo ser necessário olhar para o que é feito lá fora para evitar a diminuição da população.
Rui Nelson lembrou que vive num concelho que "tem dos melhores ambientes da Madeira", considerando ser necessário "potenciar esta matéria-prima", com vista "à recuperação da população".
O candidato afirmou ainda que é preciso "reiventar o turismo" e "reiventar a agricultura" no concelho do Porto Moniz, apostando "na autenticidade".
"Porto Moniz Feliz" é o slogan de Rui Nelson que apresenta como candidato à Assembleia Municipal Ambrósio Jardim. Pedro Fontes é o candidato à Junta de Freguesia das Achadas da Cruz, Nélio Freitas à Junta do Porto Moniz, Ariete Rentróia à Ribeira da Janela e Sandra Catanho ao Seixal.

Textos e fotos: PSD-M

18 comentários:

Anónimo disse...

Unidade? É melhor ler o que diz o Jardim sobre essa "unidade": https://fenixdoatlantico.blogspot.ch/2017/06/opiniao.html

Anónimo disse...

pensava que o momento era de desintoxicação não de intoxicação... com mais do mesmo!

Anónimo disse...

O grande problema de Albuquerque é não fazer o que diz e se à primeira e à 2ª a cantiga pega, à 9º e 10ª pode dizer o que quiser que as pessoas nem ouvem metade. Paroles leva-as o Bento.

Anónimo disse...

Continuamos a espera da tal equipa da Leal. Que razoes para tanta demora, hein? Psd atento

Anónimo disse...

Será uma derrota histórica para o PSD...

Anónimo disse...

o comandante desta nau sem rumo já nem sabe o que diz. ou esta mal informado ou mal acompanhado, é o mais certo.
« diálogo com as bases ??
« diálogo com as estruturas do partido ??
« iriam ouvir os militantes ??
* não foi neste concelho de certeza.
os candidatos de hoje, podem já não serem os de amanhã.
trabalho de amadores e de queques, vêm falar em UNIDADE, quando foram estes senhores que partiram o partido para reinarem,
Quem impós estes candidatos, dizem que já manda mais do que o comandante, qualquer dia até a Sissi já é comandante desta nau.

Anónimo disse...

Assim mesmo, quem tá mal e ressabiado não pertence ao nosso partido ! Força PSD! LEAL AO FUNCHAL, ROQUELINO A SANTA CRUZ E COELHO A CÂMARA DE LOBOS !

Anónimo disse...

Para ganhar...AH AH...juizo!!!

Anónimo disse...

A melhor foi a daquela deputada inútil que tem uma papada que veio sem perceber nada do assunto arrotar postas de pescada nos concursos de professores e levou uma porrada do SPM o sindicato dos professores tristeza de renovadinhos que não percebem nada de nada e querem fazer demagoga com tudo este psd está uma lastima nunca vista vai ser uma derrota clamorosa em outubro por isso andam desesperados em show off

Anónimo disse...

Muito bem PSD! As eleições são ganhas nas urnas... Não em redes sociais ou blogs...
Deixa falar os ressabiados... Em outubro ajustamos contas!
Força PSD!

Anónimo disse...

Não percebo uma coisa antes o governo renovadinho dizia que não havia armadores interessados e qye a região não tinha dinheiro oara financiar a linha ferry e que tinha de ser o costa a pagar agora antes das eleições num toque de mágica usaram a baboseira da união europeia autorizar e agora já há armadores e já há dinheiro? Parece que é mais uma aldrabice renovadinha como em tudo o que interessa é fazer primeira página no DN p enganar os vilhoes. Cá estaremos p ver o que isto vai dar

Anónimo disse...

São os discursos da praxe, para quem já morreu à partida.
Os municípios laranjas e albuquerquistas ficarão reduzidos a Camara de Lobos, Calheta e S Vicente com um autarca camuflado.
Até a facção jardinista arrisca-se a garantir o Porto Santo e R Brava

Anónimo disse...

o meu prognóstico é que as Câmaras se vão manter, à excepção da Ribeira brava em que o atual presidente vai ganhar mas não pelo PSD.

Anónimo disse...

Vou votar p o José Antonio p junta no mario p a assembleia municipal e no cafofo para a câmara a palhaçada que vi no Casino já não é o meu partido

Anónimo disse...

E projetos para S. Vicente? Querem tento renovar que só se entalam. Respondo eu, nenhum. Continuação de tudo o que foi feito pelo Romeira, irregularidades em concursos, obras, negociatas obscuras, enriquecimento próprio e aumento de palheiros sem licença que mancham as belezas naturais de S. Vicente. Inovação para o concelho é zero.

Anónimo disse...

Desde que ganhe no Funchal, já fico satisfeito!
Adeus Cafofo e Companhia Lda.

Anónimo disse...

Unidade no partido??? De que partido eles falaram? Nunca vi partido tão rebentado por dentro a conta do novo rico...

Anónimo disse...

Deputada inútil? Porrada? É a deputada que mais tem trabalhado na assembleia da república. Trabalho sério e a favor dos madeirenses. Porrada é o que esta deputada dá constantemente no Pereirinha.