terça-feira, 13 de junho de 2017


QUEM AUTORIZOU 
O CORTE DAS ÁRVORES?

Na zona leste do Funchal, num terreno com acesso pelo nº 111 da Rua Conde Carvalhal e pelo nº 75 do Caminho do Palheiro, existe um núcleo de Figueiras da Índia (Ficus benjamina), que se destaca entre o denso casario, constituindo uma bela mancha verde na paisagem urbana.
Aparentemente as árvores não estão doentes, pelo que se estranha a causa que determinou o abate de uma esta manhã, temendo-se a mesma sorte para as restantes.
No exercício dos meus direitos de cidadania, coloco ao Instituto das Florestas e da Conservação da Natureza e à Câmara Municipal do Funchal as seguintes questões:
- Têm conhecimento do derrube da árvore?
- O corte foi autorizado e quais os motivos que determinaram a sentença de morte?
- As outras Figueiras da Índia também serão abatidas?



Funchal, 13.06.2017

Raimundo Quintal

6 comentários:

Anónimo disse...

Caro Raimundo Quintal, e que tal perguntar ao seu amigo Gil Canha porque plantou uma barreira de mais de 30 cedros com um metro distância entre si nos terrenos da Quinta do Amazónia? Será que é para os vizinhos não verem o "fumo" que sai da esplanada? E qual a sua opinião em relação ao desvio do ribeiro no mesmo espaço e a sua ocupação? Que conselho dá à PSP e ao "comércio" que se passa perto da sua casa? Como sei que vive na mesma zona, gostava de saber se a sua opinião é apenas sobre árvores grandes e se muda consoante o dono das mesmas. Abraço, com amizade de um vizinho.

Anónimo disse...

estou a ver que Gil Canha na sua quinta tem arvores , é um crime de lesa majestade , não devem existir arvores nas propriedades , muito menos nas quintas , os terrenos são para ter alcatrão assim não impedem a vista de um parvalhão qualquer.
Quanto ás arvores que o Prof Raimundo refere , deve ter sido reclamação de um vizinho parvalhão como o comentador das 1845 , e o Cafofo facilitou o corte.

Anónimo disse...

O prof . Raimundo Quintal já deveria saber que o Funchal está cheio de patos-bravos! Ou tem andado emigrado?

Anónimo disse...

Pobres árvores, nos últimos incêndios cortaram-se árvores por todo o lado, belos tis e loureiros, porque as pessoas tinham medo da propagação do fogo. Mas as árvores são importantes para não deixar nascer matos por baixo. Isto é um crime cortar estas árvores e o mais estranho é criticar pessoas que plantam árvores como vi aqui um anónimo criticar.Parabéns dr. Raimundo.

Anónimo disse...

Não se deve cortar árvores sem mais nem quê.
Mas também plantar árvores exige regras.Não se pode plantar a belo prazer e como dá na real gana.Não é porque as árvores são necessárias, que eu vou plantar sem respeito por nada nem ninguém. E isto vale seja para quem for.
E os incêndios e o 20 de fevereiro alarmaram muita gente.

Anónimo disse...

Bem observado, caro Raimundo.