quinta-feira, 1 de março de 2018


É TEMPO DE RESPEITARMOS 
OS DESÍGNIOS DA NATUREZA



Ribeira de João Gomes - 28.02.2018 - 17 horas
As muralhas construídas após a Aluvião de 09 de Outubro de 1803, segundo projecto do Brigadeiro Engenheiro Reinaldo Oudinot, mantêm-se muito bem conservadas na Ribeira de João Gomes após a Aluvião de 20 de Fevereiro de 2010, que destruiu os varandins ainda não repostos passados 8 anos.


Em poucas horas o mar pôs em cacos muitas das faraónicas obras das SOCIEDADES DE ENDIVIDAMENTO DA MADEIRA e outras tantas construções promovidas pelas câmaras municipais no litoral da Madeira e do Porto Santo.
Depois desta curta demonstração de força do vento e das ondas, e porque outras ações se seguirão com mais ou menos intensidade, é aconselhável que os senhores do governo e das câmaras não se precipitem a anunciar verbas, dos nossos impostos, para obras condenadas a desaparecer brevemente.
Senhor Presidente do Governo Regional, tenha coragem de reconhecer que é uma irresponsabilidade gastar 3 milhões de euros em betão no calhau a poente da foz da Ribeira de São Vicente.
Aos responsáveis pelos monumentos escaqueirados da Madeira Nova, aproveito para lembrar que o Cais do Carvão e as muralhas de Oudinot, nas ribeiras de João Gomes e Santa Luzia, portaram-se muito bem perante a fúria dos elementos da Natureza.

Funchal, 01.03.2018

Raimundo Quintal

1 comentário:

H&M disse...

Há um habito muito madeirense de ignorarmos o que a história nos dá e nos deixou até hoje... Em vez de se tentar perceber a mais-valia destas maravilhas e tentar fazer o mesmo em outras ribeiras, faz-se o que nos dá na cabeça, só porque alguns acham que os "estudos" de hoje assim o determinam... aconselho a estes engenheiros a ir visitar algumas cidades onde existem cheias e fenómenos semelhantes e aprender com eles... tipo : Innsbruck ou outra dos Alpes, sim, lá também tem cheias... Toulouse, sim também tem cheias, os Pirenéus ficam ali ao lado e também tem muitas pontes...