sábado, 3 de março de 2018

Lisboa ganha dinheiro com a Madeira, denuncia Sara Madruga


“Governo da República continua
a fingir que governa
mas nada resolve”



A deputada do PSD/M na Assembleia da República Sara Madruga da Costa ouviu esta manhã as preocupações e os anseios dos guardas noturnos da Madeira, numa reunião que decorreu na sede da Rua dos Netos.
Enaltecendo o importante papel dos guardas noturnos na comunidade em complemento das forças de segurança, Sara Madruga da Costa, sublinhou a necessidade de resolver os problemas que estes profissionais enfrentam diariamente.

“São agentes de proximidade que todos os dias protegem idosos, protegem bairros sociais, não têm qualquer custo para o Estado, porque são os cidadãos que pagam este serviço”, disse.
Por isso, defende a deputada, é urgente alterar o regime jurídico. Nomeadamente o regime do porte de armas e a clarificação qual a entidade que presta formação para que os guardas-noturnos possam aceder à carreira profissional. Ou até mesmo a utilização de um pirilampo (lâmpada azul) nos veículos para que possam ter prioridade no exercício da sua função.
Sara Madruga da Costa aproveitou a reunião para tecer duras críticas a António Costa e ao Governo da República. “O Primeiro-ministro António Costa e o seu Governo continuam, alegremente, a fingir que governam, mas nada resolvem. O que se passa com os guardas noturnos é apenas mais um dos muitos exemplos da governação desta geringonça que apregoa que vai resolver todos os problemas e nada resolve.”
Este problema, notou a deputada, é apenas o sintoma dos problemas que a Região enfrenta face à atuação do Governo Central. “Há três anos que o PSD/M, os madeirenses e porto-santenses aguardam que se resolva o problema do financiamento do Novo Hospital da Madeira, aguardam que se resolva a revisão do subsídio de mobilidade, aguardam o pagamento das dívidas à Região em diversas áreas como os subsistemas de saúde”, apontou.
A deputada continuou: “Temos também um Governo [Central] que continua a ganhar dinheiro às custas da Região, porque não altera as taxas de juro do empréstimo da Madeira para com a República.” Situações que o PSD/Madeira considera “inaceitáveis”
A deputada do PSD irá questionar o Ministro da Administração Interna sobre a situação dos guardas noturnos, garantindo que os deputados madeirenses continuarão a denunciar o Governo da República que “continua a fingir que governa, mas que na realidade nada resolve.”
Texto e foto: PSD

16 comentários:

Anónimo disse...

Tudo o que apresenta: 1- subsidio de mobilidade, quem negociou o atual modelo de mobilidade foi o PSD, e o site do GR, apregoava que este modelo era o ideal!!! 2- o outro ponto que fala, o novo hospital, esbanjaram milhares durante anos em obras obsoletas e agora acordaram tarde para a necessidade do hospital, querem dinheiro de Lisboa, para o hospital, mas desconfiam das vossas atitudes, por isso ainda nada avançou: 3- A insegurança que fala deve-se a muitos desempregados, jovens sem rumo onde atualmente a Madeira tem e consume muita droga, a insegurança no geral de todas as zonas, infelizmente o combate a este flagelo quase inexistente, e o GR o que faz? A presença de guardas- nocturnos e outras forças de segurança, nada resolvem, nem havendo centenas de guardas a cada esquina. Preocupem-se com as dificuldades sociais, do povo e dos jovens desocupados, esse papel pertence ao GR do PSD. Concluindo: Afinal querem Autonomia e Lisboa tem de resolver tudo!!

Anónimo disse...

Quem no PAEF impos juros mais altos foi o vosso querido Passos Coelho, agora querem que o atual primeiro-ministro resolva tudo, mas nunca questionaram Passos Coelho, comeram e calaram...

Anónimo disse...

Com Passos Coelho não contestaram. Tudo o que ele fez de mal à Madeira, teve o aval do Governo do PSD! A dívida grande, mais a dívida oculta tirou o pio ao GR. Agora querem que este Governo da República, dum dia para outro, lhes faça todas as vontades.É preciso lata. A Sara Madruga que pense melhor antes de falar. Está-se a esquecer de quem paga a Segurança Social, o subsídio de mobilidade, a Universidade da Madeira e etc etc.? O Governo da República, os contribuintes de Portugal Continental.

Anónimo disse...

Parece é que é o Governo Regional que "continua a fingir que governa mas nada resolve". Em vez de cumprir as grandes promessas eleitorais que fez aos madeirenses dedicou-se a nomear tachos para 780 laranjinhas. Setecentos e oitenta cargos para distribuir! Não querem saber do mérito. Parece que o que manda são as cunhas e as influências. Nem nos países do terceiro mundo. Este governo regional é uma vergonha!

Anónimo disse...

Onde é que está o dinheiro da Lei de Meios? O Governo do PSD Madeira compromete-se com o Estado a investir 340 milhões de euros, só investiram 90 Milhões. Quando é que cumprem o acordo que assumiram com os Madeirences e com o Estado.

Anónimo disse...

No primeiro debate, em que Fernando Negrão foi líder parlamentar, esta nulidade fez questão de demonstrar a sua animosidade para com o mesmo, ao manter um ar sério e nunca aplaudir as intervenções do mesmo.

Anónimo disse...

Apesar de não simpatizar com esta deputada, não deixo de reconhecer que tem razão.
Juros do PAEF, a república impôs um juro normal no momento em que o acordo foi assinado. Cardoso Jardim levou o barrete e não impôs uma cláusula a equiparar a variação dos juros àqueles que paga a república. Resta ao actual governo regional pressionar politicamente. Se o governo da república tivesse boa vontade já tinha resolvido o assunto. Está demonstrado que não a tem.
Subsídio de mobilidade, quem o negociou foi o governo regional, mas quem tem o poder de o rever é o governo da républica. Está escrito na lei. Todos os prazos já foram ultrapassados. Não o faz, logo não cumpre a lei.
Hospital, há apenas uma promessa da república de pagar 50%. No concreto, zero euros no OE para aquela obra.
O resto é conversa.

Anónimo disse...

Sara o Miguelito por acaso Governa?

Anónimo disse...

Não me diga, Doutora Sara Madruga que o Governo da República, depois de perdoar tantas vezes a dívida da Madeira ainda fica com um saldo devedor.
Senhora deputada, convém fazer de novo essas contas. Matemática não é o seu forte.

Anónimo disse...

A Madeira recebe por ano do O.E. 249.000.000€, recebe ainda por intermédio da EEM 61.000.000€ para compensar o custo da electricidade na Madeira, usufrui dos recursos de Defesa das F.A. e da Administração Interna (policias ; Gnr e outros serviços)quando poderia ter que pagar a sua cota parte do todo nacional que seria superior a 100.000.000€, fica com o IRS de todo o pessoal pago pelo O.E. do governo central, e todos os impostos cobrados na Madeira são receita da região, (e muito bem diga-se). Para esta senhora deputada se isto é ganhar dinheiro com a Madeira....vou ali e já venho beber uma poncha laranja....eheheh

Anónimo disse...

Anónimo das 20:49, o resto não é conversa. Sabe lá, que clausulas estão inscritas no acordo de juros do paef e no que foi negociado para o subsídio de mobilidade! O subsídio de mobilidade sai muito caro ao Governo da República,isto é, aos contribuintes do continente, pelo que não se vê que tenham interesse nesta despesa.

Anónimo disse...

4 de março de 2018 às 18:45
Falta mencionar a RTP/M e RDP/M, Universidade da Madeira, todo o sistema judicial, etc, etc. Se todo o país estivesse dividido em regiões autónomas e estas usufruíssem de tratamento igual o orçamento de Estado teria que ser o dobro...

Anónimo disse...

Esta criatura é um desastre. Aliás, desde o tom de voz, à postura e, mais importante que tudo, aos argumentos, percebe-se que estã abaixo da medianiania. Não fora ser uma girl da jota, hoje seria mais uma com escritório num vão de escada,
Mas o que me irrita em dupla escala, é este bando de tontos que só são alguém e só recebem dinheiro para dizer mal da República sem fazer um "mea culpa"
Ó mulher e o que fez o teu anterior chefe quando estava no governo.
E quando é que a nossa autonomia ficou mais desamparada?
E com que força partidária os nossos impostos subiram e ordenados desceram?
Cala-te que é por boys e girls como tu, impreparados e limitados que este PSD e este governo estão na rua da amargura. Pior só mesmo a bandinha da escola que tentou sentar-se nos primeiros bancos da CMF, levaram umas réguadas, mas continuam a ver se conseguem, pelo menos sentar os traseiros. Para o ano vão "atramar" que nem à escola terã direito a entrar e que resta-lhes umas cadeiras numa escola de Bruxelas mas só consiguirão lugar, se o reitor deixar.

Anónimo disse...

Ó das 19.39, por acaso sei muito bem o que está escrito no PAEF. Tenho o ficheiro do documento guardado no meu computador.
Quanto ao subsídio de mobilidade, que nada tem a ver com o PAEF, apenas digo o que está na lei. Cabe à república a sua avaliação e/ou alteração. É o que está na lei. Convém lê-la antes de falar.
O resto são conversas.

Anónimo disse...

Há aqui uns camaradas que são tão a favor da não transferência de verbas da república para a região, que só não se percebe porque não reclamam a independência, ou no caso, a secessão.

Anónimo disse...

Então a Inspetora Regional de Finanças, Lucilina Spínola, não foi demitida, devido a divergências internas com os inspetores e deixaram a rapariga sozinha? Não é que na Autoridade Tributária (AT-RAM) aterram os dirigentes das finanças renegados pelo PSD-M (Ventura Garcês, Sílvia, Rui Gonçalves etc)?
Este subgoverno regional (Vice-presidência) é uma TRIS-TE-ZA!