domingo, 11 de março de 2018

Paulino Ascenção dá gás ao Bloco






Nova Comissão Regional 

reuniu-se pela primeira vez

A Comissão Coordenadora Regional do Bloco de Esquerda, eleita na convenção de 4 de março, reuniu ontem, 10 de março pela primeira vez.
Na ordem de trabalhos contou a eleição da Mesa da Comissão Regional, da Comissão Política e a aprovação de uma declaração política.

A Mesa da Comissão aprovada é constituida por:
Débora Vasconcelos, Ricardo Giestas e Dina Letra;

A Nova Comissão Política é constituída por nove elementos de ambas as listas concorrentes à última convenção regional:

Paulino Ascenção
Roberto Almada
Ernesto Ferraz
Cássia Gouveia
Dina Letra
Egídio Fernandes
João Meneses
Luisa Santos
Rui Ferrão


Em ambos os casos foi apresentada lista única consensualizada.


Paulino Ascenção
coordenador regional do Bloco de Esquerda



Comissão Regional do Bloco de Esquerda
Declaração Política
1 – A Madeira passou muito recentemente por mais um período de temporal que, embora sem uma dimensão de catástrofe, causou danos avultados em vários equipamentos, infraestruturas e na agricultura. Esta situação que vem, mais uma vez, pôr a nu a inutilidade de certas construções sobre a orla costeira e nos leitos de cheias das ribeiras, da falta de ordenamento urbanístico e florestal e da contínua e voluntária subjugação das entidades públicas aos interesses dos privados. A resposta do Governo Regional, foi de uma prontidão seletiva: nos municípios da sua cor política, foi anunciar o valor das reparações ainda antes de o temporal ter terminado; noutros municípios ignorou os prejuízos.
O Bloco de Esquerda vê com preocupação o anúncio de novas obras de milhões sobre a orla costeira. Basta de atirar milhões ao mar e de descaracterizar a paisagem natural.

2 - Devido a condições meteorológicas severas o aeroporto tem estado encerrado por largos períodos de tempo e causado transtornos a milhares de passageiros. Uma situação recorrente, que se prolonga e depara com a total inação do Governo Regional na definição de planos de contingência que minimizem as consequências para os passageiros e o custo para a imagem do destino turístico Madeira. O BE considera urgente que se dê início ao estudo da gestão integrada dos dois aeroportos da Região, das formas de manter uma oferta hoteleira todo o ano no Porto Santo e de assegurar o escoamento, por via marítima das pessoas retidas num aeroporto para o outro, com maior celeridade.

3 - A incapacidade do Governo Regional, que ainda não começou a governar, em resolver os problemas da mobilidade, em particular o das ligações aéreas entre a Madeira e o Continente leva à tomada de medidas avulsas e pontuais, tardias, manifestamente insuficientes para responder às necessidades dos estudantes e ao problema estrutural há muito diagnosticado. No transporte marítimo de pessoas e bens para o continente é manifesta a falta de vontade em mexer nos interesses instalados. O Governo finge estar empenhado, promove um simulacro de concurso, com condições que a ninguém interessa, para ficar tudo na mesma. Passados três anos da promessa, de adiamento em adiamento, as e os Madeirenses não vislumbram no horizonte a chegada do ferry mas vêm consolidar-se os monopólios de sempre.

4 - Passados mais de 8 anos do temporal do vinte de 20 fevereiro, o pacote financeiro da República de apoio à reconstrução - Lei de Meios - tem um grau de execução de 70% e parte destas verbas foi aplicada em obras inúteis sendo que os pontos de maior risco, onde ocorreram as mortes não sofreram a intervenção devida. Foram unidas as fozes, das ribeiras, cobertas de betão as suas muralhas centenárias, construído um novo cais sem uso e nos pequenos ribeiros bloqueados pelas construções, onde morreram pessoas, nada se fez. A montante, falta investir na reflorestação das encostas e das serras e várias famílias cujas casas foram afetadas ou destruídas ainda não tiveram uma solução definitiva.

5 - As declarações do Primeiro-ministro sobre o valor do défice da Madeira suscitaram reações delirantes por parte do Governo Regional e do partido que o suporta. Esta reação revela o desnorte do Governo e a sua total incapacidade de responder aos problemas dos madeirenses e de cumprir as famigeradas promessas eleitorais. Para tentar esconder a sua letargia governativa aponta para um imaginário inimigo externo em Lisboa.

6 - A saúde está doente na Madeira, faltam com frequência medicamentos, aumentam as listas de espera, tarda a resposta às necessidades de pessoal auxiliar, de enfermeiros e de manutenção dos equipamentos. Uma realidade deveras preocupante, muito mais urgente que a construção do novo hospital e que só não encontra solução por absoluta falta de vontade do Governo Regional.

7 - A Comissão Regional do BE saúda todas e todos os participantes na VII convenção regional realizada a 4 de Março e em particular reconhece e agradece o empenho dos elementos da Comissão Organizadora e de todos os que colaboraram para que este evento fosse uma grande celebração deste partido-movimento.


8 - Os jovens do Bloco tiveram uma intervenção marcante nesta convenção, o que é bom prenúncio para o trabalho que poderá desenvolver a Comissão de Jovens a eleger em abril.  
Funchal, 10 de março de 2018

11 comentários:

SIA disse...

Paulino lá vai cnseguindo levar agua ao seu moinho. Tem a vantagem de ser inteligente e de nao se deixar entusiasmar com o poder, o que é uma vantagem. Pareceu demarcar.se de Cafofo, dizendo que não o apoiaria para as regionais. Mas há uma senao na sua posiçao na Camara. Devia deixar de apoiar Cafofo porque este já assumiu que é candidato e até ja está em canpanha. Ao não faze-lo começa mal. Mas Paulino sabe que o BE fez mal em voltar a apoiar Cafofo na Camara, porque o BE vale ZERO em termos de Camara. Só estão lá para aprovar os orçamentos de Cafofo. Nas eleiçoes vam pagar por isso. Paulino pode viver politicamente até 2019.

Anónimo disse...

Este em 2019 vai voltar a Câmara Municipal do Funchal, vamos ver se desta vez para trabalhar.

Anónimo disse...

Os compromissos são para cumprir! Principalmente os compromissos com o eleitorado, mais urbano, o do Funchal.
O BE teve a tentação de um vez se colar a direita, apresentando uma moção de censura a um Governo do PS (aprovada pelo PSD e CDS), o que aconteceu todos nós sabemos ficou com o pior resultado de sempre nas eleições. Colar-se a direita e ao deputado que encerrou o partido, por não apresentar contas ao Tribunal Constitucional, não é coerente com os acordos assumidos e assinados.

Anónimo disse...

Paulino , o Carlos Pereira também manteve o Vitor Freitas , que lhe mordeu a mão logo que pôde , tem cuidado com o Almada que é da mesma cepa

Anónimo disse...

O orçamento da câmera foi aprovado porque o Trancoso tem sangue de barata e porque o Rui Barreto vendeu o voto em troca de favores.

Anónimo disse...

E quem disse que ele não trabalhou? Trabalhou tanto que ainda hoje estão à nora a endireitar os trabalhinhos dele.
Porque acham que 4 chefes de divisão daquele serviço já se demitiram? Começou pela Dra. Olga que fugio logo que viu que os padrinhos psd perderam as eleições em 2013; a Dra. Marlene foi logo atrás; a Dra. Micaela fugio para o Tribunal de contas; a Dra. Maribely nem chegou a aquecer o lugar.
Não acham estranho?

Anónimo disse...

Atenção a essa Cássia Gouveia: a mãe é funcionária da cmf e já espalha a sete ventos que a filha concorreu para cantoneira da câmara mas que não vai varrer a rua, vai direita para uma secretaria. Será que ela é melhor do que os outros ou será que é por ela ser da junta de freguesia socialista de São Martinho?

Anónimo disse...

ao anónimo de 19:56

Estranho? Você disse tudo: uma fugiu quando o PSD foi derrotado nas autárquicas de 2013, outra seguiu-lhe o exemplo. E o Paulino só foi eleito para Belém em 2015....
Isso cheira-me e muito a esqueletos da anterior vereação. Foi fugir antes do TC entrar na CMF

Anónimo disse...

Os comentadores da serviço ao Costa / LPM ( porque o Cafofo é só o espantalho colocado para mostrar o prego ) e que ainda trabalham ás 2317 , omitem é um dado importante , uma fugiu muito antes das autárquicas de 2013 , mas agora voltou para dirigir o parque ecológico , novas finanças de certeza , todos os outros fugiram depois de 2015 quando já lá estava o mago das finanças , o Paulino em privado desmonta tecnicamente o tal Mago considerando-o do piorio . o tribunal de contas já lá foi , os processos foram públicos e foram ganhos por Pedro Calado , agora se um dia voltarem , ( se o Costa permitir que voltem á Camara do Funchal ) é que vai ser bonito.

Anónimo disse...

Este é o senhor que estava na CMF na vereação do PSD, ainda por cima como diretor financeiro. Mas consta que, opções dessa vereação que endividaram à vilanagem a CMF, não foram da sua responsabilidade. Ia para o jardim alimentar patos e cisnes. Antes disso também foi da confiança do Savino. Se a coerência falas-se este senhor ia para o cadafalso.

Anónimo disse...

A dupla Paulino e Pedro calado salvaram a CMF do Tribunal de contas varias vezes, pouca vergonha é o que se passa gora que o tribunal de contas nao entra na Camara e nao faz contas às contas suspeitas de Miguel Gouveia,cada vez mais rico, como diz o lema deste Blogue, um dia a Madeira renascerá das cinzas.