segunda-feira, 5 de março de 2018

Viagem da Páscoa



3 mil estudantes não cabem num avião


Ou fizeram mal as contas ou a ideia destina-se à publicação de umas fotos a propagandear a viagem 'facilitada' aos estudantes e mais nada. É que há 3 ou 4 mil jovens da Região a estudar no Rectângulo e não são apenas 144 a querer visitar a terra e a família nas férias da Páscoa.
Anunciaram a venda de bilhetes para o voo Lisboa-Funchal a 23 de Março e para a viagem do 1.º de Abril Funchal-Lisboa - e mal estava o programa anunciado, tudo era dado como esgotado. Como seria de esperar.
Houve gente a fazer fila esta madrugada à frente de agências que apenas tinham direito a 10 passagens cada qual, as quais voaram como um raio. 
Estamos aqui para sugerir ao rei e ao vice-rei da Tabanca, Miguel e Pedro, que ponderem melhor da próxima vez. Porque assim não. Esta viagem especial ida-e-volta parece brincadeira. Não exigimos uma ponte aérea para os estudantes, mas mais consideração para eles e suas famílias, isso sim, é obrigatório.  

26 comentários:

Anónimo disse...

Vontade séria houvesse e fretavam aviões ao amigo madeirense da Euroatlantic ou aos "amigos da Madeira" Mirpuri da companhia Olá Mosca em inglês, ex-Air Luxor. Nem precisavam de lhes pagar: era só fazer um encontro de contas com o calote que deixaram à RAM!

Miguel Zebedeu disse...

Se não o fizessem estavam a ser irresponsáveis e agora fazem são irresponsáveis porque existem mais estudantes do que lugares. Caramba, querem sempre mais e mais...
Á que ver que o primeiro charter nestas condições, havia ainda lugares vazios. Será que agora quiseram ver o que isto iria dar, para depois poder programar mais e melhor? Fogo, por favor!!

Anónimo disse...

É por estas e por outras que se eu fosse governo não dava mamas a ninguém. Que se lix... todos os que acham que o sr. governo deve pagar tudo a todos. Se não nos metessemos com essas asneiradas, podia ser que os impostos baixassem em vez de andarem para aí a dar subsidiozinhos a torto e a direito para quem nada quer fazer.

Quanto a este caso em concreto, como é óbvio ficou tudo à espera da viagem do governo e ninguém comprou as passagens quando ainda estavam em conta. Dois lados, ambos ingénuos e ambos maliciosos: o GR que achou que iam ter os mesmos estudantes que no Natal, quando toda a gente já tinha comprado a viagem e que quis aparecer bem nas fotografias e do outro lado o povo que pensou que o charter ia dar para todos e que não comprou a viagem, mesmo que tivesse condições para tal. Resultado?

Anónimo disse...

Entao os assesores da SRE ,mais de 100 , nao informaram o Calado dp numero de estudantes fora da Madeira a estudar. Ta lindo ta cada cavadela...

Anónimo disse...

Logo pela manhã percorri várias agências no Funchal numa autêntica via sacra, já que estamos a poucos dias das Páscoa, e não havia viagens nenhumas para estudantes. É caso para dizer que as viagens esgotaram antes mesmo de serem colocadas à venda. Na mamadeira é obra. Isto significa, que só serve para a propaganda dos renovadinhos! Vão para o trabalho!

Anónimo disse...

Olhem, tirem dinheiro da saúde.

Anónimo disse...

Fretar um avião para os estudantes passarem a Páscoa com a família é uma excelente iniciativa. Já agora o GR pode fretar dois aviões ou três... Está a fazer mais do que António Costa faz por nós. Também está a fazer mais do que a Câmara Municipal do Funchal.
Paulo Cafôfo prometeu bolsas de estudo para os todos os 3.000 ou 4.000 estudantes universitários que residem no Funchal... mas ainda não vi nada...
Enquanto uns fazem outros apenas prometem. É a diferença entre governar e fingir que se governa.

Anónimo disse...

Era mais que óbvio que isto ia acontecer. A maior parte dos estudantes iria ficar à espera da disponibilização do voo charter. Agora que só cabem 144, existe provavelmente outros milhares deles que a 2 semanas da viagem têm que arranjar voo - missão quase impossível tanto pela disponibilidade como pelos preços exorbitantes.

O charter obviamente não é solução. É até algo ofensivo pagar 30 mil euros a quem tanto tem explorado a Madeira, como a TAP. Em suma, entre aquilo que o estudante e o GR paga, cada lugar custará 170€. Com uma ocupação de 100%. Uma operação extremamente rentável para a TAP. Quando isto é visto como um sucesso, a Ryanair coloca viagens a 9.90€ para os Açores.

De uma vez por todas, ponham a política de parte (tanto os de lá como os de cá), e resolvam os problemas dos madeirenses.

Anónimo disse...

Olha olha no Natal para uma viagem ainda cresceram lugares disponíveis. Agora querem uma ponte aérea.
Qualquer dia há mais estudantes madeirenses no continente do que a população da Madeira.
E aqui vamos. Ainda vão pedir charters para passarem todos os fins de semana na ilha.

Pai de família disse...

Mais uma ideia que parecia boa e "deu no porco".
Em vez de amadores, deveriam contratar verdadeiros assessores, gente com experiência e capaz de ver à distância que isto não podia dar certo: 3 mil não cabem num avião que leva 144.
Se no Natal sobraram lugares foi porque foi anunciado em cima da hora quando a maior parte já tinha comprado (e pago, muito bem pago) a viagem. Anunciaram com antecedência e o resultado foi este: quem era cliente das agências reservou antes e concretizou a compra logo que abriu a venda; quem não era, ficou a ver navios (no caso, aviões).
Previsível de caras! Se fretassem 10 aviões nas mesmas condições, pode ser que satisfizessem a procura.
Entretanto, o Governo Regional, desta vez via vice Pedro Calado, em lugar de uma promessa cumprida, ficou com mais uma a débito. Daqui por cerca de um ano e um meio, acertamos contas!

Anónimo disse...

O Charter do Natal foi disponibilizado quando a grande maioria das famílias já tinha adquirido as passagens. Até porque no mês anterior tinham recebido o subsidio de natal e aproveitaram a maior folga para fazê-lo. É evidente que repetir com o mesmo formato é claramente insuficiente.

Anónimo disse...

Estar a estudar na universidade é já de si um privilégio.
Estarem os madeirenses todos, muitos com ordenados de subsistência, a pagar para alguns desses priveligiados virem à Madeira de férias no Natal, na Páscoa e no Verão, eu não concordo.
Se as suas famílias não têm os meios económicos para lhes pagar essas viagens, paciência. Façam esse sacrifício, estudem, melhorem o vosso nível de vida para um dia os vossos filhos não terem que passar por isso. Lembrem-se, o vosso privilégio é estudar numa universidade. Aproveitem-no bem.
Aquilo que estão a passar, passou-se comigo. Os meus pais não podiam pagar para eu vir três vezes por ano à Madeira. Vinha só nas ferias de Verão. Durante cinco anos passei Natal e Páscoa em Lisboa.
Graças a Deus, hoje, os meus filhos não têm que passar por isso. Façam como eu, pensem no vosso futuro e no futuro dos vossos filhos.
Vale a pena.

Anónimo disse...

Que vergonha! Antes de começar a venda já estava tudo reservado para os amigos e os amigos dos amigos do Partido. A Madeira no seu expoente máximo de compadrio e cacicagem. Vergonha que se demonstra ao País só mesmo com este Des governo do PSD/Renovadinhos da treta.

Anónimo disse...

Agora disse tudo!

Anónimo disse...

Creio que o senhor Miguel Zebedeu está um pouco alienado da realidade.
É isso ou não tem um filho a estudar no continente ou tem muito dinheiro e pensa que outros também têm.

Anónimo disse...

Uma vergonha o que se passou com as reservas neste voo da Páscoa para os estudades madeirenses. Pondo de fora as artimanhas e o nepotismo que teve havido, e centrando-se na medida propriamente dita acho que:
O critério para poder reservar não pode ser apenas o de ser residente na Madeira e estar a estudar em Portugal Continental.
Ricos e pobres estão no mesmo barco. As reservas deviam ser preenchidas em linha de conta com os rendentos dos pais.
Um voo é uma gota no oceano. A medida pecou por ser pouco abrangente e por isso pouco eficaz.
Se a tentativa era fazer propaganda do Governo, o tiro saiu um pouco ao lado.
Enfim...

Anónimo disse...

O voo está cheio, o avião não anda.
Ai,eu queria passar, para aquela banda,
Para aquela banda, para aquele lado,
para ver os meu amor, para ver meu povoado.

Sr. Presidente do Governo Regional, a medida foi tão boa que até o povo canta.

Anónimo disse...

40 anos de autonomia para assistir a isto. Sr.Pedro Calado, eu começava a pensar em sair de cena...este não foi um bom episódio.

Anónimo disse...

Quando se junta a fome com vontade de mamar dá nisto! Até fazem fila...

Anónimo disse...

Está gente quer tudo: viagens ao preço da banana, propinas pagas... E que tal também um subsídio por andar na universidade, e tacho garantido para fazer nenhum (tipo viteleiro da FrenteMar ou Sociedades de Endividamento) no fim do curso ou quando se faltassem da vida universitária (ainda que sem curso concluído)?

Anónimo disse...

Nem mais. Está gente quer tudo dado. Por isso não dão valor a nada.

Anónimo disse...

Isto faz lembrar os bilhetes para os espectaculos da Madeira Região Europeia da Cultura, em 2004, salvo erro. Pouco depois de ter aberto oficialmente a venda de bilhetes já estava tudo esgotado...

Anónimo disse...

Os meandros da corrupção em todo o lado. Parabéns PSD pelo que durante 40 anos foi incutido nesta terra.

Anónimo disse...

Isto era fácil de resolver. Não havia nada para ninguém.
Como já acima escreveu outea pessoa, já são proveligiados por andarem na universidade, e eu que ganho 850 € ainda tenho que lhes pagar dos meus impostos viagens de avião ?

Anónimo disse...

40 anos de Jardinismo e Oposição (salvo honrosas excepções) conivente com o mesmo criaram uma cultura de pedinchar e mão estendida, que envergonha aqueles que ainda têm orgulho em conseguir algo por si próprios.
Em vez de tratamentos de excepção que acabam por beneficiar os "eleitos" de pseudoelites, preocupem-se em gerir convenientemente o erário público, e criar condições para que haja condições para que se pratique um preço e condições justas para todas as partes e pessoas, sem regimes especiais.

Anónimo disse...

Compadrio e favorecimento é corrupção.