sexta-feira, 9 de junho de 2017

Distribuição de correio nos Álamos ao retardador


Nunca mais a carta chega a Garcia!

É certo que vivemos na era do correio electrónico. Mas há serviços que continuam fiéis ao papel. Os avisos, as convocatórias, as cartinhas amorosas dos saudosistas do velho romance e até os postais de Natal. Quando se trata de correspondência oficial, há prazos que o remetente impõe ao feliz contemplado.
Acontece que na zona dos Álamos há queixas de atrasos monumentais. Cartas boas para levar a morte a quem não quer morrer. Porquê? Porque a carrinha dos correios só é vista por aquelas bandas uma vez por semana. Quando aparece. 
Um dos casos recentes levou um cidadão a dar falta de comparência num encontro marcado pelo Desemprego porque recebeu a convocatória oficial... um dia depois da data indicada. 
Nos dias de hoje, é anedótico. Mas aconteceu.
De modo que os moradores dos Álamos pediam que lhes revissem o programa de distribuição de correio, de modo a livrarem-se de maçadas bem maçadoras.
Ainda aí estás, Carlos Rodrigues? 

3 comentários:

Anónimo disse...

uma vergonha o serviço dos correios.

Anónimo disse...

Nitidamente não cumpre alíneas do caderno de encargos da privatização. E onde é que anda a autoridade da concorrência ? Olha para o lado ? As cartas chegam-lhes a tempo ? Estão de férias em permanência ?
O desespero de arranjar dinheiro para diminuir o deficit levou à privatização de empresas públicas lucrativas, como os CTT ou a EDP. Este é agora o preço a pagar.

Anónimo disse...

Os renovadinhos ainda nao vieram dizer que a culpa é do cafofo?? Ahahahah