terça-feira, 6 de junho de 2017


PS assume levar problemas dos produtores 
de banana da Madeira a Tribunal

Os deputados do PS eleitos pela Madeira, Carlos Pereira e Luís Vilhena, admitem levar os problemas dos produtores de banana da Madeira a Tribunal. A decisão surgiu depois de uma reunião no Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Regional, Capoulas dos Santos, em Lisboa, onde participaram representantes de pastores e agricultores madeirenses.


Em causa está uma portaria do Governo Regional que impede que os produtores de banana se juntem em associações. “Há restrições introduzidas pelo Governo Regional que limitam que os agricultores se juntem em agrupamentos, a GESBA – Empresa de Gestão do Sector da Banana - tem o monopólio e impede a venda”, apontou o líder do PS-Madeira, Carlos Pereira. É uma sovietização do setor da banana na Madeira”, criticou ainda. “A reestruturação no setor da banana falhou, os rendimentos dos produtores estagnaram e o aumento da produção tem sido desperdiçado”, analisou, revelando que o PS está bastante sensibilizado para os problemas dos agricultores e pastores madeirenses.

“Foi uma boa reunião, o senhor ministro ficou documentado de uma série de problemas existentes e que o Governo regional tem ignorado”, afirmou ainda Carlos Pereira. “Há um apagão do Governo regional relativamente a estas matérias”, acrescentou.

Em cima da mesa da reunião estiveram também os rendimentos baixos auferidos no setor da banana, a concorrência externa, as dificuldades no pastoreio, entre outras matérias.
José Gomes, da Associação de Pastores da Madeira, lamentou as dificuldades que os pastores têm em pastorear na Madeira. “Convidámos o senhor ministro a vir às tosquias em Santo António e a conhecer os problemas no terreno”, disse, apontando dificuldades em manter os terrenos limpos após os incêndios e os problemas e riscos a que a Região está sujeita de Inverno devido às políticas regionais para a pecuária. “Aquilo que pretendemos é que haja soluções”, afirmou.

Antonino de Abreu, produtor de banana, também não poupou nas queixas à tutela regional. “Somos mais maltratados e vivemos debaixo de uma ditadura”, apontou. “Não precisamos de um Governo que faça promessas, mas de um Governo que trabalhe”.

Da parte do grupo parlamentar do PS ficou a promessa de que estes assuntos não serão esquecidos em Lisboa e que se serão alvo de iniciativas por parte dos deputados.
Texto: PS-M

8 comentários:

Anónimo disse...

Carlos Pereira em Santa Cruz: “Não são merecedores de confiança” afirmou, “nem de uma segunda oportunidade”, porque não têm conseguido resolver os problemas que afectam o concelho. De 2013 a 2017, afiançou, foram quatro anos perdidos.

falando da JPP

mas para o Funchal são perfeitos

Anónimo disse...

e para o ps da Maia, só em sta cruz não interessa, ai carlinhos já fostes

Jorge Figueira disse...

Alguém me informa se nalgum outro sítio da Europa, periférica ou não, a comercialização de produtos agrícolas é feita por uma empresa pública?

Anónimo disse...

Cada vez fico mais indignado com a estratégia deste tipo do PS. por acaso já alguém explicou a este senhor que a MADEIRA é uma região autonoma e q os problemas legítimos que ele aponta devem ser resolvidos cá dentro? É que esta paranóia de andar às queixinhas em Lisboa e de braço dado c os políticos da metrópole por coisa nenhuma , não faz sentido nenhum. Afinal o que quer o PS ? Que a Madeira seja governada pelo Terreiro do Paço? O que lhe vale é q o PSD anda num desnorte que nem consegue tirar dividendos políticos disto. Ao que isto chegou, deputados de uma região autónoma que se comportam como servos de uma colônia Lisboeta. Tenham dignidade e comportem-se à altura do cargo q ocupam e daquilo q representam .

SIA disse...

Carlos Pereira fala por todos, fala rapido, mas será que podia deixar falar por uma vez o Senhor deputado á Assembleia da Republica arq.Vilena?
Gostaria de saber o que ele pensa. O Homem é deputado, deve ter alguma coisa a dizer, OU NÂO?

Anónimo disse...

A autonomia que refere persegue, amordaça, os impostos servem para pagar favores, comprar juizes, a justiça, as policias e os tribunais...esta autonomia, puro regime ditatorial, que Lisboa deve urgentemente intervir para salvaguardar o povo. Nada faz agora sentido nesta terra insolvente.

Anónimo disse...

É verdade todos em Maia deverão conhecer essa potência de pseudo partido que é o JPP....

Estou a ver o Fernando Medina em Lisboa a avançar com o apoio do JPP...

Tristeza

Anónimo disse...

ao comentário das 22,47h
Autonomia, qual Autonomia, qual Carapuça?
Nós, povo de base não queremos está autonomia que só serve aos queques dos renovadinhos do PSD que espatifam o nosso dinheiro em coisas superfulas (como os barquinhos voadores) e depois vão para Lisboa chular tudo e todos.
Não fazem nada por cá e já estão há mais de meio mandato, só dizem que os outros não contribuem por isso prometem mas nada fazem.
Para isto não é necessário autonomia.
Sendo assim é preferível ser Governado por um Feitor qualquer do Continente.
Hoje mais uma bela noticia no DN sobre o Hospital que agora vai passar a chamar-se de Morgue Regional e o culpado agora é o Jornalista que diz a verdade, de certeza que este ainda não se vendeu aos renovadinhos.
Porque não fazem um Referendo para saberem da opinião se os Madeirenses querem ou não esta Autonomia?
De certeza que iriam ter uma surpresa das grandes.