terça-feira, 6 de junho de 2017


Uma Outra História de Avozinhos


João Barreto


Grassa pelos Paços do Concelho, qual epidemia, um gosto nostálgico por historiazinhas de netinhos e avozinhos.
Hoje é o nosso ilustre alcaide que, na coluna que lhe cede periodicamente o DN, vem relembrar, no conveniente tom melancólico que puxa a lagrimazita ao canto do olho das almas (eleitoras) mais sensíveis, as deambulações do avô Cafofo entre a baixa da cidade e os altos de Santo António.
Previsivelmente, a comovente narrativa culmina com a promessa de requalificar as zonas altas do Funchal em memória do avozinho e da cadelinha "Violeta".
Quer-me parecer que se o avô Cafofo fosse vivo, perguntaria ao netinho porque é que só se tinha lembrado dele quatro anos depois de ter chegado à Câmara e, sendo por certo homem prático, o questionaria sobre o que é que essa conversa de requalificação queria dizer em concreto. É que o neto até fala bonito e com palavras de doutor, mas tudo espremido não se percebe o que virá de novo para o povo de Santo António e freguesias vizinhas. 
Se era só para fazer conversa, bem podia ter-se dedicado a arranjos de eletricidade ou à agricultura que são trabalhos de gente séria e têm mais utilidade.
Quanto à Violeta, bem que lhe podia "ferrar" uma canela para trazê-lo de volta à realidade...

29 comentários:

Anónimo disse...

Deixe lá o Avô do Homem em Paz, fale do seu.

Anónimo disse...

Aquilo que eu Li na Primeira Página foi que o Tratamento de um Doente Oncologico foi interrompido por falta de Medicamentos.
Aqui na Madeira e não foi na Venezuela.
Mas no final do mês, vamos espatifar quase Meio Milhão nos Barquinhos Voadores para satisfazer o Ego do Mano Velho do Secretário Regional do Turismo.

Anónimo disse...

E a crónica do Pekeno o Fedelho Paulinho Marques.
Gostei já tinha muitas saudades das suas intervenções, até a Minha Buzika a Milu fica excitada quando o ve na TV.

Anónimo disse...

Bem escrito João Barreto. Acutilante e com humor, coisa que é demasiado para os cafofianos.
Se bem recordo, há dias era o vereador Miguel a discorrer sobre a sua avó. Tão nostálgicos que eles andam.

Anónimo disse...

A semana passada foi o Miguel Gouveia da falar da AVÓ esta semana vem o Paulo Cafofo falar do avô. E enquanto falam da família e se gabam de forma provinciana dos cargos que alcançaram a cidade definha no meio duma selva dE CANGALHADAS. TENHAM VERGONHA!

Anónimo disse...

Este agora emudeceu na tv onde botava faladura sobre todas as matérias. Parec que a Rubina lhe cortou o pio.

Anónimo disse...

Será que esta historieta é para tirar a atenção dos Funchalenses para os reais problemas da cidade? Como seja a construção do mamarracho Savoy, descaracterização da urbe com prédios a violar os índices de construção, centros históricos ao abandono, esplanadas a obstruir a passagem dos cidadãos, lixo por recolher, jardins para cuidar e regar? Teria sido melhor contar a história do capuchinho vermelho, onde o sr. cafôfo poderia ser o "lobo mau", tal a forma como rebentou com mais de 30 anos de oposição na mamadeira, e como expulsou 3 vereadores da sua coligação, permitiu que Miguel Albuquerque se tornasse na continuação do descalabro governativo jardinista!

Anónimo disse...

estava eu a ver o Ocorrências Madeira sobre aquele rapaz que morreu no acidente de camião , quando leio um comentário do produtor da celebre vinho espumante a tentar ganhar dividendos políticos com a desgraça alheia culpando o Governo pelo acidente e desejando que o camião da ocorrência fosse do AFA ...não só o acidente deu-se em terreno privado como o camião não era de quem ele desejava

Isto fica feio , numa situação destas não se mistura politica

Anónimo disse...

O Cafofo com aquele artigo lamechas mostrou que vale zero. E o Funchal está entregue a este cavalheiro!

Anónimo disse...

Eu cá gostei do artigo do Presidente da Camara, Dr Paulo Cafôfo. Porque não haveria de falar do avô?
Mau mau é a falta de medicamentos a impedir que os doentes se tratem.Em política, também há o muito importante e o nem por isso.

Anónimo disse...

Ao comentarista das 17,37h
Para bem da sua saúde e como está vendo tudo mal, não sei se refere ao G Regional do Miguel Promessas Falsas aconselhava a aproveitar a oportunidade e dirigir-se ao Alberto Oculista, Loja Verdadeiramente Madeirense porque em Outubro o queremos a cumprir o seu dever de Cidadão.

Anónimo disse...

cavalheiro comentador das 1843 ?
ainda existem mas não confunda por favor.

Anónimo disse...

Ao anonimo das 18,43h
É bom que se vá mentalizando que este Senhor Professor Cavalheiro Cafofo como tem a dignidade de o chamar, o Funchal será-lhe-a entregue por mais 1 ano e que em 2018 após Congresso Extraordinario do Psd e convocadas Eleições Regionais Antecipadas vai libertar a Madeira de toda esta corrupção e acabar com assuntos como o de hoje na primeira página do DN em que o tratamento de um Doente Oncologico foi interrompido por Falta de Medicamentos.

Anónimo disse...

Ele há muitos avôs e avós que se estivessem vivos já nem vinham ao funchal, com vergonha de certas netos.
Ficavam sempre na miséria das zonas altas....

SIA disse...

Anonimo das 15:55
Houve tempos em que se dizia "é verdasde porque deu na televisão ou entao vem no Diario"
Hoje já nao é assim. Houve um doente oncologico com o tratamento interrompido? Isso diz o jornalista Elvio Passos. Ele gosta de meter medo ás pessoas e paea isso faz chamadas a letras gordas de 1ª pagina, mas depois lendo bem o desenvolvimeto da noticias já parece que nao é bem assim.
Sem prejuizo de direito de proteger a fonte sempre gostaria que o jornalista confirmasse que houve mesmo a interrupçao de tratamento oncologico. Mas nao diga que houve porque a amiga de uma amiga....

Anónimo disse...

Like, like e like.

SIA disse...

Que bom, finalmente começaram a falar dos idosos. Será que lhes vão dar atenção finalmente? Há muitos abandonados em lares, e só nas camas dos hospitais passam dos 500.
Depois vem uns iluminados falar que crescem as listas de cirurgias nos hospitais quando muitas delas nao podem ser feitas porque nao há camas disponiveis.

SIA disse...

Carta Breve ao meu avô
Andam agora uns senhores que mandam, a falar dos seus avós, invocando-os para fazerem disso politica, parecendo que os estao a elogiar mas com intuitos difirentes.
Eles tinham avós fabulosos que até toiham empregos no "governo ou empresas do "governo.
Mas tu meu querido avò não te posso invocar porque eras muito pobre, eras colono, trabalhavas das 6 da manhá até anoitecer, cavavas, regavas, bebias tanto, mas te compreendo que ajudava a ultrapassar a dureza da enchada. Mas eras tão pobre, e a avó? coitada a bordar á luz do candeiro de petroleo.
Sei que me compreendes em nao falar de ti, era um Zé ninguem, nao tinhas o tal emprego na "casa da Luz" nao tinha ordenado fixo, e ao contrario de outrours nao ias para casa plantar uma semilhas, tinhas era mesmo de tirar rendimento das semilhas que plantavas, da banana, do vinho que produzias da cana de acúcar que eu proprio cheguei a esfolhar.
Mas foste muito importante para mim, na minha formaçao, nos meus principios, a minha gratidao para contigo é imesuravel. mas tem netos, que o importante para eles era ver como os seus avos ficariam admirados com como funcionam hoje os seriços publicos. Nao seria só a Loja do Municipe que o avô admiraria pois nâo? Admiraria tambem a Televisao que nao havia, o telefone, o frigorifico, a luz eletrica, o quarto de dormir em Madeira em vez de terra batida, essa coisas que nao passou por ti nem na tua casa.
Pois é, alguns politicos vem falar do Avô e da loja do Municipe para mostrarem como revolucionam a vida das pessoas comparando com a vida do tempo do seu Avô. Não tinhas tempo para estes espertos, não era?
Descansa em paz

Anónimo disse...

Ja nao escrevo Leiam o comentario das 17.37. Parabens.

Anónimo disse...

Eu cá gostei de saber que o avô do escriba também era careca. Também fiquei com vontade de ter uma horta urbana para pegar na foice ao fim do dia e poder dizer que sou um cosmopolita da Madeira. Este artigo em formato de neto cantigas era mesmo o que os Funchalenses precisavam para entenderem a visão umbigista do homem que lhes tirou qualidade de vida.

Anónimo disse...

Este artigo é uma instrução do staff em marketing politico do PS nacional fazendo do candidato Cafofo um homem do povo. Mas estes estudiosos da manipulação que tratam as pessoas como votos, substimam o Povo que é tudo menos burro.

Anónimo disse...

A tralha cafofiana vem dar exemplos de notícias que vem no diário sobre a saúde na região! É verdade que a saúde está mal. O problema é que o diário vendeu-se ao sr. cafôfo através da publicidade e dos milhares de euros que mete mensalmente no DN, por isso o diário esconde as notícias más do sr. cafôfo. Em 3 anos e meio o DN e empresas ligadas ao grupo já receberam da CMF mais de 400 mil euros. Por isso não venham com as desculpas que vem no diário as coisas más da governação do PSD! Do sr. cafôfo é que não virá nada de mal na primeira página do DN pelo menos enquanto a teta e!tiver a dar leitinho (dinheiro dos munícipes).

Anónimo disse...

Os cafofianos criaram uma nova moda.
É a moda dos Netos Cantigas.
Falta o Glesias fazer o hino.

Anónimo disse...

É tudo mentiras só para nos provocar.
A Saúde é um exemplo até para a Suécia e isto por aqui vai tudo bem, tipo 5 estrelas que até vai ser alterado o nome de Hospital Central para Morgue Central.
As Ressonancia Magnéticas são efetuadas nos próprios dias e os doentes oncológicos não aguardam há mais de 3 anos por elas.
As operações também são feitas na própria semana e não há listas de mais de 18.000 pacientes a aguardar.
Os Medicos estão nos gabinetes a cumprirem os seus horários.
temos ambulâncias e carrinhas de transporte de doentes a dar e a fartar.
Temos bons gestores e pessoas competentes a frente dos nossos hospitais.
Não se morre por Falta de Medicamentos.
PORRA, deixei de sonhar, acordei.....
Mas o culpado disto tudo é o raio do Diário e do Jornalista que não se quer vender a nós, vamos tentar novamente

Anónimo disse...

Quando forem bater com os costados ao Hospital pensem se a saúde não é realmente o mais importante e gritem por ajuda ao coveiro AL.

Anónimo disse...

A ti de facto o Sesaram não te pode ajudar. Aquilo na psiquiatria está fraco.

Anónimo disse...

Por falar em Avós, como está a Campanha do Avó Rokelino em Sta Cruz?

Anónimo disse...

Está à espera da carta do netinho.

Anónimo disse...

falando de Avós como vai a campanha do candidato da CDU ao funchal e a do bloco em São Vicente pela idade destes dois Roquelino poderia ser neto