sexta-feira, 24 de março de 2017



A transparência dos concursos 
de dirigentes 
da Câmara do Funchal 
(parte II)


Mais um concurso que tresanda a transparência. 
Há mais amassaduras
Chefia da Unidade dos Mercados, que depende do Mega-Departamento de Economia e Cultura, dirigido pela mão de Cafôfo, pela todo-poderosa Raquel Brazão Lopes, afilhada do Chefe de Gabinete de Miguel Albuquerque, Rui Abreu e casada com Rafael Lopes, vogal da direcção do Instituto de Emprego que transitou da CMF para o GR, após a vitória do "Conde de São Jorge" nas eleições de Março de 2015.

Em poucas linhas, já dá para ver que independentemente da cor política, há sempre pessoas que bolinam bem os ventos da "Mudança", ou "Renovação" ainda que isso implique espezinhar e trepar sobre os demais. Porque é que trazemos este segundo capítulo? Ora vejamos:


Aqui está extracto da listagem (pública) dos candidatos admitidos a este concurso. Mas o busílis desta coisa, reside num dos candidatos excluídos (assinalado), tratado com água-benta vinda duma Pia do Baptismo.
A pessoa em questão é familiar de Rui Abreu que dispensa apresentações. Tendo licenciatura, não está na categoria como técnico-superior como bem fundamenta a sua exclusão desse concurso. O interessante é que antes mesmo desta lista ter sido tornada pública, a sr. directora de departamento da CMF Raquel Brazão Lopes, afilhada de Rui Abreu, dirigiu-se ela própria ao local onde o candidato exerce funções, de modo a prepará-lo à entrevista concursal, dando de barato, que o mesmo seria admitido. 

Ora, se Raquel ouvisse os seus congéneres dos Recursos Humanos ostracizados pela purga de Cafôfo que não só a poupou como a promoveu para uma área em que a senhora não pesca nada, saberia que este amigo não reunia os requisitos impostos.
Mas, os ungidos pelo bom apadrinhamento, não são deixados para trás à sorte dos necrófagos. A Câmara da mudança garantiu a Mobilidade Intercarreiras ao rapaz para Técnico Superior desde o primeiro dia de Junho de 2016, já para auferir o subsídio de férias na nova categoria. Quando há um exército de funcionários antigos à espera dessa oportunidade. Digam lá, quem é amigo? Quem?

O epílogo: o concurso está "morto", não tendo havido desenvolvimentos apesar de ter sido um dos primeiros a ser iniciado há um ano atrás. A gente pensa que vão novamente baralhar as cartas e distribuir jogo de novo. Vamos estar atentos.

K-KONKURSO PARDO

7 comentários:

Anónimo disse...

É tudo tralha do mesmo saco.
Não tem que tirar de uns para pôr noutros.
E era esta a mudança.

Anónimo disse...

Os concursos para cargos de dirigentes não são para quem quer, mas sim para quem se quer. Sempre foi assim e sempre será assim, por isso não compreendo tanta azia.

Anónimo disse...

Parece que há muito dinheiro para gastar.

Depois de Machico e Santa Cruz foi a vez da Ponta do Sol, onde o candidato à Câmara foi apresentado durante um jantar à ''borla''.

Um verdadeiro artista este candidato (é o que diz do povo que bem o conhece ao contrário dos proponentes).

Mestre em jogadas, obras, imobiliário, dívidas a fornecedores, insolvências, promessas de apartamentos por cumprir...

O rol não acaba, mas mesmo assim querem dar à criatura um lugar onde se tomam decisões que mexem com a vida das pessoas.

O actual foi ''neutralizado'' com um tachinho cozinhado no Campanário. Está vista a personalidade de certas pessoas que colocam à frente de tudo o seus interesses particulares.

E assim tenta-se enganar o povo.

Anónimo disse...

Desde que essa senhora está na Economia e Cultura, o comércio tradicional do Funchal prospera a olhos vistos. E a cultura então? O Mercado dos Lavradores fervilha de tanta gente, sem mãos a medir, e o Funchal/Card?? São contentores deles a serem vendidos todas as semanas.

Anónimo disse...

A Sra. da cultura da CMF singra na máfia da Venezuela faialense...

Anónimo disse...

A CULTURA e ECONOMIA da câmara do FUNCHAL, ilumina desde a TORRE dos PAÇOS, como o mítico FAROL de ALEXANDRIA iluminava a bacia do Mediterrâneo desde o delta ocidental do NILO.

Anónimo disse...

Nada anormal, pois no GR, na ALM, funcionam ainda pior, aparecem uns compadres e umas comadres, sem concursos, uns paraquedistas, que de conhecimentos deixam muito a desejar e afundam cada dias estes organismos, mas acham-se uns iluminados, mas na burrice!!