quinta-feira, 16 de março de 2017



As Vozes da Justiça



Foi com uma voz trémula e baixíssima que a Juíza Joana Dias proferiu a sentença que absolveu o dr. Alberto João Jardim dos crimes de violação dos deveres de neutralidade e imparcialidade, praticados nas eleições autárquicas regionais de 2009.
Os vários jornalistas presentes na sala de audiências ficaram confundidos e baralhados, já que a voz da juíza mal se fazia ouvir, parecendo que a sentença estava a ser dita por uma voz envergonhada e pouco confiante, que mais parecia um lamento.
A juíza que absolveu hoje Alberto João Jardim foi a mesma juíza que julgou o célebre caso da Invasão do Jornal da Madeira, que como este caso, também ocorreu em vésperas de eleições (outubro 2011), só que na altura, a sentença da juíza foi em sentido contrário, condenando os oito elementos do PND a pagar cerca de 11.339,80 euros de indemnização cível à Empresa Jornal da Madeira. Posteriormente, o Tribunal da Relação veio a anular esta decisão da Juíza Joana Dias, libertando os “invasores” desta batatada milionária.
Convém relembrar que na sentença da denominada invasão do JM, esta senhora juíza conseguiu pôr todo o Funchal à gargalhada, quando sentenciou que o tribunal “não deu por provado que o Jornal da Madeira omita ou discrimine a informação sobre os partidos da oposição; que este jornal tenha resultados negativos (os auditores descobriram mais tarde que o ex JM deixou uma divida de 53 milhões de euros, que na altura a juíza surpreendentemente não viu); que seja instrumento de divulgação de atos públicos do Governo Regional, casos das inaugurações com fins eleitorais; e que a E.J.M. utilize o jornal para informar a população de forma parcial, isenta e pouco rigorosa”.
Depois destas preciosidades “judiciosas” é de aceitar que a senhora juíza tenha proferido a sentença do dr. Jardim, com um tom de voz acabrunhado, que fez lembrar por uns instantes, as meritíssimas vozes que se ouviam nos velhos Tribunais Plenários, dos tempos do Doutor Oliveira Salazar.
Quem esteve bem em todo este processo, e com uma voz bem firme, foi a Exma. Senhora Magistrada do MP. Só esperamos agora que o MP recorra, como fizeram os 8 arguidos, do caso da Invasão do JM.

Dionísio Andrade

26 comentários:

Anónimo disse...

Os grandes safam-se sempre. Para uns, Lex dura Lex, para outros, não se provou nada. Isto faz lembrar o julgamento do deputado Lino do CDS, que por causa de 4 mil euros levou com três anos de prisão, e o tal empreiteiro do apartamento da Nazaré, que lesou o estado em 6 milhões de euros, foi absolvido mais o empreiteiro da Calheta.

Anónimo disse...

A RTP/Madeira não abriu o telejornal com a absolvição de Jardim. Até estes perceberam que a coisa foi engendrada.

Anónimo disse...

Vergonhoso!

Anónimo disse...

"A juíza Joana Dias considerou que não ficaram provados os factos que constavam da acusação do Ministério Público."

Falta saber a quem se deve a incompetência; se à juíza Joana Dias que não conseguiu "ver" o crime, se ao Ministério Público que não o terá conseguido mostrar.

Curiosamente com este comentário corro mais riscos de ser processado e condenado do que o ex-Presidente do GR que o fez publicamente e de forma reiterada. É curioso como quando acontecem revoluções, mudanças de regime, o aparelho judicial, que é um instrumento de repressão também político, em todos os regimes não sofre uma limpeza. Supostamente estão lá por amor à Justiça, à lei mas nunca se ouviu falar de um movimento de juízes que tenha posto em causa um regime. Sobrevivem aos regimes, de esquerda, de direita, aplicam esta lei como aquela, sem qualquer incómodo de consciência.
Continuo a achar que o que falhou em Portugal foi precisamente o Sistema Judicial. Só falta saber se por incompetência, cobardia ou eventualmente por corrupção.

amsf

Anónimo disse...

A Joaninha nunca falha nos seus deveres...

Anónimo disse...

Qual é a credibilidade do ex- deputado Dionisio Andrade?

http://fenixdoatlantico.blogspot.pt/2015/09/dionisio-andrade-em-choque.html

Já lhe passou o estado de "choque"?

Anónimo disse...

Então a juíza dos sete maridos ia lá condenar o único importante...! Tava-se mesmo a ver.
A ver vamos se o MP vai recorrer. Porque será que eu duvido ?

Anónimo disse...

O anónimo da as 21:32 mais uma vez se esquece que foi o Dionísio Andrade que lhe encheu o frigorífico quando o ser andava a passar fome!

Anónimo disse...

E o Cuba Livre vai pelo mesmo caminho. Alguém tem dúvidas? Mas o povo continua a pagar estas canalhices!

Anónimo disse...

Se não me engano esta senhora vive com um tipo que fez umas maroscas na Frente Mar e que depois meteu baixa para fugir a certas responsabilidades do arco da velha.

Anónimo disse...

A Madeira Velha só sabe lutar politicamente na secretaria.

Anónimo disse...

O problema é que os juízes ficam na terreola, vão arranjando familiaridades e amizades perigosas e depois dá nisto.

Anónimo disse...

Cada vez mais me convenço que o sr. deputado coelho tem toda a razão quando denuncia a podridão da justiça na mamadeira!

Anónimo disse...

Joana Dias a Ministra da Justiça, já!

Anónimo disse...

Acho que a Srº Juíza queria dizer: "deixem-se de tontices os Srs. do PND, a Justiça tem mais que fazer do que perder tempo com estas baboseiradas!"

Anónimo disse...

Isto mostra bem como vai acabar o Cuba Livre, e o povo continua cego e espremido como uvas num lagar.

Anónimo disse...

E a Frente Mar, e a Frente Mar???????? Alguém sabe onde anda metido o antigo administrador? Onde para o dinheiro da Frente Mar? Onde para? Como diz o Coelho, "isto está tudo ligado!"

Anónimo disse...

e a procissão ainda vai no adro...o problema é que nunca vai chegar à igreja...hahahaha, senão vai ser mais uma sociedade de Desenvolvimento para o Cunha....ele agora vira santo no diário de noticias....tristeza....

Anónimo disse...

Oxalá que o Ministério Público recorra desta sentença que nos envergonha a todos os democratas. Porque se o MP recorrer desta vergonhosa sentença, em Lisboa não vão deixar o maestro do insulto sem o devido corretivo!

Anónimo disse...

Já era espetável que nesta terrinha, fosse este o resultado de tão engenhoso processo onde a Sr Juíza não conseguiu provar nada.

Anónimo disse...

A frente mar é um ninho de mama. A vereação da câmara municipal dá tacho a dezenas de amigos. Qualquer dia tem mais funcionários que utentes.

Anónimo disse...

Nunca há provas, para estes senhores juízes nunca há provas! 35 milhões em facturas falsas e várias empresas a fugir aos fisco, não há provas! Mas se um desgraçado se esquecer de pagar alguma coisa às finanças,cai-lhe em cima uma tempestade com relâmpagos e tudo.

Anónimo disse...

Tribunais agachados ao desgoverno do PSD, tudo manipulado, quem desviou, ocultou a divida da Madeira foram os tontinhos do povo superior, que adoram pagar dividas e falcatruas feitas pelo PSD.

Anónimo disse...

Isto não é grave, são coisas de comadres, grave e com justiça e a precisar de jistiça é saber onde está aplicado o dinheiro das sociedades de desenvilvimento, da marina do lugar de baixo e sabendo que não iam fazer nada com aquele monstro ainda voltaram a aplicar mais alguns milhões que já nem me recordo os valores, isto passa ao lado da justiça....isto é que devia ser investigado profundamente contas bancarias, etc, etc...

Anónimo disse...

O problema são as raízes, os magistrados vão ficando por aqui, pelo bananal, e depois o bananal passa a pantanal. A verdade é esta!

Anónimo disse...

Boa noite. Como pode a CMF, desde o tempo do Albuquerque e não só, manter um bairro social com os inquilinos a pagarem 5€, repito 5€ e alguns menos, tipologias T2, T3 e T4. Alguns desses inquilinos vivem do rendimento mínimo garantido, com possibilidades de trabalhar (como se costuma dizer com bom corpo para trabalhar) e nada fazem senão andar nos cafés e gozar de quem trabalha. O Rendimento mínimo incentiva as pessoas a trabalhar, ou a não trabalhar? Não deveria ser um direito associado a deveres?
O que queremos é uma politica social justa e equitativa, que erradique a pobreza mas incentive a procura de emprego e responsabilidade.
O problema é que podiam realizar tarefas úteis à sociedade, estabelecer protocolos com entidades, realizar limpezas de jardins, apoio aos idosos... Imensa coisa se poderia fazer e nada de novo acontece. Vislumbra-se no horizonte eleições, ninguém faz nada para não perder o voto, seja PSD, PS, CDS, etc, etc, para não perder acesso ao poder, a caça ao voto continua igual laisser faire lasser passer.
Por isso vai continuar igual.. Vamos aguardar!
Parece-me que o Cafofo vai ganhar e a Rubina se espalhar...